Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Estudo da USP identifica que melatonina impede infecção pelo coronavírus
Foto: Reprodução/Pixabay

Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) identificaram que a melatonina produzida no pulmão atua como uma barreira contra o SARS-CoV-2.

 

Eles perceberam que a melatonina impede a expressão de genes codificadores de proteínas de células como os macrófagos residentes, presentes no nariz e nos alvéolos pulmonares, e as epiteliais, que revestem os alvéolos pulmonares e são portas de entrada do vírus. Dessa forma, o hormônio impossibilita a infecção dessas células pelo vírus.

 

De acordo com reportagem da agência Fapesp sobre a descoberta, ela vai ajudar a compreender por que algumas pessoas que não são infectadas ou que estão com o vírus, detectado por teste do tipo RT-PCR, e não apresentam sintomas da Covid-19.

 

A descoberta também abre possibilidade para o uso da melatonina administrada por via nasal – em gotas ou aerossol – para impedir a evolução da doença em pacientes pré-sintomáticos. Para comprovar a eficácia terapêutica do hormônio contra o novo coronavírus, porém, será necessária a realização de uma série de estudos pré-clínicos e clínicos, sublinham os autores do estudo.

 

Um artigo com os resultados obtidos foi publicado revista Melatonin Research.

Histórico de Conteúdo