Carnaval de Salvador deve gerar até 250 mil postos de empregos diretos e indiretos
Foto: Márcio Reis / Ag. Haack / Bahia Notícias
O Carnaval de Salvador deverá gerar entre 210 mil e 250 mil postos de empregos diretos e indiretos. A estimativa da prefeitura considera ainda que seja reduzido o número de 484 mil desempregados em Salvador (o dado é da Pesquisa de Emprego e Desemprego da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia). Os setores com mais possibilidades de contratações temporárias são hotelaria, com quatro mil vagas extras; bares e restaurantes, com teto de 18 mil vagas disponíveis; comércio informal, com 2,5 mil licenças para atuação de ambulantes com isopor e 500 para atividades como food trucks, baianas de acarajé e barracas; e blocos e camarotes. O camarote Planeta Band Othon deve gerar 1,5 mil empregos diretos e indiretos; o camarote da Skol deve empregar 631 pessoas, além do contingente temporário para ações promocionais. O número de colaboradores temporárias da Central do Carnaval saltou de 50 para 500 no setor responsável pela venda e entrega de abadás, mas esse número salta para quase quatro mil empregos, se considerar os três camarotese um bloco próprios da empresa. Já nos blocos, o contingente de vagas para cordeiros, seguranças e supervisores chega a 25 mil pessoas. A prefeitura também tem gerado empregos temporários para engenheiros civis e profissionais com atuação em centros de convivência e abordagem social. Em janeiro foram lançadas 259 vagas, mas a estimativa é que sejam contratados dez mil colaboradores. 

Histórico de Conteúdo