Pesquisadores de São Paulo criam equipamento inédito no tratamento da fibromialgia
Foto: Reprodução

Pequisadores do Instituto de Física de São Carlos (IFSC) ligados a Universidade de São Paulo (USP) criaram um método inédito no tratamento da fibromialgia, síndrome que causa diversas dores no corpo por longos períodos.

 

De acordo com o  portal Viva Bem, do UOL, os integrantes do Grupo de Óptica obtiveram sucesso no controle das dores de 90% dos pacientes, graças a um equipamento pioneiro que faz o tratamento fotossônico. Aliado a nova tecnologia as pesquisas também se debruçaram a aplicação conjugada de ultrassom e laser terapêutico.  

 

Com o uso do fotossônico em toda a palma da mão, por exemplo, é preciso 10 sessões, duas vezes na semana com três minutos de duração em cada palma para atingir a eficiência do tratamento. Enquanto que a fisioterapia, o método tradicional, faz o tratamento diretamente nos pontos específicos de dor. 

 

"O aparelho de ultrassom já é usado tradicionalmente na fisioterapia, em reabilitações. A propagação de ondas sonoras promove uma agitação e aquecimento nos tecidos biológicos, estimulando vasos sanguíneos, homogeneizando e melhorando a eficiência das ações metabólicas, enquanto o laser atua por meio da penetração da luz no nível bioquímico. Assim, desencadeia a liberação de endorfinas, inibindo a dor. Além disso, a emissão tem efeito regenerativo, como comprovado em diferentes casos de reabilitação, ou mesmo em cirurgias plásticas, na reposição de colágeno. A sobreposição dos dois métodos concilia os estímulos, gerando um resultado ampliado", explicou Vanderlei Bagnato, professor e diretor do Instituto de Física de São Carlos. 

Histórico de Conteúdo