Domingo, 29 de Março de 2020 - 11:20

Primeiro paciente a morrer por Covid-19 na BA fez uso de cloroquina antes do óbito

por Matheus Caldas

Primeiro paciente a morrer por Covid-19 na BA fez uso de cloroquina antes do óbito
Foto: Divulgação

A primeira vítima do coronavírus na Bahia fez uso de cloroquina durante cinco dias antes da morte oficializada neste domingo (29) (leia mais aqui). A informação foi divulgada ao Bahia Notícias pelo Hospital da Bahia, local onde o homem de 74 anos ficou internado durante 12 dias.

 

O medicamento, utilizado comumente contra doenças autoimunes, como lúpus e artrite, vem sendo testado para combater o vírus. Contudo, os estudos ainda são inconclusivos. 

 

Segundo a unidade hospitalar, ele deu entrada no local no dia 17 deste mês com insuficiência respiratória severa, sendo imediatamente intubado.

 

Ele havia sido atendido quatro dias antes em outro hospital, com quadro clínico leve. Foi colhido exame para Covid 19, e foi encaminhado para domicílio. Após o período, apresentou quadro respiratório grave e procurou a emergência do Hospital da Bahia.

 

Ele passou os 12 dias de internação em Unidade de Terapia Intensiva, intubado. O diagnóstico positivo para novo coronavírus saiu quando a vítima já estava na unidade. Ele apresentou instabilidade hemodinâmica durante todo período de internação, tendo necessidade de diálise, por falência renal.

Domingo, 29 de Março de 2020 - 11:00

Vilas-Boas confirma 147 casos de Covid-19 na Bahia e lamenta primeira morte no estado

por Matheus Caldas

Vilas-Boas confirma 147 casos de Covid-19 na Bahia e lamenta primeira morte no estado
Foto: Jade Coelho / Bahia Notícias

Secretário estadual de Saúde (Sesab), Fábio Vilas-Boas informou que a Bahia possui 147 casos confirmados do novo coronavírus. A informação foi divulgada na manhã deste domingo (29), em seu Twitter oficial.

 

São 20 casos a mais do que o boletim divulgado pela Sesab na tarde do último sábado (28). 

 

O titular da Saúde também lamentou a primeira porte registrada neste domingo (leia mais aqui). “Estamos todos muito sentidos. Cada vida importa. Nossos sentimentos à família enlutada”, escreveu.

 

Vilas-Boas não detalhou, no entanto, as novas cidades que tiveram casos registrados. 

Espanha tem novo recorde e registra 838 mortes por coronavírus em 24h
Foto: Emergencias Sev

A Espanha teve 838 mortes por coronavírus nas últimas 24h, segundo dados do Ministério da Saúde do país neste domingo (29). De acordo com o G1, o número é o segundo recorde diário em dois dias. Entre sexta-feira (27) e sábado (28), foram 832 óbitos. 

 

Ao todo, 6.528 pessoas morreram por Covid-19 no país. O número de casos em solo espanhol é o segundo do mundo, atrás apenas da Itália - que teve 10.023 mortes, segundo monitoramento da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos.

 

Segundo a pasta, a Espanha registrou, ao todo, 78.797 casos do novo coronavírus. A quantidade de registros da doença na Espanha é a quarta maior do mundo - atrás de Estados Unidos, Itália e China.

Domingo, 29 de Março de 2020 - 09:05

Bahia registra primeira morte por coronavírus; vítima tinha 74 anos

por Matheus Caldas

Bahia registra primeira morte por coronavírus; vítima tinha 74 anos
Foto: Jade Coelho / Bahia Notícias

A Bahia confirmou o primeiro caso de morte de coronavírus neste domingo (29). De acordo com a Secretaria da Saúde (Sesab), a vítima foi um homem de 74 anos, que estava internado no Hospital da Bahia, em Salvador, segundo a assessoria da unidade hospitalar. 

 

Segundo a pasta, ele estava entubado e em diálise constante. 

 

Oficialmente, a Bahia, até o momento, possui 127 casos da doença. O primeiro caso de um paciente com Covid-19 na Bahia foi registrado no dia 6 de março, em Feira de Santana. Um novo boletim será divulgado pela Sesab às 17h para atualizar as informações. (Atualizada às 10h07)

Primeiro hospital para atender casos de Covid-19 é apresentado pela prefeitura de Salvador
Foto: Valter Pontes/Secom

O prefeito ACM Neto apresentou nesta sábado (28) o primeiro hospital em Salvador que vai atender exclusivamente pacientes afetados pela Covid-19. O Itaigara Memorial, localizado no Caminho das Árvores, vai auxiliar o sistema de saúde da cidade durante a pandemia. Seu funcionamento para os casos de contaminação pelo coronavírus deve ser iniciado no próximo dia 6 de abril. 

 

"Essa é uma unidade de ponta, que requisitamos para implantar os leitos, conforme as medidas que já tomamos via decreto. Nossa meta é implantar pelo menos 250 novos leitos para enfrentar a pandemia", declarou o prefeito. O Memorial Itaigara terá 47 novos leitos equipados com respiradores para atender especialmente os pacientes contaminados pelo coronavírus. 

 

Além de ACM Neto, estiveram presentes na apresentação do equipamento o vice Bruno Reis, do secretário municipal de Saúde, Léo Prates, e do presidente da Câmara de Vereadores, Geraldo Júnior. 

 

"Estamos agora nos ajustes finais para preparar o Itaigara Memorial. Serão 198 colaboradores trabalhando aqui. Fizemos o chamamento público para que uma organização social se habilite para operar a unidade e faça a complementação de equipamentos e mobilização de profissionais”, ressaltou o prefeito de Salvador. “Esperamos, claro, que esses leitos não sejam necessários. Mas trabalhamos com planejamento e estamos tomando todas as medidas prevendo os cenários do avanço dessa crise", complementou ACM Neto. 

 

O prefeito ainda citou durante a apresentação do novo hospital outras mudanças que a Prefeitura está fazendo para ampliar o atendimento à saúde durante a pandemia. Ele comentou sobre a requisição administrativa que já foi feita pela prefeitura para o espaço do Wet'n Wild, onde serão instalados, inicialmente, 50 leitos. O Hospital Santa Izabel e o Português, contratualizados pela Prefeitura, também ampliaram o número de leitos para apoiar os atendimentos de Covid-19. 

 

Além disso, 35 novos leitos nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) foram criados junto com mais 20 que serão adicionados ao Hospital Municipal.

Coronavírus: Jovem médico morre no Paquistão e causa comoção na internet
Foto: Reprodução / Twitter

Um jovem médico de 26 anos morreu no Paquistão em decorrência do novo coronavírus. Usama Riaz perdeu a vida tentando salvar pacientes no Hospital Gilgit-Baltistão. A notícia da sua morte causou comoção nas redes sociais.

 

O médico foi declarado como herói nacional pelo governo local, de acordo com o Ministério da Informação da região. No Twitter, um ativista de direitos humanos postou fotos do jovem profissional, comentando que ele havia passado as últimas semanas examinando e tratando pacientes. 

 

"Hoje ele perdeu a própria batalha contra o coronavírus, mas deu vida e esperança a muitos", lamentou, segundo o Metrópoles

 

Outras pessoas também postaram mensagens em homenagem ao médico. “Tinha apenas 26 anos. O Dr. Usama era um cidadão corajoso do Paquistão. Ele sabia o perigo em que estava se metendo, mas, até o último suspiro, tentou o seu melhor”, comentou um usuário do microblog.

 

No Paquistão, a maioria dos novos paciente veio do Irã, país vizinho. O governo paquistanês fechou os aeroportos de Karachi e Sukkur. As principais estradas de Karachi foram bloqueadas com contêineres e arames farpados e os cidadãos estão sendo forçados a cumprir quarentena, de acordo com o Metrópoles.

Sexta, 27 de Março de 2020 - 19:25

Ministério da Saúde quer aumentar realização de testes diários de 6,7 mil para 50 mil

por Gabriel Rios / Jade Coelho

Ministério da Saúde quer aumentar realização de testes diários de 6,7 mil para 50 mil
Foto: Reprodução/Pixabay

A intenção do Ministério da Saúde é de realizar em todo o Brasil 50 mil testes para o novo coronavírus por dia. “Nós precisamos produzir de 30 a 50 mil testes por dia, para poder colocar as pessoas de volta na rua. Na medida em que eu sei que já tive coronavírus e que eu passei o meu sintoma, não tem a necessidade de ficar em isolamento”, defendeu o secretário de Vigilância em Saúde no Ministério da Saúde, Wanderson Oliveira, durante coletiva na tarde desta sexta-feira (27).

 

“Assim Alemanha, EUA e Coreia fizeram ou estão fazendo. Na próxima semana vamos anunciar uma parceria com a maior rede de laboratórios da América Latina, que vai nos ajudar a contribuir na realização de testes em grande volume”, antecipou Wanderson.

 

O secretário explicou que a partir da semana que vem a pasta vai aumentar a realização de testes rápidos na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Ele também afirmou que atualmente a capacidade máxima de todos os laboratórios do Brasil é de 6,7 mil testes por dia.

Coronavírus: Trump usa lei de guerra para obrigar empresa a fabricar ventiladores
Foto: Reprodução / G1

O presidente Donald Trump assinou uma ordem executiva exigindo que a General Motors (GM) fabrique respiradores para serem usados no combate ao novo coronavírus nos Estados Unidos. De acordo com a Casa Branca, o número de equipamentos a serem entregues pela empresa ainda será determinado pelo secretário de Saúde Alex Azar. 

 

"A GM estava desperdiçando tempo. A ação de hoje vai permitir a produção rápida de respiradores que permitirão salvar vidas americanas", escreveu Trump após afirmar que as negociações com a empresa estavam sendo "produtivas", mas precisou usar a lei de guerra pela urgência da situação, segundo O Globo.

 

A lei, que data da Guerra da Coreia, nos anos 1950, autoriza o governo a intervir na indústria para reorientar sua produção. 

 

O presidente já havia sinalizado que poderia tomar esta medida e, inclusive, instou a GM e a Ford a produzirem esses equipamentos com mais agilidade. Ele afirmou que as duas companhias devem começar a produção imediatamente. 

 

"A General Motors deve abrir imediatamente sua fábrica estupidamente abandonada de Lordstown, em Ohio, ou alguma outra fábrica, e começar a fazer respiradores agora! Ford, comece a fazer respiradores rápido!", escreveu o presidente americano em sua conta no Twitter. 

 

A GM, junto com a parceira Ventec, disse que irá produzir os respiradores na fábrica de Kokomo, Indiana, e os enviará no próximo mês. Uma fonte próxima da montadora também revelou que a empresa irá enviar números "significativos" do equipamento até o final de abril, quando aumentará a produção. 

 

A expectativa é que Nova York pode atingir o pico na demanda hospitalar em três semanas devido ao novo coronavírus. O estado, o mais afetado do país, tem 44.600 pessoas com Covid-19, sendo que 6.481 estão hospitalizadas e, destas, 1.583 recebem tratamento intensivo. 


Os EUA são agora o país com o maior caso da Covid-19, 93.568. O número de mortes chegou a 1.433.

Sexta, 27 de Março de 2020 - 19:08

Salvador registra casos de Covid-19 em três novos bairros populares; veja lista

por Matheus Caldas

Salvador registra casos de Covid-19 em três novos bairros populares; veja lista
Foto: Reprodução / Google Street View

Apesar de os bairros mais infectados pelo coronavírus em Salvador serem os mais nobres, a capital baiana passar a registrar, diariamente, casos em bairros mais periféricos. E, nesta sexta-feira (27), há casos em três novas localidades das periferias: Cosme de Farias, Fazenda Coutos e Jardim Nova Esperança, cada um com um caso.

 

O levantamento foi divulgado pelo secretário municipal de Saúde, Leo Prates, em seu Twitter oficial. Além dos três bairros, ainda há um  infectado sem local identificado. 

 

Na última quinta-feira (26), segundo o boletim, havia um diagnóstico do Engenho Velho – sem, no entanto, divulgar qual. No boletim desta sexta, Prates detalhou que o caso é do Engenho Velho de Brotas.

 

Na ponta da tabela, a Pituba segue na frente e soma 12 casos. São seis no Horto Florestal, Graça, e Brotas. Confira a lista completa abaixo: 

Gabbardo evita comentar falas de Bolsonaro e diz que MS não vai mudar recomendações
Foto: Reprodução / Twitter

Apesar de não querer analisar o discurso do presidente Jair Bolsonaro que contraria à medida de isolamento social em decorrência da pandemia do novo coronavírus, o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, afirmou, durante entrevista coletiva nesta sexta-feira (27), que a pasta não modificou as medidas de prevenção ao vírus.

 

“Não vejo nenhum sentido nisso [modificar a recomendação]. Não existe essa hipótese. Não faremos nenhuma análise do discurso do presidente, mas as recomendações que estão sendo dadas não modificam em nada as orientações do Ministério da Saúde. Continuam sendo as mesmas. Pacientes com sintomas devem ficar em isolamento. Familiares de pacientes com sintomas devem ficar em isolamento. Pessoas que tenham doenças crônicas devem ficar em isolamentos. Pessoas com mais de 60 anos devem ficar em isolamento. Todos nós devemos diminuir a circulação para evitar aglomerações. Essas medidas do MS em nada foram modificadas”, afirmou Gabbardo.

 

Questionado sobre a campanha "O Brasil não pode parar", lançada pelo governo na manhã desta sexta, que estimula a volta da população ao trabalho, contrariando orientações de isolamento social feitas por especialistas médicos (veja aqui), Gabbardo relacionou com uma “casa pegando fogo”, e afirmou que a pasta não irá “colocar mais fogo”.

 

“Nós estamos na frente de uma casa que está incendiando. Nós temos alternativas para combater esse incêndio. Tem gente combatendo com extintor, com escada, com equipamento mais sofisticado... A nossa função é retirar as pessoas que estão lá dentro. Infelizmente, nem todas conseguirão sair de lá, mais nós tentaremos tirar todas. Não fiquem esperando que o MS vai colocar mais fogo na casa, nós queremos tirar as pessoas de dentro”, explicou.

 

O secretário também demonstrou preocupação com a chegada do vírus nas comunidades, e apresentou algumas medidas que serão feitas pelo governo para combater a transmissão: “É uma preocupação. Nossa grande preocupação são essas comunidades pelas dificuldades com saneamento, acesso a água potável e a dificuldade de evitar aglomerações. Estamos pensando em fazer que hotéis, leitos de observação que serão criados, hospitais de campanha... todas essas pessoas que apresentam maior risco possam ser deslocadas para esses lugares. Algumas iniciativas já estão sendo feitas no Rio de Janeiro e em Pernambuco. Estamos em uma fase de transição dos nossos pacientes. Alertávamos que os primeiros pacientes eram de condições econômicas melhores, pois eram casos importados, e eles seriam atendidos em redes privadas. A medida em que a transmissão passa a ser comunitário, vamos começar a ter casos de pessoas que vão utilizar o SUS, e isso vai começar a forçar a resposta do nosso serviço. Para isso ampliamos os horários de atendimento nas unidades de saúde, contratamos mais médicos, são medidas que são possíveis serem realizadas antes da elevação grande que teremos neste próximo mês de abril”.

Histórico de Conteúdo