Ações de alerta sobre riscos da leptospirose são realizadas em bairros de Salvador
Foto: Bruno Concha/Secom

Alertas sobre os riscos da leptospirose, doença transmitida pela urina do rato, além da identificação e combate a situações que propiciam a presença de roedores, são o objetivo de ações realizadas pela prefeitura de Salvador em alguns bairros da cidade. Nesta quarta-feira (8) foi a vez do Bomfim, e nesta quinta (9) e sexta (10) as localidades de Mata Escura e Pau da Lima serão o alvo, respectivamente.

 

Cerca de 100 servidores estão envolvidos nas ações entre agentes de combate às endemias, biólogos e veterinários. Antes das equipes irem até o local realizar a intervenção química, o espaço é avaliado por um técnico que identifica a presença e espécie de rato para iniciar o processo.

 

Durante a ação na localidade conhecida como Estaleiro, no Bonfim, foi feita a aplicação do raticida em blocos parafinados nos bueiros para erradicação dos ratos. A substância é colocada de forma cuidadosa nos ambientes com infestação durante três ciclos, ocorridos de oito em oito dias, até a eliminação total da ameaça. Para se certificar de que o tratamento foi eficaz, as equipes realizam um levantamento inicial de Índice de Infestação de Roedores e outro ao final, após o término dos ciclos.

 

Segundo a prefeitura de Salvador, entre janeiro e abril deste ano foram registrados 26 casos suspeitos de leptospirose na capital da Bahia. A chefe do setor de combate à leptospirose, Cristiane Yuki, reforçou a necessidade da população também se mobilizar. “A intervenção química é um paliativo. Os ratos vão morrer. Mas, se a população continuar acumulando entulhos, descartando lixos e alimentos de forma inadequada, outros ratos irão aparecer. É um trabalho que deve ser feito em conjunto. A população precisa se educar para que, juntos, possamos combater a proliferação dos roedores e da doença”, ressaltou.

Histórico de Conteúdo