Especialista aponta que 'se Brasil parar por 2 semanas, é possível evitar as 125 mil mortes'
Foto: Reprodução/TV Globo

Após analisar o crescimento de casos do coronavírus no Brasil, o especialista das projeções feitas pelo Instituto de Métrica da Universidade de Washington (IHME) Ali Mokdad,  afirmou que a tendência de casos e mortes no país é alta e que a situação pode ser ainda pior se governo e população não levarem a crise a sério e adotarem "lockdown" por duas semanas. As projeções do IHME foram utilizadas pela Casa Branca como um dos principais modelos para monitorar Covid-19.

 

Mokdad deu entrevista à Folha de S. Paulo e explicou que ele e a equipe acompanham o avanço da pandemia no Brasil. Conforme atualização do instituto na segunda-feira (25), a expectativa de mortes pela doença no país passou de 88 mil para mais de 125 mil óbitos previstos até agosto.

 

"As infecções e mortes vão crescer e, o mais assustador, haverá a sobrecarga total do sistema de saúde", disse à Folha. O especialista ressaltou que se o Brasil cumprir o confinamento total por 14 dias, conseguirá controlar a propagação do vírus e poderá fazer a reabertura das atividades econômicas de maneira estratégica, e até de maneira mais rápida.

Histórico de Conteúdo