Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Astrazeneca e Fiocruz negociam novo contrato para aquisição de IFA para 50 milhões de doses
Foto: Peter Ilicciev/Biomanguinhos

Um novo contrato para fornecimento de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) para fabricação de 50 milhões de doses vacinas contra Covid-19 está sendo firmado entre a farmacêutica AstraZeneca Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Conforme apuração da CNN Brasil, a negociação deve ser concluída e assinatura deve ocorrer até sexta-feira (11).

 

O material virá da China e o acordo, segundo a reportagem, servirá para garantir IFA importado e, assim, não interromper a entrega de vacinas entre julho e outubro, mês previsto para o começo da entrega de doses 100% feitas no Brasil. Ainda não foram divulgados detalhes do acordo.

 

Atualmente tanto Fiocruz quanto o Instituto Butantan dependem da importação de IFA para produzirem vacinas. Os dois laboratórios brasileiros já tiveram que paralisar a produção de imunizantes por falta de insumo.

 

A Fiocruz espera receber no sábado (12) um lote de IFA suficiente para garantir doses de vacina ao Programa Nacional de Imunização (PNI) até julho.

 

Como o primeiro lote de vacina 100% nacional só deverá ser entregue em outubro, o vice-presidente da Fiocruz, Marco Krieger, admitiu à CNN que a fundação enfrentará dificuldade para continuar a produção nos meses de agosto e setembro, caso não receba mais IFA. Ontem, em depoimento à CPI da Pandemia, no Senado, o ministro da Saúde Marcelo Queiroga admitiu a possibilidade de um “hiato” na entrega de doses.

Histórico de Conteúdo