Crianças que não se vacinaram serão proibidas de frequentar escolas na Itália
Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

O governo da Itália implementou uma lei que obriga os pais a vacinarem crianças para que elas tenham permissão de frequentar a escola. O país atualmente enfrenta um surto de sarampo: em 2018, foram registrados 3.697 casos.

 

Os responsáveis que não cumprirem a nova determinação podem receber multa de até 500 euros (cerca de R$ 2.155). De acordo com a lei, são obrigatórias 10 imunizações, a exemplo das vacinas contra varicela, poliomielite, sarampo, caxumba e rubéola.

 

Segundo o jornal Extra, o prazo para comprovação de que as crianças estavam imunizadas terminou na última segunda-feira (11). "Todo mundo teve tempo de recuperar o atraso", afirmou a ministra da Saúde, Giulia Grillo. "Nenhuma vacina, nenhuma escola".

 

As autoridades italianas têm o objetivo de elevar as taxas de vacinação para 95%, meta estipulada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Histórico de Conteúdo