Consumo de bebidas alcoólicas e sintomas de depressão cresceram na pandemia, diz estudo
Foto: Reprodução/Pixabay

A pandemia do novo coronavírus tem sido responsável por diminuir a renda, aumentar o consumo de bebida alcoólica e piorar o estado emocional dos brasileiros. É o que aponta uma pesquisa realizada pela Fiocruz, em conjunto com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Unicamp. As informações são da coluna Viva Bem, do Uol.

 

Segundo o levantamento, 55% das pessoas afirmaram que tiveram redução na renda familiar, e 7% estão sem nenhum rendimento. A parte mais afetada foi a população pobre, com renda per capita inferior a meio salário mínimo. A pesquisa aponta que 3% perderam o emprego e 21% ficaram sem trabalhar. Quanto ao consumo de cigarro, cerca de 23% aumentaram o consumo diário em quase 10 cigarros, e 5% estão fumando mais de 20 cigarros a cada dia.

 

A publicação ainda mostra que 18% dos entrevistados afirmaram que estão bebendo mais. A parcela que mais aumentou o consumo de bebidas alcoólicas foi a de adultos entre 20 e 39 anos, com 26%. Entre idosos, o crescimento foi de 11%. Cerca de 24% disseram que estão bebendo mais por estarem com sentimentos de tristeza e depressão.

 

Ao todo, 44.062 pessoas responderam ao questionário disponibilizado na internet entre os dias 24 de abril e 8 de maio.

 

Outro ponto analisado na pesquisa foi o nível de produtividade da população em meio à quarentena. Cerca de 40% das pessoas entrevistadas relataram dificuldades em grau moderado e intenso para realização das atividades de rotina e de trabalho.

 

Isso gerou uma piora na saúde do brasileiro, de acordo com 29% dos entrevistados. Metade daqueles que tinham alguma espécie de problema crônico de coluna relataram aumento da dor, e 40% das pessoas que não tinham esse problema disseram que começaram a sentir dores.

 

Houve também mudanças no estado de ânimo, já que 40% revelaram que se sentiram mais tristes, e 54% mais ansiosos. E isso influi diretamente na qualidade do sono, pois 29% dos entrevistados relataram que começaram a ter problemas para dormir, e 16% relataram que os problemas pioraram.

 

Outra coisa que também teve crescimento considerável foi o consumo de alimentos não saudáveis em dois dias ou mais por semana (5%).

 

A atividade física também foi muito afetada pelo coronavírus: 62% dos entrevistados alegaram que não se exercitam. Entre as pessoas que faziam atividade física por três ou mais dias por semana, 46% deixaram de fazê-la. Entre as que se exercitavam cinco dias ou mais por semana, 33% pararam.

 

O dado tem relação direta com o crescimento do tempo médio diário do brasileiro assistindo televisão. O crescimento foi de uma hora e 20 minutos em relação ao que era observado antes da pandemia, resultando em três horas por dia. 
 

Sexta, 29 de Maio de 2020 - 19:57

Na BA, mortes por Covid-19 chegam a levar em média 6,6 dias para entrar no boletim

por Rebeca Menezes / Ailma Teixeira

Na BA, mortes por Covid-19 chegam a levar em média 6,6 dias para entrar no boletim
Foto: Manu Dias / GOVBA

Com o acréscimo de 39 óbitos, a Bahia chegou a 609 mortes provocadas pela Covid-19 nesta sexta-feira (29). No entanto, nenhuma delas ao longo das últimas 24 horas. A Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), que divulga o boletim epidemiológico diariamente, ressalta que se tratam de falecimentos registrados num período de 36 dias e que essas “notificações tardias” estão sendo apuradas pela Auditoria do Sistema Único de Saúde (SUS) e pela Corregedoria.

 

O Bahia Notícias fez uma análise, compilando dados de todos os boletins divulgados pela Sesab, e constatou que a distância entre a data do óbito e a publicação já chegou à marca de 28 dias em um dos casos.

 

Se trata de um homem de 69 anos, residente em Salvador e que morreu em um hospital privado da cidade. Em ordem de registro, ele foi a 425ª vítima do novo coronavírus, falecido em 26 de abril. Mas o óbito foi publicado pela Sesab e, consequentemente, contabilizado pelo Ministério da Saúde, apenas no último domingo (24).

 

Nesse dia, inclusive, a pasta contabilizou o atual recorde de registros: em 24 horas, foram 47 mortes. Assim como no caso desta sexta-feira, nenhuma delas ocorreu no mesmo dia, de acordo com o boletim.

 

Podem se tratar de casos confirmados apenas após o óbito? Sim. De toda forma, laboratórios públicos e privados afirmam processar os exames em prazo muito inferior. O Laboratório de Análises Clínicas da Bahia (Lacen-BA), que libera, em média, mil resultados de exames diariamente, indica o prazo de até três dias e meio para a entrega. 

 

“Nós estamos recebendo um volume muito grande de amostra e já chegamos a receber 1,7 mil num só dia, mas acontece diariamente de exame chegar mal coletado, com más informações, várias razões em que não podem ser aceitas”, pondera Arabela Leal, diretora do Lacen-BA, em entrevista ao Bahia Notícias.

 

Menos demandado, o DNA recebe cerca de 400 amostras por dia. De acordo com a farmacêutica, bioquímica e gerente de qualidade do laboratório privado, Alessandra Teixeira, a entrega das análises costuma ser feita dentro de dois dias úteis.

 

Com os resultados checados, ambas garantem que a atualização nos sistemas do Ministério da Saúde, que servem de base para a elaboração do boletim da Sesab, é diária. O mesmo vale para hospitais privados ouvidos pelo Bahia Notícias.

 

Naquele dia 24 de maio, o secretário de Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, usou o Twitter para esclarecer os números e disse que os municípios têm feito notificações tardias. "É preciso um esforço maior das unidades hospitalares principalmente no fim de semana para reportarem [os casos] imediatamente", ressaltou.

 

Porém, ao observar os dados do boletim, o BN verificou que esse “atraso” nas notificações tem aumentado desde o início da pandemia.

 

De 14 de abril – dia em que a Sesab passou a informar rotineiramente a data da morte – até o dia 20 daquele mês, 24 mortes foram computadas, com tempo máximo de cinco dias entre ocorrência e publicação. Na época, a média era baixa: apenas 1,45 dia de diferença.

 

Só que com a disseminação do vírus, que já infectou 16.917 pessoas na Bahia, segundo os números oficiais, a demanda dos laboratórios cresceu e esse prazo foi alargado até chegar ao quadro atual. Com 94 mortes oficialmente registradas de 19 a 25 de maio, última semana que pôde ser analisada por completo, a diferença média entre a data do óbito e a publicação foi de 6,6 dias.

 

Arte: Priscila Melo / Bahia Notícias

 

COMPILAÇÃO DE DADOS

Além de apontar as notificações tardias e anunciar a investigação delas, a Sesab noticiou que desenvolveu um sistema capaz de integrar as três bases de dados do Ministério da Saúde (e-SUS VE, GAL e o SIVEPGRIPE). Com isso, a pasta passou a contabilizar os casos confirmados por PCR, bem como os exames com teste rápido e correlação clínica, que foram notificados nas três plataformas.

 

"As secretarias municipais de saúde receberão todos os dias a lista de casos notificados nos sistemas ministeriais e terão 24h para validar (confirmar ou excluir), antes de confirmarmos definitivamente", esclareceu o secretário Vilas-Boas. 

 

Segundo ele, essa mudança justificou o registro recorde de casos em 24 horas no último dia 19. Foram 2.132 testes positivos a mais em todo o estado.

'Diagnósticos médicos' do Google estão na maioria das vezes errados, alerta estudo
Foto: Reprodução/Pixabay

A maioria dos "diagnósticos" feitos com base em pesquisas na ferramenta Google estão errados, de acordo com um estudo da Universidade Edith Cowan, na Austrália. Os cientistas analisaram 36 verificadores de sintomas para dispositivos móveis e descobriram que em apenas 36% das vezes o primeiro resultado da busca está correto. As informações foram publicadas pela revista Galileu.

 

Outros dados levantados pelos pesquisadores mostram que em 52% das vezes a resposta certa está entre as três primeiras posições da busca. A pesquisa também descobriu que os conselhos fornecidos sobre quando e onde procurar atendimento médico são precisos em 49% das vezes.

 

"Embora possa ser tentador usar essas ferramentas para descobrir o que pode estar causando seus sintomas, na maioria das vezes eles não são confiáveis e podem ser perigosos", afirmou a principal autora do estudo Michella Hill.

 

"Todos nós fomos culpados de ser 'cibercondíacos' e pesquisar no Google ao primeiro sinal de uma pontada ou dor de cabeça", comentou Hill. Segundo ela, verificar sintomas online pode fornecer também uma falsa sensação de segurança ao não identificar uma doença ou condição séria.

Brasil ultrapassa Espanha em número de mortos por Covid ao atingir 27.878 registros
Foto: Fernando Vivas/GOVBA

O Brasil teve mais um dia com registro de novas mortes por coronavírus superior a mil, e ultrapassou a Espanha no número de óbitos. De acordo com dados do Ministério da Saúde (MS) desta sexta-feira (29), o Brasil chegou a 27.878 mortes por Covid-19, enquanto o país europeu, segundo dados da Universidade Johns Hopkins, teve até o momento 27.121 mortes pela doença.

 

Desde o último boletim, na quinta-feira (28), houve acréscimo de 1.124 óbitos. 

 

Quanto ao número de casos confirmados o MS indica um acumulado de 465.166. Foram 26.928 novos casos desde o último boletim. 

Sexta, 29 de Maio de 2020 - 19:20

Hemoba chega ao final de maio com estoque crítico de O- e O+ e alerta para A-

por Jade Coelho

Hemoba chega ao final de maio com estoque crítico de O- e O+ e alerta para A-
Foto: Prefeitura de Porto Seguro

A Fundação Hemoba chegou ao final do mês de maio com estoque em estágio crítico dos tipos sanguíneos O- e O+, nível de alerta para o tipo A-. A situação é estável para AB-, AB+ e B+, B- e A+. 

 

Durante a pandemia do novo coronavírus o Hemoba tem agendado doações de sangue. Os interessados em doar sangue com hora marcada, em qualquer unidade da Hemoba, podem preencher o formulário no site da Fundação. Quem preferir pode enviar um e-mail para horamarcada@hemoba.ba.gov.br.

 

Existe também a opção de atendimento por telefone, de segunda à sexta- feira das 8h às 17h e aos sábados das 8h às 12h.

 

Para doar sangue, o voluntário deve estar em boas condições de saúde, pesar acima de 50 quilos e ter idade entre 16 e 69 anos. É necessário estar descansado (ter dormido pelo menos 6h nas últimas 24h) e bem alimentado, tendo, preferencialmente, ingerido alimentos sem gordura, e portar um documento oficial com foto (RG, carteira de trabalho, carteira de motorista ou de reservista) em bom estado de conservação.

Crianças podem ter 56% menos chance de infecção por coronavírus, indica pesquisa
Foto: Reprodução/Pixabay

Após a análise de mais de seis mil artigos científicos sobre o novo coronavírus, pesquisadores da University College London (UCL) e da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres concluíram que  crianças e adolescentes (menores de 20 anos) podem ter 56% menos chance de contrair o vírus. As informações são de reportagem da revista Super Interessante. 

 

Entre os milhares de trabalhos, os pesquisadores separaram 18 que traziam informações relevantes sobre a infecção em crianças. De acordo com a reportagem, os  relatórios mostravam informações sobre testes de vírus e anticorpos, rastreamento da transmissão e também dados sobre grupos de infecções domésticas. 

 

A matéria destaca que não houve ensaio clínico envolvendo crianças e adultos para confirmar a hipótese, então as evidências são consideradas preliminares.

 

Os cientistas identificaram teses que apontavam que as crianças têm menos chances de pegar o vírus, e deste modo teriam menos chances de transmitir o vírus. Em um dos artigos analisados, foi constatado que, de 31 casos da Covid-19, apenas três poderiam ter uma criança como vetor. 

 

A tese ainda gera questionamentos, e para ser comprovada ou não precisaria de um sistema amplo de rastreamento de casos. 

 

Um dos pontos levantados e destacado na reportagem é de que as crianças podem até não desenvolver quadros graves, mas ainda podem agir como vetores assintomáticos do vírus.

Bahia registra 16.917 casos e 609 mortes por coronavírus
Foto: Reprodução/Pixabay

A Bahia registrou 954 novos casos de coronavírus e 39 mortes desde o último boletim da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab). Nesta sexta-feira (29) a Bahia chegou a 16.917 casos e  609 óbitos.  Na quinta (28) eram 15.963 casos confirmados e 570 mortes. 

 

A secretaria destaca que os óbitos que constam no boletim desta sexta referem-se a um período de 36 dias e que as notificações tardias estão sendo apuradas pela Auditoria do Sistema Único de Saúde (SUS) e pela Corregedoria.

 

O boletim informa que o estado possui 10.806 casos ativos. 

 

Do total de pessoas que testaram positivo para a Covid-19 no estado, são profissionais da saúde.

 

Até o momento 289 municípios do estado registraram casos da doença. 

Campanha de Vacinação contra a gripe é prorrogada até 30 de junho na Bahia
Foto: Erasmo Salomão/Ministério da Saúde

A Campanha de Vacinação contra a Influenza foi prorrogada até o dia 30 de junho. A nova data foi anunciada nesta sexta-feira (29), pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesab). A meta de imunizar 90% de alguns grupos não foi alcançada pelo órgão.

 

Na Bahia, a meta de vacinação foi atingida somente nos grupos de trabalhadores da saúde, indígenas pessoas a partir de 60 anos. Os profissionais de saúde tiveram 99,41% de cobertura, os indígenas ficaram com 96,97%. Já entre os idosos, mais de 100% foram imunizados.

 

Os outros grupos do público-alvo da campanha ficaram muito abaixo da meta. São eles: crianças (34,31%); gestantes (45,10%); puérperas (53,30%) e adultos de 55 a 59 anos (33,61%).

 

A vacina pode ser encontrada em postos espalhados por todos os municípios. A meta do estado é imunizar 90% do público alvo, com cerca de 4,6 milhões de pessoas. 

Pacientes crônicos da RMS vão receber medicamentos em casa durante a pandemia
Foto: Cláudia Cardozo/Bahia Notícias

Cerca de 5 mil pacientes com doenças crônicas da Região Metropolitana de Salvador (RMS) vão receber remédios em casa a partir desta sexta-feira (29). A entrega será feita por meio dos Correios. A iniciativa da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) foi publicada no Diário Oficial de hoje. 

 

Poderão ter acesso ao serviço pacientes cadastrados no SUS portadores de transplantes, insuficiência renal crônica, asma, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), hipertensão pulmonar e lúpus. 

 

“O objetivo da medida é diminuir ao máximo possível o fluxo de pacientes crônicos nas unidades de saúde de Salvador e Região Metropolitana e, assim, reduzir a vulnerabilidade da exposição ao novo coronavírus”, explica a diretora da Assistência Farmacêutica, Renata Mundim. Em condições normais, os medicamentos seriam retirados pelos pacientes ou seus procuradores legais, nas farmácias do Hospital Ana Nery, Hospital das Clínicas (Hupes), Hospital Especializado Octávio Mangabeira (Heom) ou na Farmácia Integrada de Medicamentos da Atenção Especializada (FIMAE).

 

Inicialmente, o projeto vai contemplar pacientes cadastrados nas unidades farmacêuticas do Hospital Ana Nery e da FIMAE. Os correios terão um prazo de 48 horas para entregar a medicação, que deve ser monitorada pela Sesab desde a expedição.

Sem medidas de isolamento, Suécia é excluída da reabertura de fronteiras de países nórdicos
Foto: divulgação/Pixabay

A Noruega e a Dinamarca anunciaram, nesta sexta-feira (29), que vão abrir as fronteiras novamente, exceto para a Suécia. Segundo o jornal O Globo, o número de suecos infectados pela Covid-19 é bem maior. No país, não foram tomadas as medidas obrigatórias de isolamento social para conter o contágio da doença. Em pronunciamentos simultâneos primeira-ministra dinamarquesa, Mette Frederiksen e a primeira-ministra norueguesa, Erna Solberg, disseram que a maioria das restrições acabariam no dia 15 de junho.


A ministra das Relações Exteriores da Suécia, Ann Linde, se pronunciou sobre o assunto um dia antes das entrevistas. Para ela, a restrição ao país é uma decisão política e não é justificável por questões de saúde. 


A primeira-ministra dinamarquesa afirmou que os dois países tem uma relação próxima que continuará no futuro. "Estamos em diferentes estágio em relação ao coronavírus e isso tem peso sobre o que podemos decidir sobre a fronteira", disse. Em contrapartida, a primeira-ministra da Noruega, Erna Solberg, disse que vai a discutir a entrada de turistas suecos, finlandeses e islandeses em breve, mas as taxas de infecção nos países vão ser observadas antes de tomar decisões.


A Suécia é apontada como referência por analistas e dirigentes contrários as medidas de isolamento social, como o presidente Jair Bolsonaro. O país tem amis de 36 mil casos e 4.350 mortes pelo novo coronavírus, além de estar entre os que registram maior número de mortes para cada milhão de habitantes: 346,55. A quantidade de vítimas fatais é quase quatro vezes o total somado dos outros países nórdicos. Também é um dos poucos no mundo onde pessoas podem se reunir e escolas e estabelecimentos comerciais estão abertos.


Já a Dinamarca e a Noruega, que adotaram quarentenas obrigatórias, apresentam números mais baixos: são 11.500 casos e 568 mortes, e 8.400 infectados e 236 vítimas fatais, respectivamente.

Histórico de Conteúdo