Riachão do Jacuípe: Policial que teria baleado seis se apresenta; juiz proíbe carreata na cidade
Foto: Calila Notícias
A polícia prendeu na manhã deste domingo (5) o soldado da PM Murilo Aguiar de Souza, acusado de balear seis pessoas em Riachão do Jacuípe na noite anterior. De acordo com o Boletim de Ocorrência, o praça tentava atravessar a Avenida Landulfo Alves, no centro do município do nordeste baiano, no momento em que ocorria uma carreata política da candidata a prefeita pelo PDT, Tânia Matos. A confusão teria começado quando ele tentava furar a fila de veículos que participavam do evento, quando cerca de 15 pessoas teriam começado a danificar o seu automóvel. O acusado se identificou como policial, mas teria sido agredido verbalmente e fisicamente, além de ter o carro destruído e incendiado. Segundo o site Calila Notícias, o militar alegou para a delegada Mônica Soares, do Complexo Policial Investigador Bandeira de Feira de Santana, onde foi apresentado, que para se defender efetuou alguns disparos de pistola ponto 40 contra os agressores. Ainda não há informações sobre a gravidade e o estado de saúde das vítimas. “Ele saiu para comprar um lanche, já que estava aquartelado e se envolveu nesta confusão, e resolveu atirar para o chão para se defender”, disse a delegada. O juiz da 114ª Zona Eleitoral em Riachão do Jacuípe, Arnaldo Franco Freire, proibiu a realização de carreatas em todo o perímetro urbano do município até o dia da eleição. A medida é para evitar conflitos entre cabos eleitorais e simpatizantes dos candidatos que disputam o comando da prefeitura nas eleições deste ano. O policia militar permanece detido. A corporação ainda não se pronunciou sobre o caso.

Histórico de Conteúdo