Inspirado em 'tio brigão', Robson Conceição foge de confusão: 'Gosto de brigar no ringue’
O ano de 2018 será decisivo para o boxeador baiano Robson Conceição. Ele pretende acumular as vitórias necessárias para se credenciar à disputa do cinturão da categoria super pena (até 58,9 kg) até o início do próximo ano. Medalha de ouro nos Jogos Olímpicos Rio-2016, o pugilista vai subir no ringue pela sexta vez na carreira profissional no próximo dia 16. Ele vai encarar o hondurenho Jayro Duran. Invicto, Robson tem um cartel de quatro nocautes e uma vitória por decisão dos juízes. Já Duran, acumula 11 vitórias, sendo dez por nocaute, e quatro derrotas. A reportagem do Bahia Notícias acompanhou Robson Conceição numa manhã de treino com sparring na Academia Champion, de Luiz Dorea, ex-treinador do ex-campeão mundial de boxe Acelino Popó Freitas, e do também ex-campeão, mas de UFC, Junior Cigano. Em entrevista ao site, Robson falou da sua preparação para este primeiro desafio do ano e contou que descobriu o boxe através do tio brigão de rua, que tinha como ídolo na infância. Mesmo assim, garante que foge de qualquer confusão fora dos ringues.

Leia mais

No Atlântico, Ricardo Silva valoriza história no Vitória e relembra vice da Copa do Brasil
A história do Vitória em decisões de títulos nacionais pode ser contada nos dedos. E, num deles, está a final do Brasil de 2010, cujo comando era do técnico Ricardo Silva, na final perdida para o Santos de Neymar, Robinho, Ganso e André. Embora tenha chegado próximo da glória nacional inédita para o clube baiano, o técnico de 58 anos pouco usufruiu deste feito ímpar na história rubro-negra. Atualmente comandando o Atlântico no Campeonato Baiano, ele valoriza o segundo lugar no torneio nacional e diz que qualquer treinador que chegue ao Leão terá que suar para igualar seus números. “Qualquer treinador que chegue no Vitória e for campeão baiano, eu fui, do Nordeste, eu fui, se for vice da Copa do brasil, eu fui. Só vai me passar se for campeão da Copa do Brasil. Então, eu sou muito feliz”, brinca, em entrevista ao Bahia Notícias. Mesmo ostentando um aproveitamento de 59% à frente da agremiação, ele também se considera pouco lembrado quando o clube precisa de um técnico novo. “Mas eu nunca vi nessas enquetes colocarem meu nome. Nunca vi meu nome numa enquete para dirigir o time de novo. Eu nunca tive empresário. Eu só pensava no Vitória”, desabafa. Como comandante rubro-negro, Ricardo Silva venceu 48 vezes, empatou 19 e perdeu outras 25. Além de ser derrotado apenas quatro vezes dentro do Barradão, ele nunca sofreu um revés dentro do estádio pela Copa do Brasil. Ele também é o técnico que mais dirigiu o Vitória dentro da competição, com 18 partidas. Com o Atlântico, ele projeta a semifinal do Baianão e comemora a possibilidade de ter feito uma pré-temporada mais extensa no Tubarão.

Leia mais

Gordilho diz que 'blindou' elenco para contornar descrença no Vitória: 'Arrumamos a casa'
Ex-presidente interino do Vitória, Agenor Gordilho ficou cinco meses à frente do clube após a licença e renúncia de Ivã de Almeida. Quando assumiu o posto em julho, o Rubro-negro baiano vivia um momento turbulento dentro e fora das quatro linhas. Por isso, o cartola fez um balanço positivo de sua gestão. "Pegamos o Vitória em uma situação difícil. O time só tinha 12 pontos e estava na penúltima posição. Contratamos o técnico Vagner Mancini, o diretor de futebol Cleber Giglio e o CEO Marcos Chiarastelli. Antes de Mancini chegar e eu assumir, tínhamos 25% de aproveitamento. Em 16 jogos foram 10 derrotas, três vitórias e três empates. Muita gente já dizia que o Vitória estava rebaixado, mas conseguimos a permanência na Série A e também arrumamos a casa”, afirmou. Gordilho ainda revelou que não tem questões pessoais a resolver com Ivã de Almeida, mas fez críticas ao ex-presidente. “Não tenho nenhum problema com a pessoa Ivã de Almeida. Ele não tem me procurado e nem eu o procurei. Se ele me procurar, atenderei sem nenhum problema. O que eu não concordava era com o tipo de gestão dele. E eu me afastei por não concordar. Até me manifestei nas redes sociais. Quando ele se licenciou, assumi e conseguimos fazer os ajustes necessários”, declarou. Gordilho ainda desejou sorte para Ricardo David, novo presidente da agremiação. “Fizemos a transição com tranquilidade. E agora vou continuar como torcedor do Vitória e espero que Ricardo David faça uma boa gestão. Ficarei na arquibancada e só vou dar palpite se for chamado. Sou torcedor do Vitória e quero o melhor para o clube”, comentou. 

Leia mais

Terça, 19 de Dezembro de 2017 - 11:00

Com fim de gestão, Marcelo Sant'Ana fala sobre conquistas e promessas não cumpridas

por Ulisses Gama / Leandro Aragão

Com fim de gestão, Marcelo Sant'Ana fala sobre conquistas e promessas não cumpridas
Vivendo os seus últimos dias como mandatário máximo do Esporte Clube Bahia, Marcelo Sant’Ana concedeu entrevista exclusiva ao Bahia Notícias, entre o processo de transição para a nova gestão capitaneada por Guilherme Bellintani e o seu vice-presidente Victor Ferraz, que começa oficialmente nesta terça-feira (19). Sant'Ana fez um balanço do triênio do seu mandado, que começou no ano de 2015 e falou sobre tudo. Ele não fugiu de temas espinhosos, lembrou os momentos de crise e não deixou o repórter no ar quando questionado sobre as promessas não cumpridas. Após três anos de altos e baixos, alegrias e tristezas, conquistas e frustrações, Marcelo deixa a presidência feliz com o trabalho feito. "Acredito que fizemos um trabalho muito bom para o clube em diversas áreas", afirmou. "A autoestima (do torcedor) hoje é muito melhor do que era há três anos", completou. Confira a última entrevista de Marcelo Sant’Ana como presidente do Bahia ao BN, antes de passar o bastão para Bellintani e assumir uma cadeira no Conselho Deliberativo do clube, no qual também foi eleito na votação presidencial.

Leia mais

Terça, 12 de Dezembro de 2017 - 17:00

Tiago Ruas se diz independente e promete projeto especial para a base do Vitória

por Glauber Guerra

 Tiago Ruas se diz independente e promete projeto especial para a base do Vitória
Conselheiro do Vitória e candidato a presidente do clube, Tiago Ruas se diz independente. O pleito acontece nesta quarta-feira (13), no Barradão. “Minha candidatura é totalmente independente, inclusive é um projeto que a gente tem de lançar um candidato ficha limpa, um candidato que não tenha vínculos com ex-diretores, com políticos que tentam influenciar na vida do clube”, afirmou.  Ruas ainda prometeu implantar um projeto especial para as divisões de base da agremiação. “O projeto DNA Rubro-Negro, esse projeto teve até um esboço agora recente, com Petkovic, é algo bem parecido que eu já tinha. Não é novidade no mercado do futebol, basicamente consiste em trazer para o clube um estilo do clube de jogar. Isso a Alemanha vem fazendo com todas as suas categorias de base, o Barcelona, Real Madrid, esses times hoje tem essa questão de criar uma identidade do clube. Por isso veio o nome com relação a identidade, o DNA. Então esse para mim é o projeto mais importante, porque o que o Vitória sofre hoje é em relação a base. Os jogadores sobem da base e chegam perdidos no profissional, eles não seguem um padrão. Vem sendo trabalhados de uma forma e quando chega ao profissional pegam métodos e critérios totalmente diferentes”, destacou. 

Leia mais

Presídio fala em 'caça aos bruxos' do Vitória e garante implantar gestão participativa
Gilson Presídio, candidato à presidência do Vitória, garante que irá fazer uma “caça aos bruxos”, caso seja eleito.  Ele pretende fazer uma auditoria para investigar as contas dos clubes das gestões passadas.  “Vamos fazer uma caça aos bruxos para reaver esses recursos que foram usurpados do Vitória (...) Eu tenho como fazer isso, eu tenho formação para isso, eu sou auditor e vou mais fundo nesses indícios desse conluio”, afirmou.  Presídio ainda afirmou que todas as decisões no clube serão tomadas em conjunto com o sócio-torcedor. “Minha maior proposta seria essa, de implantar uma verdadeira democracia no clube. Eu estou chamando de “Democracia Vitoriana”. Por exemplo, nós vamos ter que contratar um diretor de futebol, nós vamos ter que contratar técnico, nós vamos ter que contratar jogadores, então eu vou ao mercado, dentro das condições do Vitória, e vejo quais profissionais o Vitória teria condição de contratar. O diretor de futebol A, B, C e D, qual você prefere? Eu faço essa consulta aos sócios. O que ganhar, que tiver maioria dos votos, vai ser o primeiro a ser contactado. O sócio é que vai tomar as decisões, eu não vou tomar decisão sozinho, porque eu entendo que torcedor é muito emotivo, é muito coração. Ao mesmo tempo em que ele quer trazer uma pessoa para o clube, ele quer tirar. Então eu acho que ele participando da decisão, ele vai se sentir mais responsável e vai pensar duas vezes e voltar a fazer outra alteração. Isso para dirigente de futebol. Técnico eu vou questionar “mantenho o técnico atual ou não?”, se não, “no mercado o Vitória pode contratar esse ou esse, você quer qual técnico?”.  Sem dúvida que teria enquete, eu já estou fazendo antes da eleição, já criei um grupo no WhatsApp. Lá na frente a gente pode evoluir para uma outra ferramenta”, destacou. O que te motivou a ser candidato? Veja, eu sou torcedor do Vitória há muito tempo, lógico, e acompanho o Vitória. Foi uma surpresa para mim esse pleito agora, essas eleições, eu imaginava mais na frente um pouco, aposentado, alguma coisa assim, ser candidato. Mas como teve essa situação da renúncia do presidente, e só precisaria uma pessoa para disputar a eleição, não precisava mais ter 150 ou 200 conselheiros, eu vi a possibilidade de deslanchar. E achei que os candidatos que estavam antes do professor Raimundo Viana se colocar, eram candidatos, que além de não me representar, tinham outras pessoas por trás que prejudicaram muito, foram maléficas ao Vitória. Eu entendia que tinha espaço para ocupar essa disputa, e de fato está acontecendo. 

Leia mais

Segunda, 11 de Dezembro de 2017 - 17:00

Ricardo David garante priorizar o futebol e promete gestão 'transformadora' no Vitória

por Glauber Guerra

 Ricardo David garante priorizar o futebol e promete gestão 'transformadora' no Vitória
Ex-diretor de marketing do Vitória, Ricardo David é candidato à presidência da agremiação. Ele se diz motivado e garante priorizar o futebol caso seja eleito. “O Vitória é um time de futebol, então é o futebol que tem que ser o principal aspecto a ser abordado. Eu diria que nós temos a importância e relevância do nosso centro de inteligência de mercado. Nós temos que passar a ter uma postura observadora, mas muito mais profissionalizada. Temos que estar constantemente em monitoramento e usar isso como requisito para contratação de nossos jogadores. Não podemos mais estar à mercê da oferta de empresários, nós é que precisamos ir atrás. Isso aliado ao fortalecimento da divisão de base, que eu diria que seria a coisa mais importante. Voltar a dar à nossa divisão de base a importância que ela precisa ter. Nós precisamos empregar as novas metodologias na divisão de base, precisamos filmar os treinamentos, criar os scouts de nossos atletas, porque formar uma base mais eficiente não só vai nos levar a ter um elenco com identidade, mas também vai servir para que tenhamos produtos a serem ofertados ao mercado”, afirmou. Ricardo ainda prometeu uma gestão “transformadora”.  “Eu tenho certeza que tenho condições da fazer uma gestão transformadora no Vitória”, pontuou. 

Leia mais

 Raimundo Viana prega fortalecimento da base e quer Vitória com elenco 'valente e ganhador'
A série de entrevistas do Bahia Notícias com os candidatos à presidência do Vitória continua. Desta vez, o bate-papo é com Raimundo Viana, que dirigiu o clube entre março de 2015 e dezembro do ano passado. Viana apresentou seus projetos e prometeu fortalecer a divisão de base, além de tirar o projeto da Arena Barradão, bem como ampliar receitas. “Primeiro uma arena, segundo uma grande divisão de base para revelar valores e também enfrentar e ganhar competições. Em terceiro, uma grande estrutura de marketing, para ampliar o prestígio da marca Vitória. É preciso ampliar não só o quadro de sócios, mas também a captação de recurso via licenciamento de produtos. A nossa receita hoje é fundamentalmente de televisão. É preciso diversificar isso, ampliar as áreas de captação de recurso fora da dependência da televisão. Infelizmente, mais uma vez é uma administração curta, dois anos só, mas não podemos ficar preocupados como tempo curto, porque o trabalho já começa amanhã, depois da eleição”, afirmou. Viana ainda prometeu montar um elenco “valente e lutador”. “Vou redefinir critérios de gestão em áreas estratégicas do clube. Marketing, Sou Mais Vitória, futebol profissional, fazendo um time valente, lutador, ganhador, vencedor”, pontuou. 

Leia mais

Quarta, 06 de Dezembro de 2017 - 17:00

Manoel Matos promete 'choque de gestão' e elenco competitivo no Vitória

por Glauber Guerra

Manoel Matos promete 'choque de gestão' e elenco competitivo no Vitória
Ex-vice presidente do Vitória entre março de 2015 e dezembro do ano passado, Manoel Matos é candidato à presidência da agremiação, no pleito marcado para a próxima quarta-feira (13), no Barradão, após a renúncia de Ivã de Almeida. Manoel promete fazer um choque de gestão, caso seja eleito. “No primeiro momento vamos fazer um choque de gestão. Em 2015 não houve choque porque tinha uma gestão enxuta, agora não. Trazer uma empresa para gerenciar não é solução para o Vitória. Trazer um executivo, não é isso. Existiam os cargos lá, não teve mudança em relação a isso. O que vamos fazer é choque de gestão aliado a gastar dinheiro no futebol, com responsabilidade e aprovação do conselho. Tudo que vamos fazer a partir de janeiro será aliado ao conselho, eu não tenho problema de ser obediente”, afirmou.  Manoel Matos também garantiu montar um time competitivo e comentou dos apoios de Paulo Carneiro, Alexi Portela e Adhemar Lemos Júnior.

Leia mais

Segunda, 27 de Novembro de 2017 - 16:00

Com 'paixão forte' pelo Bahia, Abílio quer gerir o clube 'pensando na torcida'

por Ulisses Gama

Com 'paixão forte' pelo Bahia, Abílio quer gerir o clube 'pensando na torcida'
Postulante à presidência do Bahia pela chapa "Mais um, Baêa!" (MUB), Abílio Freire foi mais um ouvido pelo Bahia Notícias sobre as eleições do clube, que ocorrem no próximo dia 9 de dezembro. Torcedor de arquibancada desde jovem e idealizador do MUB, o advogado diz estar preparado para assumir o clube e prega a união do clube e da torcida para evoluir. "Se você me chamar um dia para discutir astronomia, tenha certeza de que eu vou ler bastante sobre isso, para poder conversar com você. Se me chamar para discutir gastronomia, a mesma coisa. No caso do futebol, como era um ambiente novo, com relação às questões técnicas, às questões internas, de bastidores, já que eu não joguei bola, então eu fui buscar a qualificação. E aí fui indicado para fazer um curso de gestão de futebol, na Universidade do Futebol, em São Paulo, que dizem que é um dos melhores do Brasil. E lá desenvolvi outros cursos, não só na universidade, como fora dela. Então além de gestão do futebol, a gente tem curso de marketing esportivo, especialização em direito desportivo, estudamos sobre a liga americana de futebol, fizemos curso sobre o futebol inglês, o alemão, o espanhol, tem curso sobre táticas e técnicas, que é uma noção preliminar para quem quer ser treinador… Eu acho importante você entender os conceitos, entender as tecnologias. E também tem um curso de divisões de base. As motivações, o que leva ao fortalecimento dentro de uma divisão de base forte, o que pode render pro clube financeiramente… ou seja, uma visão empresarial das divisões de base", declarou. Durante a entrevista ao BN, Abílio também falou ter sido acusado, em 2008, de estar envolvido em um esquema de vendas de sentenças do Tribunal de Justiça da Bahia, descoberto pela Operação Janus. "A juíza pediu o detalhamento da participação de cada um dos acusados naquilo que foi acusado, e ele veio detalhando cada caso, e quando chega na questão relacionada ao meu nome, ele responde tranquilamente que ele “não se recorda de nenhuma situação que tenha implicado em crimes para o advogado Abílio. Então isso obviamente traz pra gente uma tranquilidade muito grande, por saber que a justiça foi feita e que a verdade apareceu", explicou. Confira a entrevista completa:

Leia mais

Histórico de Conteúdo