Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Hemoba registra aumento de mais de 30% no cadastro de doadores de medula
Foto: Getty Images
O número de cadastros de medula óssea na Bahia apresentou um aumento de mais de 30%, com relação aos cadastros de 2014 e 2015, segundo a Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba). Atualmente, o Brasil tem o terceiro maior banco de dados do mundo e o segundo que mais cresce, atingindo a marca de 3,2 milhões de cadastros no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome) em 2013. Há dez anos, o banco contava apenas com 30 mil registros. Para a Hemoba, a Bahia tem contribuído de forma considerável para esse crescimento. Durante o ano de 2014, um total de 20.833 pessoas se cadastraram no Redome, já em 2015 foram 27.140 cadastros registrados, sendo que a meta estipulada pelo Ministério da Saúde é de 20 mil cadastros por ano para o estado. Como reflexo, as chances de se encontrar um doador não aparentado no Brasil passaram de 15% para mais de 80%, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer. Interessados em realizar cadastro de medula óssea no Hemoba devem ter entre 18 e 55 anos incompletos, além de boa saúde. É necessário preencher um formulário com dados pessoais e realizar a coleta de uma amostra de sangue com 5ml para testes de compatibilidade. Em caso de compatibilidade com um paciente, o doador é então chamado para exames complementares e para realizar a doação. 

Histórico de Conteúdo