Sexta, 29 de Dezembro de 2017 - 19:20

Quatro juízes se declaram impedidos de julgar habeas corpus de Ricardo Machado

por Lucas Arraz

Quatro juízes se declaram impedidos de julgar habeas corpus de Ricardo Machado
Foto: Reprodução / Tia Cândia

Mesmo com habeas corpus impetrado, Ricardo Machado, ex-prefeito de Santo Amaro investigado por desvios de R$ 20 milhões durante a gestão de 2012 a 2016, aguarda em cárcere que seu processo pare, enfim, nas mãos de um magistrado do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA). Quatro juízes plantonistas da Corte se declaram impedidos de realizar o julgamento do processo que foi protocolado desde a última quarta-feira (27) e, até que um juiz dê seu parecer, o petista permanece cumprindo prisão preventiva. O primeiro juiz a renegar o processo foi o plantonista Álvaro Marques de Freitas Filho, que se declarou impedido de apreciar o caso por ser ex-marido e pai da filha de uma das magistradas que atuou na fase inicial da investigação que levou Machado para cadeia. Em seguida, o processo foi para o juiz Marcos Adriano Silva que negou a deliberação do caso por ter atuado, como juiz de primeiro grau de jurisdição, na investigação. A longa trajetória do habeas corpus então chegou até a juíza Maria do Socorro Santa Rosa Habib, que usou o envolvimento de seu cônjuge em um processo relativo ao caso Adsumus, como advogado, como justificativa para passar à bola para a Adriana Sales Braga que, por sua vez declarou que tem um descendente com o juiz do primeiro grau que julgou o caso. O fato, então, a torna impossibilitada de apreciar o pedido.

Histórico de Conteúdo