Cerca de 24% dos moradores de capitais brasileiras são hipertensivos, aponta pesquisa
Foto: Agência Brasil

A hipertensão atinge 24,7% dos moradores das capitais do Brasil, segundo dados obtidos pelo Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel 2018). Entre o grupo de entrevistados, 60,9% de pessoas com mais de 65 anos disseram ser hipertensas.

 

Entre os entrevistados com idades entre 45 e 54 anos, 49,5% afirmaram ter hipertensão. Os dados foram divulgados na semana passada. O Vigitel 2018 entrevistou 52.395 pessoas nas capitais brasileiras.

 

Segundo a Agência Brasil, a pesquisa apontou ainda que a doença, também conhecida como “pressão alta”, atinge mais pessoas no Rio de Janeiro, Maceió, João Pessoa e Vitória. Já São Luís, Porto Velho, Palmas e Boa Vista são as capitais com menor incidência de hipertensão entre seus habitantes.

 

Dados preliminares do Sistema de Informações de Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde ainda mostraram que, no ano de 2017, o Brasil registrou 141.878 mortes devido a hipertensão ou a causas relacionadas a ela. Este dado indica que 388,7 pessoas morreram a cada dia. Segundo o ministério, grande parte dessas mortes é evitável e 37% dessas mortes são precoces, ou seja, em pessoas com menos de 70 anos de idade.

Histórico de Conteúdo