Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quinta, 27 de Janeiro de 2022 - 10:28

Salvador não recebeu R$ 1 dos governos federal e estadual, reclama Bruno Reis

por Gabriel Lopes / Erem Carla

Salvador não recebeu R$ 1 dos governos federal e estadual, reclama Bruno Reis
Foto: Gabriel Lopes / Bahia Notícias

O prefeito Bruno Reis questionou nesta quinta-feira (27), as exigências feitas pelo Ministério da Saúde em relação a vacinação de crianças de 05 a 11 anos contra a Covid-19. De acordo com o gestor, as burocracias impostas estão atrapalhando o ritmo da imunização desse público na capital baiana. 

 

“Nós da prefeitura temos menor poder de decisão e mais atribuições. As vacinas chegam no aeroporto e quem vai buscar é a prefeitura. Estamos desde 19 de janeiro de 2021 com 1.800 profissionais trabalhando praticamente de domingo a domingo, a prefeitura pagando essa conta sozinha sem um real de ajuda do governo do estado ou do governo federal, que ficam só tomando decisões”, disse Bruno. 

 

O gestor ainda apontou a exigência dos termos de autorização e da espera de 20 minutos após a vacinação como principais fatores para o baixo índice vacinal dos público infantil em Salvador. 

 

O público de 12 a 17 anos também precisou apresentar termo de autorização e 93% das crianças e adolescentes foram vacinados. Quanto ao público de 05 a 11 anos, atualmente 21% receberam a imunização.

 

"O maior problema é a exigência dos 20 minutos que não faz sentido, não tem justificativa técnica científica para essa exigência”, afirmou o prefeito.

 

Bruno ainda disse que o Ministério Público questionou sua declaração de que se houvesse aglomeração, iria suspender os 20 minutos de espera (veja aqui). 

 

“E se não cumprir (as exigências), o responsabilizado sou eu. Quer tirar as exigências da declaração dos pais para vacinar os filhos, dos 20 minutos de espera que não faz sentido nenhum? É só o Ministério Público me mandar um papel”, afirmou.

Histórico de Conteúdo