Grávida morre na Índia por não conseguir vaga em 8 hospitais; Saúde do país está em colapso
Foto: Reprodução/Pixabay

Uma indiana em trabalho de parto morreu após procurar oito hospitais e não conseguir vaga para atendimento. A vítima, chamada Neelam Gautam, tinha 30 anos e estava no 8º mês de gestação. 

 

Neelam sentiu dores e falta de ar e imaginou que fossem contrações. Ela foi junto com o marido para o hospital procurar ajuda, mas foi recusada nas oito unidades. Após 15 horas de procura, ela não resistiu e morreu, assim como o bebê. De acordo com reportagem da revista Época, a recusa aconteceu por ela apresentar sintomas característicos da Covid-19 e estado de risco.

 

A falta de ar, sintoma da Covid-19, fez com que os médicos suspeitassem da doença causadapelo novo coronavírus, mas Neelam não foi testada. Até o início de junho, foram realizados apenas 5 milhões de testes na Índia, cuja população beira 1,3 bilhão de pessoas. 

 

O sistema de Saúde da Índia está em uma situação difícil. Dados da universidade americana Johns Hopkins, que acompanha dados do mundo desde o início da pandemia, mostram que o país é o quarto do mundo em número de casos, registrou mais de 425 mil infectados e quase 14 mil mortes por causa do coronavírus. 

 

A matéria relaciona o crescimento no número de casos no país a flexibilização do lockdown no início do mês, determinada pelo governo. Conforme apurado pela Época, com os leitos lotados, hospitais da região metropolitana de Nova Délhi passaram a rejeitar novos pacientes. Muitos profissionais de saúde estão com medo de socorrer pessoas com coronavírus.

Histórico de Conteúdo