Com Samuel Celestino

Receba Notícias do BN

Nome
E-mail *

Curtas do Poder

Curtas do poder

Não é por nada, mas até hoje não me recuperei do susto que levei quando soube, na última sexta-feira, lá em Mar Grande, desse balaio de gato que fizeram na chapa do Soberano. Soube que Geddel indicou Joaci de pirraça, pois o sujeito não tem voto. Independentemente da motivação, só imagino o velho ACM se remexendo todo no caixão. Se estivesse vivo o senador daria um ataque, até porque a chapa de Wagner é mais fiel aos princípios carlistas do que a de Neto. Como ACM, o avô, não está mais entre nós, vai aí um conselho de camarada para o soberano: evite centro espírita, terreiro de candomblé ou coisa que o valha. É capaz de o velho baixar e o resultado é imprevisível. Confira mais notícias dos bastidores da política nas Curtas do Poder!

Veja mais

Pérola do dia

Capitão Tadeu

“Que Deus nos proteja.”

Deputado estadual pelo PSB e policial militar, sobre o decreto de greve da categoria.

Veja mais

Francamente

Feijão vai disputar o Campeonato Brasileiro pelo Bahia

Eu sabia que esse feijão,estva furado,não joga nada,peladeiro,graças a Deus saiu do meu flamengo.

16/04/2014 - 20:09

Juvêncio Cardoso

Veja mais

Entrevistas

Paulo Souto

Com a candidatura anunciada oficialmente quatro meses após a divulgação do nome petista para a concorrência à sucessão ao governo do Estado, o escolhido da “união das oposições”, o ex-governador Paulo Souto (DEM), considera “legítimas” as aspirações do ex-prefeito de Mata de São João, João Gualberto (PSDB), e do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) a encabeçar a chapa majoritária e acredita que o gestor de Salvador, ACM Neto (DEM), foi “um grande árbitro” na condução do processo de escolha. “Dificilmente se poderia desejar algo mais forte, mais robusto para disputar uma eleição: uma chapa que está reunindo os três maiores partidos da oposição”, defendeu, em entrevista ao Bahia Notícias. Souto nega haver um acordo tácito para que, caso seja eleito, não dispute a reeleição a fim de que Neto seja lançado ao cargo em 2018, embora admita a possibilidade de abrir caminho para o correligionário, a depender da avaliação futura do governo democrata.

Veja mais

Multimidia

Bahia empata com Vitória e é campeão baiano

Veja os gols do 2x2 no Estádio Pituaçu

Veja mais

Segunda, 03 de Setembro de 2012 - 12:40

Rio do Antônio: Prefeito nega envolvimento em negociata de candidato correligionário

por Juliana Almirante

O prefeito de Rio do Antônio, Antônio Oliveira Novais (DEM), afirma que irá processar o candidato a vereador pelo PT André Rogério Berkovitz por calúnia, em resposta à acusação que o petista protocolou na Procuradoria Regional Eleitoral na Bahia (PRE). Berkovitz denunciou o prefeiturável democrata Humberto Célio Guimarães, e seu vice, Murilo Martins (PSB), de promover uma suposta negociata para conquistar a adesão do PT à coligação “União, Liberdade e Progresso”. Também conforme a denúncia ao Ministério Público (MPE), Guimarães, que recebe o apoio do atual prefeito para a sucessão municipal, contaria com o aval da máquina pública para conceder benefícios. O atual gestor defendeu, em nota enviada ao Bahia Notícias, que o candidato do PT não tem provas das acusações contra ele e a secretária de Saúde, Maria da Glória Borges, também citada na denúncia como parte do esquema. Antônio Oliveira destacou que a indicação do democrata e do vice do PSB teria sido resultado do consenso por unanimidade das lideranças políticas que compõem a coligação, pois teria “consciência das vedações dispostas em legislações vigentes”. O prefeito classifica a acusação como uma atitude “irresponsável” do petista, para tentar ofender a “dignidade e a honra” dele e da secretária Maria Glória Borges Lauton, que pretendem pedir indenização por danos morais supostamente causados por Berkovitz. Confira aqui a nota de resposta na íntegra.

Comentar

   

Histórico de Conteudo

Abril / 2014

Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930
Site Auditado pelo IVC - Bahia Noticias

Enquete

Quais serão os reflexos do caso Pasadena no cenário da política baiana?

Artigos

Aline Castelo Branco
Educação sexual evita violência

Veja mais