Senhor do Bonfim: MP recomenda que prefeitura não promova ‘guerra de espadas’
Foto: Reprodução / TV São Francisco

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) recomendou à prefeitura de Senhor do Bonfim, no Piemonte Norte do Itapicuru, que não promova, prepare, apoie ou coopere com a “guerra de espadas” na cidade. Na terça-feira (13), o município, que tem tradição nos festejos juninos, sancionou o projeto de lei que transforma a tradicional guerra de espadas em patrimônio cultural e imaterial da cidade. Antes, a proposta tinha sido aprovada pela Câmara de Vereadores em maio (lembre aqui). Conforme o MP, via G1, a recomendação diz que quem for pego participando da "brincadeira" pode ser preso em flagrante e responder pelo crime previsto na lei de combate à posse e comercialização de armas de fogo e munição. A pena é de três a seis anos de prisão, além de pagamento de multa. Em Senhor do Bonfim, a medida, no entanto, divide opiniões na cidade. Alguns moradores apoiam o acontecimento, enquanto outros defendem o fim da prática por conta dos perigos de queimaduras nos participantes. No São João de 2016, ao menos 19 pessoas tiveram ferimentos no município por conta da guerra de espadas.

Histórico de Conteúdo