Quarta, 11 de Janeiro de 2017 - 13:40

Lula aponta criminalização com PT e critica eventual venda da Petrobras

por Estela Marques / Luana Ribeiro

Lula aponta criminalização com PT e critica eventual venda da Petrobras
Foto: Estela Marques / Bahia Notícias
Durante seu discurso na abertura do 29º Encontro Nacional do MST, realizado na manhã desta quarta-feira (11) no Parque de Exposições, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a defender que o PT é alvo de uma tentativa de criminalização. “Eles querem criminalizar o país. Eles caminham para transformar o PT em um partido ilegal. Eles tentam criminalizar o Gabrielli, porque houve plataforma e solda que era feita na China, em Cingapura ou na Coreia, que gerava emprego e riqueza lá, que ele trouxe para fazer no Brasil, para formar engenheiros da indústria naval aqui, formar técnicos aqui”, afirmou, citando também o ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli, que estava presente no evento. Lula também criticou o que julga uma eventual venda da Petrobras, em decorrência dos escândalos da Lava Jato. “Deveriam perseguir estes que agora estão entregando a Petrobras”, afirmou, falando em outro momento sobre as indicações feitas para a gestão da estatal de nomes que acabaram sendo condenados. “Eu quando indiquei um diretor da Petrobras, o cara tinha 30 anos de Petrobras. Nunca a Polícia Federal tinha dito que ele era ladrão, nunca a empresa tinha dito que ele era ladrão. Nunca o Ministério Público tinha dito”, argumentou. “Se esses caras cometeram erros, que paguem pelos erros que cometeram. Mas a Petrobras  não pode ser vendida por conta disso. A Petrobras é do povo brasileiro. Eles nunca aceitaram quando nos fizemos a lei da partilha, que o petróleo deixou de ser do cara que ia buscar ele lá e passou a ser do povo brasileiro”, defendeu. Lula chegou a apontar um possível envolvimento americano no cenário político brasileiro. Primeiro, clamou pela investigação do envolvimento dos Estados Unidos “junto ao juiz Moro”, ao MP e à PF. Lembrou também a descoberta do pré-sal “Os americanos começaram a ficar preocupados”, afirmou. Em referência indireta ao atual governo, afirmou que “eles nunca aceitaram que esse país fosse independente de verdade”. “Esse pais é um continente sozinho. Esse país precisa parar de ter complexo de vira-lata”, disse. 

Histórico de Conteúdo