Com Samuel Celestino

Receba Notícias do BN

Nome
E-mail *

Curtas do Poder

Curtas do poder

Não se desesperem! Trago aqui soluções viáveis para o impasse da Arena Fonte Nova, que, sem o Bahia, vai precisar arranjar outra utilidade. Tem um secretário que reclamou das minhas revelações e, na verdade, deveria me agradecer pelo conselho. Enquanto isso, o Primeiro Passo continua fadado ao tropeço por causa de uma pistola Taser e mais uma conta que não fecha no governo do Correria. Duvida?

Veja mais

Pérola do dia

Fabíola Mansur

“Todos os novatos vivem uma situação um pouco constrangedora."

Deputada estadual pelo PSB, ao tentar justificar o voto favorável ao reajuste de R$ 14 mil das verbas de gabinete da Assembleia Legislativa

Veja mais

Entrevistas

James Correia

Entre os governos de Jaques Wagner e Rui Costa, já se passaram seis anos como secretário de Indústria, Comércio e Mineração, e a experiência faz James Correia ter a confiança necessária para garantir que tem contato fácil com alguns dos principais empresários do país. Nesta entrevista ao Bahia Notícias, ele conta que vai seguir usando desse bom relacionamento para atrair investimentos à Bahia, com o apoio do atual governador e da Superintendência de Desenvolvimento Industrial e Comercial. O secretário destaca que dos R$ 74 bilhões que o governo planeja investir em indústria nos próximos quatro anos, R$ 59 bilhões serão destinados para o interior do estado, e enumera alguns projetos que já estão em andamento e gerando empregos nas cidades de Feira de Santana, Jequié e Caetité, por exemplo. No entanto, Correia ressalta que ainda existem grandes obstáculos de infraestrutura que precisam ser derrubados para permitir à economia baiana um crescimento maior: "Os portos são o grande desafio na Região Metropolitana, e no interior é a Fiol e o Porto Sul. Esses são os desafios para a gente continuar atraindo empresas e desenvolvendo o estado".

Veja mais

Multimidia

Veja os gols de Vitória 4x2 América (RN)

Veja mais

Quinta, 27 de Março de 2014 - 00:00

Candidato das oposições: ‘Não pode demorar muito mais’, admite ACM Neto

por Juliana Almirante

Candidato das oposições: ‘Não pode demorar muito mais’, admite ACM Neto
Foto: Max Haack / Agecom
Com a promessa de que o nome do candidato da oposição ao governo estadual fosse divulgado até o final do mês, o prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) – coordenador do processo de escolha – afirmou, em conversa com o Bahia Notícias nesta quarta-feira (26), que o comunicado está próximo. “A gente está na reta final. De fato, não pode demorar muito mais. Nos próximos dias, devemos anunciar um desfecho para todo esse processo”, determinou, em entrevista durante a reinauguração da Escola Municipal Artur de Sales, no bairro de Santa Cruz. A prorrogação do prazo para o anúncio, de acordo com o chefe do Executivo municipal, só ocorreria em nome da discussão em favor da união dos contrários. “Eu sempre coloquei que, para mim, gastar uma semana a mais ou uns dias a mais, se for para garantir a unidade, é, na verdade, um investimento, não perda de tempo, e sim ganho de resultados”, considerou. Neto avalia que a uniformidade das siglas opositoras em escolher o ex-governador Paulo Souto (DEM) ou o presidente estadual do PMDB Geddel Vieira Lima como postulante único é o principal fator que deve ser levado em conta. “Os dois candidatos lideram as pesquisas [de intenção de voto]. A pesquisa é um elemento que não pode ser considerado individualmente, até porque é um retrato do agora. O que posso lhe garantir é que várias questões estão sendo consideradas, mas que, para mim, o mais importante é a unidade. Mais importante do que sair com um candidato A, B ou C, é sair com um candidato que possa reunir o apoio de todo mundo”, julga. “Espero que [a decisão] seja em torno de um projeto único e, se não puder, nós vamos ver de que maneira os dois partidos [PMDB e DEM] irão se comportar. Independentemente de qualquer coisa, terão que ser aliados em um objetivo comum de eleger um governador da Bahia”, cogita. O prefeito diz concordar com a afirmação do gestor de Feira de Santana, José Ronaldo (DEM) que, em entrevista ao jornal A Tarde, declarou que a responsabilidade do veredicto deve ser tirada um pouco da mão do administrador da capital. “Evidente que a decisão, quando ela acontecer, não será minha. Tem que ser fruto de uma vontade majoritária, que se construa dentro do ambiente político que nós estamos inseridos. Então, a declaração do prefeito José Ronaldo vai ao encontro do que eu penso e coincide, portanto, com o trabalho que a gente vem fazendo”, avalia. Neto conta que, ao cumprir agenda administrativa nesta terça (25) em Brasília, para se reunir com o ministro da Saúde, Arthur Chioro, aproveitou para conversar sobre as eleições com os presidentes nacionais do PDT, PV e DEM, respectivamente, Carlos Lupi, José Luiz Penna e Agripino Maia, e com o líder do PSDB na Câmara dos Deputados, Antônio Imbassahy (BA). Preterido na definição do deputado federal João Leão (PP) como postulante a vice na chapa do petista Rui Costa, o PDT ainda prioriza o candidato de Jaques Wagner (PT), mas não determinou a quem será direcionado apoio no estado. 

Comentar

   

Histórico de Conteudo

Abril / 2015

Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
  12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930
Site Auditado pelo IVC - Bahia Noticias

Enquete

Qual pauta vai ser excessivamente repetida nas manifestações em 2015?

Artigos

João Doria Jr.
Antes que seja tarde

O Brasil que foi às ruas em 15 de março para protestar contra a Dilma Rousseff, a corrupção e o PT é bem diferente daquele que se mobilizou em 16 de abril de 1984, quando mais de um milhão e meio de pessoas se juntaram, no Anhangabaú, em São Paulo, na esteira do movimento em prol das Diretas Já. Naquele ciclo, a luta cívica tinha como alvo a defesa das liberdades e a escolha, pelo povo, do seu mandatário. Hoje, esses direitos se consagram na nossa Constituição. Também difere do país que, em 20 de junho de 2013, registrou mais de 1,5 milhão de pessoas nas ruas, protestando contra taxas dos transportes públicos e serviços precários nas áreas de saúde, educação e segurança, entre outros temas.

Veja mais

Viagem no tempo

Samuel Celestino, anos atrás
Publicada no Jornal "A Tarde" em 28 de março de 1999: Uma jovem senhora que nasceu na política

A cidade de Salvador festeja, amanhã, 450 anos. A coluna, por não ser editada às segundas-feiras, antecipa a homenagem que deseja a ela prestar, com uma crônica que escrevi para a revista “Neon”. Transcrevo-a. O fracasso de Francisco Pereira Coutinho como donatário da capitania hereditária da Bahia, impeliu D. João III a criar um Governo Geral, com jurisdição sobre todo o território, e para aqui mandou Thomé de Souza, primeiro governador-geral, que desembarcou no dia 29 de março de 1549 para fundar Salvador.

Veja mais