TSE avalia que fundo de R$ 5 bilhões não pagaria eleições, diz coluna
Foto: Divulgação / TSE

O valor de R$ 5 bilhões estimado pelo Congresso Nacional para o fundo público que financiaria a campanha eleitoral de 2018 não cobriria nem os custos do pleito para deputado federal (a disputa do próximo ano abrange ainda outros quatro cargos: presidente, senadores, governadores e deputados estaduais). Segundo informações da coluna de Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo, a previsão é do conselho consultivo do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). De acordo com o colegiado, o valor movimentado pelos 6.178 candidatos a uma vaga na Câmara dos Deputados ultrapassou os R$ 5 bilhões planejados. O cálculo foi feito considerando números oficiais e estimativas de caixa dois. A previsão é de que o número de postulantes a presidente, governadores e deputados federais e estaduais passe de 30 mil. Nesse contexto, desponta entre as propostas a ideia de voto em lista, na qual o voto passa ser no partido, o que baratearia a campanha. O voto em lista, porém, gera controvérsias, porque acabaria ajudando políticos envolvidos na Lava Jato a se reelegerem sem ter que pedir votos, em meio a outros nomes presentes nas listas de suas legendas. 

Histórico de Conteúdo