Crianças podem ter 56% menos chance de infecção por coronavírus, indica pesquisa
Foto: Reprodução/Pixabay

Após a análise de mais de seis mil artigos científicos sobre o novo coronavírus, pesquisadores da University College London (UCL) e da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres concluíram que  crianças e adolescentes (menores de 20 anos) podem ter 56% menos chance de contrair o vírus. As informações são de reportagem da revista Super Interessante. 

 

Entre os milhares de trabalhos, os pesquisadores separaram 18 que traziam informações relevantes sobre a infecção em crianças. De acordo com a reportagem, os  relatórios mostravam informações sobre testes de vírus e anticorpos, rastreamento da transmissão e também dados sobre grupos de infecções domésticas. 

 

A matéria destaca que não houve ensaio clínico envolvendo crianças e adultos para confirmar a hipótese, então as evidências são consideradas preliminares.

 

Os cientistas identificaram teses que apontavam que as crianças têm menos chances de pegar o vírus, e deste modo teriam menos chances de transmitir o vírus. Em um dos artigos analisados, foi constatado que, de 31 casos da Covid-19, apenas três poderiam ter uma criança como vetor. 

 

A tese ainda gera questionamentos, e para ser comprovada ou não precisaria de um sistema amplo de rastreamento de casos. 

 

Um dos pontos levantados e destacado na reportagem é de que as crianças podem até não desenvolver quadros graves, mas ainda podem agir como vetores assintomáticos do vírus.

Histórico de Conteúdo