Modelo matemático de isolamento poderia ter poupado vida de mais de 300 baianos 
Foto: Bahia Notícias

A aplicação de um modelo matemático que calcula o distanciamento social adequado de modo que se equilibre fatores de saúde e econômicos poderia ter poupado cerca de 300 vidas e mais de 20 mil pessoas da infecção pelo coronavírus na Bahia. 

 

O sistema foi elaborado por um grupo Internacional de Engenharia de Controle para Enfrentamento do Covid-19, com o objetivo de ponderar demandas dos principais setores envolvidos na pandemia e desenvolver alternativas sustentáveis de aplicação de restrições.

 

O grupo é formado pelo professor Marcus Americano da Costa, da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Igor Pataro da Universidade de Almería na Espanha, e Marcelo Menezes Morato e Julio E. Normey Rico da Universidade Federal de Santa Catarina. Eles ainda trabalham em conjunto com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a Rede CoVida e o Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para Saúde (Cidacs).

 

A proposta dos especialistas se baseia na análise de dados da pandemia e em cálculos matemáticos no sentido de otimizar fatores de saúde e econômicos de maneira que se minimize o número de leitos clínicos e de UTI.

 

Marcus Americano explica que o modelo prevê um cálculo semanal de grau de distanciamento necessário para manter a epidemia controlada sem afetar totalmente a economia. Nesse molde, seria necessário mapear o isolamento social, a fim de propor uma porcentagem de distanciamento que iria determinar o índice de fechamento dos setores econômicos em pontos determinados da cidade.

 

"Para a Bahia, nossos resultados preliminares estimam uma redução de 16% para o número de infectados acumulados e de 10% para os casos letais em um horizonte de 2 meses", disse Marcus. "Isso numa estimativa bem conservadora, podendo chegar a diferenças maiores nas situações mais otimistas", completou o professor da Ufba.

 

De acordo com o boletim da Secretaria da Saúde (Sesab) desta terça-feira (28), o estado soma 153.313 infectados desde o início da pandemia, e 3.270 mortes causadas pela infecção da Covid-19.

 

O professor estima que com o sistema aplicado desde o início da epidemia, seriam 23.857 infectados e 322 mortes a menos, "e sem precisar políticas de isolamento social tão rigorosas".

Histórico de Conteúdo