MBL recua em pedido de renúncia de Temer e Vem Pra Rua adia ato contra políticos
Ato contra Dilma em março de 2015 | Foto: João Alvarez / Fotos Públicas

O Movimento Brasil Livre (MBL) e o Vem Pra Rua, que apoiaram o impeachment de Dilma Rousseff, recuaram na convocação de manifestações pedindo a saída do presidente Michel Temer. De acordo com a Folha de S. Paulo, o coordenador do MBL, Kim Kataguiri, entende que o áudio da conversa entre Temer e um dos donos da JBS, Joesley Batista, são inconclusivos. "Há motivo de sobra para investigar Temer nos áudios, mas eles são inconclusivos. Vamos suspender a posição pró-renúncia até que surjam novas informações", declarou. Já o Vem Pra Rua adiou os atos que estavam sendo marcados para este domingo (21) para pedir a prisão de políticos envolvidos em casos de corrupção. O grupo alega que a convocação foi adiada por motivos de segurança. "Em muitas cidades não houve tempo hábil para planejar a segurança ideal, como sempre aconteceu, mesmo naquelas em que havia mais de um milhão de pessoas nas ruas", justifica o Vem Pra Rua, em comunicado. O líder do grupo na Bahia, Ronaldo Matos, disse em entrevista ao Bahia Notícias nesta quinta-feira (18) que teria dificuldades para organizar o ato em Salvador por conta do pouco tempo hábil (veja mais).

Histórico de Conteúdo