Camaçari: Grupo é resgatado de obra em trabalho análogo ao escravo
Foto: Reprodução / Google Street View

Auditores Fiscais do Ministério do trabalho resgataram, na última quinta-feira (10), cinco trabalhadores que estavam em condições de trabalho análogas ao escravo no município de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS). Aliciados na cidade sergipana de Lagarto, os trabalhadores estavam em obras de uma loja de calçados, sob responsabilidade de uma empresa de engenharia, para atividades de pedreiro e servente. A jornada diária de trabalho era de até 16 horas, sem carteira assinada. Todos dormiam em colchonetes colocados sobre papelão, no canteiro de obras. Segundo o G1, o Ministério do Trabalho informou que o grupo fazia as necessidades fisiológicas em uma área do canteiro e não possuía local adequado para refeição, que era preparada com o uso de um fogão portátil. A fiscalização buscava averiguar um acidente ocorrido com um dos trabalhadores da obra, que caiu do telhado do imóvel de dois pavimentos. Não há detalhes sobre o acidente. O empregador foi notificado para regularização do vínculo empregatício e pagamento das verbas rescisórias dos resgatados, além da liberação da guia do Seguro Desemprego.

Histórico de Conteúdo