Justiça nega pedido de Geddel para anular mandado de busca e apreensão
Foto: Valter Campanato / EBC

A Terceira Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região negou a anulação do mandado de busca e apreensão da Operação Cui Bono solicitada pela defesa do ex-ministro Geddel Vieira Lima. A decisão do colegiado segue o entendimento do desembargador Ney Bello, que na última semana converteu a prisão de Geddel em domiciliar. Ele autorizou a saída do ex-ministro do Presídio da Papuda, em Brasília, mesmo sem estar com uma tornozeleira eletrônica. Geddel deixou a capital federal na noite da última quinta-feira (13) (veja mais) com destino a sua casa em Salvador. O peemedebista foi preso no último dia 3, pela Polícia Federal, por suspeita de tentar obstruir as investigações da Operação Cui Bono, que investiga fraudes na liberação de crédito da Caixa Econômica Federal.

Histórico de Conteúdo