Com Samuel Celestino

Receba Notícias do BN

Nome
E-mail *

Curtas do Poder

Curtas do poder

Não é por nada, mas até hoje não me recuperei do susto que levei quando soube, na última sexta-feira, lá em Mar Grande, desse balaio de gato que fizeram na chapa do Soberano. Soube que Geddel indicou Joaci de pirraça, pois o sujeito não tem voto. Independentemente da motivação, só imagino o velho ACM se remexendo todo no caixão. Se estivesse vivo o senador daria um ataque, até porque a chapa de Wagner é mais fiel aos princípios carlistas do que a de Neto. Como ACM, o avô, não está mais entre nós, vai aí um conselho de camarada para o soberano: evite centro espírita, terreiro de candomblé ou coisa que o valha. É capaz de o velho baixar e o resultado é imprevisível. Confira mais notícias dos bastidores da política nas Curtas do Poder!

Veja mais

Pérola do dia

Dom Murilo Krieger

"Vi que eles perceberam a necessidade de se desarmar em todos os sentidos e que eles estavam propensos a ouvir o outro. Da parte do governo, também"

Arcebispo Primaz do Brasil, ao comentar o fim da greve da PM, após ter recebido o título de membro benemérito da Força Invicta

Veja mais

Entrevistas

Paulo Souto

Com a candidatura anunciada oficialmente quatro meses após a divulgação do nome petista para a concorrência à sucessão ao governo do Estado, o escolhido da “união das oposições”, o ex-governador Paulo Souto (DEM), considera “legítimas” as aspirações do ex-prefeito de Mata de São João, João Gualberto (PSDB), e do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) a encabeçar a chapa majoritária e acredita que o gestor de Salvador, ACM Neto (DEM), foi “um grande árbitro” na condução do processo de escolha. “Dificilmente se poderia desejar algo mais forte, mais robusto para disputar uma eleição: uma chapa que está reunindo os três maiores partidos da oposição”, defendeu, em entrevista ao Bahia Notícias. Souto nega haver um acordo tácito para que, caso seja eleito, não dispute a reeleição a fim de que Neto seja lançado ao cargo em 2018, embora admita a possibilidade de abrir caminho para o correligionário, a depender da avaliação futura do governo democrata.

Veja mais

Multimidia

Bahia empata com Vitória e é campeão baiano

Veja os gols do 2x2 no Estádio Pituaçu

Veja mais

Sexta, 30 de Dezembro de 2011 - 14:30

Sargento da PM é preso acusado de fazer parte de grupo de extermínio em Salvador

Sargento da PM é preso acusado de fazer parte de grupo de extermínio em Salvador
SGT. Ricardo Lopes integrava o bando de o 'Exterminador de Brotas'
O sargento da Polícia Militar da Bahia, Ricardo Lopes de Castro, lotado na Companhia Independente (CIPM) de Mata de São João, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), foi preso nesta sexta-feira (30) acusado de fazer parte de um grupo de extermínio liderado por Gilson Ferreira Carneiro. “Gilson Miseravão”, como era conhecido, agia nos bairros soteropolitanos de Luís Anselmo, Vale de Matatu, Baixa de Tubo e Cosme de Farias. Ele foi preso no último dia 24 de novembro, em Candeias. Também conhecido como o “Exterminador de Brotas”, Miseravão é apontado como autor de mais de 35 homicídios na região. De acordo com o Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), responsável pela as investigações, a mando de Gilson Miseravão, o sargento Castro e o soldado Gleidston Rodrigues dos Santos, o “Cebolinha”, sequestraram, extorquiram e mataram traficantes no centro da capital baiana,  mesmo após terem recebido os resgates exigidos. Na residência do sargento, na Cidade Baixa, as equipes do DHPP e do Batalhão de Choque apreenderam uma submetralhadora ponto 40, três pistolas ponto 40, além de diversas munições. Os policiais também cumpriram mandados de busca e apreensão na residência de outro comparsa do bando identificado como Jailson Gonçalves de Jesus, o “Hit Hill”.

Comentar

   

Histórico de Conteudo

Abril / 2014

Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930
Site Auditado pelo IVC - Bahia Noticias

Enquete

Quais serão os reflexos do caso Pasadena no cenário da política baiana?

Artigos

Aline Castelo Branco
Educação sexual evita violência

Veja mais