Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

UPA do Subúrbio Ferroviário fecha portas para atendimento; Médicos cobram salários atrasados
Foto: Reprodução
A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Escada, Subúrbio Ferroviário de Salvador, foi encontrada fechada nesta segunda-feira (28) pelo morador Leandro Silva. Ele levou a mãe, Antonia Santos, com crise de falta de ar ao posto de saúde, mas deu de cara com a porta trancada. O fato é motivado por uma paralisação de médicos que atendem no local, que é de responsabilidade do estado e administrado pela APMI [Associação de Proteção à Maternidade e Infância]. Os profissionais alegam atraso de salários do mês de março e o não cumprimento de acordos firmados com a administradora. Desde este sábado (26), eles decidiram manter o atendimento restrito à população e só atendem casos com risco vermelho, ou seja, emergência. Em nota enviada à redação, eles informaram que a paralisação do serviço já foi encaminhada ao Conselho Regional de Medicina da Bahia (Cremeb) e ao Sindicato dos Médicos da Bahia (Sindimed). Os médicos também acusam a administração de querer substituir a equipe, à revelia dos profissionais com salários atrasados, como forma de restabelecer o atendimento na unidade. Ainda segundo relato da equipe médica, parte dos funcionarios, o que inclui enfermeiros, também está sem receber vencimentos e vale-transporte há um mês. Os médicos também informaram que, quando aberta, os pacientes chegavam a ficar 12 horas na unidade à espera de atendimento.


Histórico de Conteúdo