Executivo da Odebrecht cita doações a campanhas de Wagner e Rui
Foto: Montagem / Bahia Notícias
O ex-governador baiano Jaques Wagner (PT) foi citado pelo executivo Cláudio Melo Filho, ex-vice-presidente de Relações Institucionais da Odebrecht, em pré-delação ao Ministério Público Federal (MPF). De acordo com o executivo, Wagner, que atualmente é Coordenador de Desenvolvimento Social, teria se reunido em 2006 com Marcelo Odebrecht em um restaurante de Brasília, ocasião que depois gerou um repasse de R$ 3 milhões ao petista, feitos de forma oficial e via caixa 2.  Conforme o G1, o delator contou que, assim que Wagner ganhou o pleito, encaminhou assuntos de interesse da empreiteira no Polo Petroquímico de Camaçari, que o ex-governador ajudou a destravar. O ex-governador também seria beneficiado com repasse nas eleições de 2010, com R$ 7,5 milhões, divididos em 10 parcelas, pagas entre agosto de 2010 e março de 2011. Ainda segundo Cláudio F ilho, o esquema voltou a se repetir em 2014, na campanha de Rui Costa (PT) para o governo da Bahia. O executivo disse que não participou desses pagamentos, mas acredita que foram repassados R$ 10 milhões. O agora coordenador de desenvolvimento social do governo Rui Costa também teria recebido presentes da empreiteira, segundo Cláudio Filho, sendo presenteado com um relógio de US$ 20 mil, em 2012.

Histórico de Conteúdo