Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Condições para transferência de pacientes do AM 'blindaram' baianos de variante da Covid
Foto: Reprodução/Pixabay

A definição de critérios pela Bahia para que o estado possa receber pacientes transferidos do Amazonas (lembre aqui) pode ter evitado que pessoas infectadas com a nova variante da Covid-19 viessem para o estado.

 

Acontece que durante uma reunião com outros secretários nessa quarta-feira (27), o titular da Saúde do Amazonas, Marcellus Campêlo, apresentou números que não deixam dúvida que os 350 pacientes transferidos para outros estados estavam infectados com a nova cepa do coronavírus. A frequência de linhagem da variante encontrada em janeiro foi de mais de 90% no Amazonas (leia aqui).

 

A transferência de pacientes de Manaus, no Amazonas, para a Bahia (leia mais aqui e aqui), estava prevista para a noite do dia 19 de janeiro, mas não aconteceu. De acordo com o secretário da Saúde do estado, Fábio Vilas-Boas, uma reunião aconteceu naquele dia para definir critérios e o perfil dos pacientes para que a Bahia pudesse aceitá-los, justamente para evitar a contaminação pela noca cepa por aqui.

 

“Fechamos ontem a noite um perfil de pacientes que virão pra cá. Estamos solicitando que não enviem pacientes com chance de coronavírus ativo para não trazer a variante que foi detectada no Amazonas para a Bahia (entenda aqui)”, explicou nesta quarta-feira (20).

 

Ainda conforme o secretário, os transferidos de Manaus serão prioritariamente pacientes com câncer, infarto ou outras doenças que precisam de UTI, ou aqueles com Covid-19, mas após pelo menos 10 dias e que não estejam mais infectando.

Histórico de Conteúdo