Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Unicef afirma que mais de 700 milhões de mulheres se casaram na infância
Menina nigeriana/Foto: Reprodução
Uma denúncia da Unicef divulgada nesta terça-feira (22) afirma que mais de 700 milhões de mulheres no mundo se casaram quando ainda eram crianças. A organização, ligada à ONU, organiza em Londres uma conferência (“Girl Summit 2014”) sobre a luta contra os casamentos forçados e a mutilação genital feminina. De acordo com dados novos da Unicef, entre as 700 milhões de mulheres vítimas de casamentos forçados na infância, mais de um terço (250 milhões) tinham menos de 15 anos quando se casaram. Para a entidade, são consideradas crianças pessoas com menos de 18 anos de idade. Participa do encontro internacional, o pai de Malala Yousafzai, a menina paquistanesa que sobreviveu a um ataque dos talibãs e se converteu em militante pelo acesso das meninas a escolas. Em relação às mutilações genitais, praticadas principalmente em 29 países da África e do Oriente Médio, a Unicef disse que já existe uma melhora na situação desses locais. Ainda segundo a Unicef, o risco para uma adolescente sofrer mutilação genital diminuiu um terço em 30 anos. No Reino Unido, o governo britânico anunciará uma nova legislação que punirá pais que não impedirem a ablação do clitóris de sua filha. No início do mês, um relatório do Parlamento britânico classificou de escândalo nacional o fato de autoridades britânicas não conseguirem acabar com a ablação do clitóris, que no Reino Unido envolve 170 mil mulheres. Informações da France Press.


Histórico de Conteúdo