Desembargador revoga prisão domiciliar de Adriana Ancelmo, esposa de Sérgio Cabral
Foto: Reprodução / Blog do Garotinho

O desembargador Abel Gomes, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, suspendeu nesta segunda-feira (20) a prisão domiciliar da ex-primeira-dama do Rio, Adriana Ancelmo (veja aqui). Na última sexta (17), o juiz Marcelo Bretas havia convertido a prisão preventiva em domiciliar, mas a esposa do ex-governador Sérgio Cabral não chegou a sair do presídio de Bangu 8. A decisão desta segunda atendeu a pedido do Ministério Público Federal (MPF). Um dos argumentos atendidos pelo desembargador, relator da Operação Calicute no TRF-2, é de que a revogação da prisão preventiva representa quebra de isonomia em relação a milhares de mães presas no sistema penitenciário brasileiro que não são beneficiadas por essa medida. Adriana está presa desde dezembro do ano passado, acusada de firmar contratos com empresas que receberam benefícios fiscais durante o governo Sérgio Cabral por meio de seu escritório de advocacia, o Ancelmo Advogados. Ela também é acusada de continuar praticando crimes de corrupção e lavagem de dinheiro por não ter feito a entrega aos investigadores de todas as joias compradas pelo casal.

Histórico de Conteúdo