Pesquisadores da USP avançam em estudo sobre uso de própolis em doentes renais
Foto: Mel_Gama / Pixabay

Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) estão avançando nos estudos que podem comprovar a eficácia do própolis no tratamento de seis milhões de pessoas que sofrem de doenças renais crônicas no Brasil. 

 

De acordo com o G1, 32 pessoas foram chamadas para o estudo, apresentando entre elas de 30% a 60% das funções renais comprometidas. Para efeito de posterior comparação, os voluntários foram divididos em dois grupos. Em um deles os pacientes fizeram o uso de quatro cápsulas de própolis por dia, já o outro consumiu um placebo sem nenhum tipo de efeito no organismo. 

 

Após um período de 12 meses foram notórios diferenças positivas entre os dois grupos. 
“Quem recebeu própolis acabou reduzindo a perda de proteína. Significa uma redução da inflamação renal e uma redução dessa perda de proteína, que é um indicador da progressão da doença renal crônica”, disse Marcelo Silveira, nefrologista e um dos pesquisadores do estudo. 

Histórico de Conteúdo