Presidente do PT-BA minimiza Lava Jato nas eleições: ‘prejuízo não pode ser tão grande’
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias
Mesmo em meio à delação do senador Delcídio do Amaral (sem partido – MS), o presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação, minimizou os efeitos dos desgastes no partido nas eleições de 2016. “A eleição municipal faz parte da tática, mas a grande estratégia é no plano nacional. E é óbvio que isso vai desgastando. Isso vai impactar sobretudo nas grandes cidades, mas é possível que o desgaste que o PT tenha não seja do tamanho que a oposição está pensando”, afirmou Anunciação. Segundo ele, as vaias para políticos como Aécio Neves (PSDB) e Geraldo Alckmin (PSDB), em São Paulo, e José Carlos Aleluia (DEM), em Salvador, nas manifestações do último domingo (13), mostram que o descontentamento não atinge apenas o PT. “Os partidos políticos, não importa, são atingidos. É claro que o PT está muito mais exposto a isso, mas as pessoas vão precisar fazer uma opção. E a gente tem uma avaliação que o prejuízo não pode ser tão grande porque o legado construído nesses quatro mandatos federais e três no estado da Bahia nos dá um certo conforto”, avalia. Segundo o dirigente, “os desdobramentos das delações devem impactar muito mais em outros partidos do que no PT, porque continua no tamanho que não tem muito para onde ir, a não ser essa última tentativa do golpe via Lula”. “Você pega cidades como Lauro de Freitas, como Alagoinhas, como Cruz das Almas, como Senhor do Bonfim em que os candidatos do PT lideram as pesquisas, mesmo sinalizando a ligação com o partido. São questões que vamos ter que ir monitorando com calma”, completa Anunciação.

Histórico de Conteúdo