Evento de zumba arrecada fundos para pesquisas sobre câncer de mama
Foto: Divulgação

Salvador recebe, no próximo dia 27, um evento oficial de zumba voltado para a campanha Outubro Rosa. O Party in Pink Zumbathon tem o objetivo de arrecadar fundos para a bolsa de pesquisa internacional Zumba Global Research Grant for Breast Cancer Prevention, em prol da prevenção ao câncer de mama em todo o mundo.

 

“Estamos vivendo uma época de reafirmação feminina. Já temos projetos paralelos e decidimos liderar essa edição do Party in Pink também como uma bandeira a ser levantada: mulheres empoderadas lutando por outras mulheres”, afirmou Liz Facó, uma das organizadoras desta terceira edição na capital baiana.

 

O evento acontece, a partir das 9h30, no terraço da academia R1, no Itaigara. As inscrições podem ser realizadas no site do evento (clique aqui). Do valor arrecadado, a edição de Salvador doará à bolsa de pesquisa 75% e a mesma financiará um estudo para avaliar os efeitos de uma substância encontrada na linhaça em mulheres pré-menopausa.

Segunda, 15 de Outubro de 2018 - 19:10

Brasil é segundo país em número de cesáreas no mundo

Brasil é segundo país em número de cesáreas no mundo
Foto: Ana Nascimento / MDS Portal Brasil

O Brasil é o segundo país com maior taxa de cesáreas em todo o mundo (55,5%), atrás apenas da República Dominicana (58,1%). Os números são resultado de um estudo que alerta para a epidemia mundial desta cirurgia, recomendada apenas em casos específicos.

 

Baseado em dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Unicef, o estudo apontou que o número de nascimentos por cesárea praticamente duplicou em 15 anos, de 12% para 21% entre 2000 e 2015, e superou os 40% em 15 países. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, a América Latina é a região com maior taxa deste parto no mundo (44,3%).

 

"O forte aumento de cesáreas — especialmente entre as classes abastadas e sem motivos médicos— representam um problema devido aos riscos associados para a mãe e o bebê", explicou a coordenadora do estudo, Marleen Temmermann, da Universidade Aga Khan, no Quênia, e da Universidade de Gante, na Bélgica.

 

O estudo ainda associa as cirurgias a uma faixa de renda e educação entre as mulheres. No Brasil, por exemplo, 54,4% das cesáreas são feitas em mulheres de nível educacional elevado. Entre as de nível mais baixo, o índice é 19,4%. No país, a maioria das cesáreas acontece em gestações de baixo risco.

Dique do Tororó recebe caminhada contra obesidade no próximo domingo
Foto: Divulgação

O Núcleo de Tratamento e Cirurgia da Obesidade (NTCO) realiza, no próximo domingo (21), a XI Caminhada Movimento contra Obesidade. O evento acontece no Dique do Tororó e tem o objetivo de conscientizar a população sobre a importância do combate ao sobrepeso e à obesidade, além de promover a pratica de atividade física e os hábitos saudáveis. 

 

A concentração será a partir das 8h, próximo aos restaurantes, onde haverá sessão de aquecimento e exercícios de alongamento. No local, uma equipe do Laboratório Linus Pauling também oferecerá, gratuitamente, exames básico como medição de glicemia e colesterol e aferição de pressão. 

 

A participação é gratuita. No entanto, interessados em usar a camisa da caminhada podem trocar o kit por três quilos de alimentos não-perecíveis na sede do NTCO, na Federação.

Após morte de paciente, médica estaria oferecendo R$ 1 milhão por silêncio
Mulher passou por um procedimento estético nos glúteos | Foto: Facebook

Uma microempresária morreu no último sábado (13), dias após ter passado por um procedimento cirúrgico estético nos glúteos. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Fernanda de Assis chegou ao Hospital Municipal Albert Schweitzer com lesões nas nádegas.

 

Em um vídeo no Facebook, segundo a Agência Brasil, o companheiro de Fernanda disse que a mulher morreu de insuficiência respiratória aguda e embolia pulmonar.

 

“Ela já tinha feito esse procedimento uma vez. Na segunda ela esperou eu sair de casa e fez escondido porque eu disse que não queria. Na sexta-feira, ela já acordou passando mal e pediu para levar ela ao hospital. Só de o médico olhar para ela no hospital, já mandou internar”, explicou Alex Fernando.

 

O marido também contou que uma grande ferida se abriu nos glúteos de Fernanda em casa, mas a microempresária se recusava a ir ao pronto-socorro. Na mesma gravação, Alex revela aos amigos que a pessoa que fez a cirurgia em Fernanda está oferecendo R$ 1 milhão para que ele não a entregue à polícia. “Ela está me oferecendo tudo para eu não falar”, disse.

Hospital Municipal realiza mutirão de ultrassonografia mamária e mamografia
Foto: Divulgação

O Hospital Municipal de Salvador (HMS) realiza, a partir desta segunda-feira (15), um mutirão de ultrassonografia mamária e mamografia. A ação faz parte da campanha Outubro Rosa e segue até 15 de novembro. Os atendimentos acontecem de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, e aos sábados, das 8h às 17h.

 

"Se conseguirmos identificar um câncer de mama em estágio precoce, a chance de cura é acima de 90%. Por isso é importantíssimo que as mulheres que fazem parte do grupo de risco, que são aquelas acima de 50 anos de idade ou com histórico da patologia na família, procurem periodicamente o serviço de saúde para realização do exame", alertou Mirelle França, coordenadora do setor materno infantil da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

 

Com o objetivo de realizar mais de 10 mil mamografias somente em outubro, todas as 126 unidades básicas da rede e os multicentros Vale das Pedrinhas, Carlos Gomes e Liberdade promoverão nas quartas-feiras do mês o "Dia D da Mulher", sempre das 8h às 17h. Nessas ações, acontecerão mutirões de agendamentos de mamografia para mulheres com idade de 50 a 69 anos, exames preventivos e sala de espera com orientação de autoexames e distribuição de material educativo.

 

Já entre os dias 15 e 31 deste mês, os multicentros Carlos Gomes e Liberdade vão funcionar em horário estendido (das 8h às 20 horas, além de abrirem aos sábados, das 8h às 13 horas), exclusivamente para realização de Ultrassonografia mamária e transvaginal. O Distrito Sanitário Subúrbio Ferroviário oferecerá mamografias nos dias 21 e 22 de outubro.

República Democrática do Congo decreta mais um surto de ebola
Foto: Divulgação / CDC

A República Democrática do Congo decretou, no último sábado (13), um segundo surto de ebola. O foco está no leste do país, na cidade de Beni. Segundo informações da Agência Efe, a situação está relacionada em grande parte à falta de conscientização sobre a doença e à desconfiança nos agentes de saúde.

 

"Os desafios são enormes e o governo está estudando como contornar a dificuldade de criar consciência e fazer com que as pessoas aceitem ser vacinadas", afirmou a porta-voz do Ministério de Saúde, Jessica Ilunga.

 

A cidade de Beni apresenta 74% dos contágios registrados no último mês. São 200 casos notificados, dos quais 172 foram confirmados. "A epidemia em Beni é de alto risco e a situação é preocupante. Ainda não sabemos a dimensão, mas o foco que estava em Mangina agora está em Beni", acrescentou o ministro de Saúde, Oly Ilunga.

Número de pessoas com excesso de peso deve chegar a 2,3 bilhões até 2025, alerta OMS
Foto: Ministério da Saúde

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou que, em 2025, o mundo terá cerca de 2,3 bilhões de pessoas com excesso de peso, das quais mais de 700 milhões serão obesas. Já o número de crianças com sobrepeso e obesidade pode chegar a 75 milhões – incluindo 427 mil crianças com pré-diabetes, 1 milhão com hipertensão arterial e 1,4 milhão com aumento do acúmulo de gordura no fígado.

 

A projeção faz parte, segundo a Agência Brasil, da campanha global da entidade em 2018, que tem como proposta combater o estigma da obesidade e tratar o assunto com respeito, disseminando informações de maneira responsável, reconhecendo a obesidade como uma doença crônica multifatorial e investindo em políticas públicas de prevenção e tratamento. Atualmente, um em cada oito adultos em todo o planeta é obeso.

 

No Brasil, dados da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) apontam que mais de 50% da população brasileira tem excesso de peso. As entidades alertam que a obesidade é uma doença crônica que tende a piorar com o passar dos anos, caso o paciente não seja submetido a um tratamento adequado e contínuo. “Além de reduzir a qualidade de vida, pode predispor a doenças como diabetes, doenças cardiovasculares, asma, gordura no fígado e até alguns tipos de câncer”, alertaram os especialistas.

Menos de 10% dos hospitais brasileiros têm serviço de cuidados paliativos
Foto: Divulgação

Menos de 10% dos hospitais no Brasil não possuem equipes de cuidados paliativos. De acordo com a Folha de S. Paulo, um levantamento inédito aponta que entre as 2,5 mil unidades no país com mais de 50 leitos, em apenas 177 está disponível o serviço, que é essencial para que doentes graves e sem chances de cura tenham qualidade de vida.

 

O estudo da Academia Nacional de Cuidados Paliativos demonstra também que, entre os países latino-americanos, o Brasil só está na frente da República Dominicana e da Venezuela quanto à disponibilidade de serviços de cuidados paliativos. Uruguai, Argentina, Costa Rica e Chile são os mais bem colocados.

 

No Brasil, o problema já começa na formação dos médicos. Apenas 14% dos cursos de medicina oferecem a disciplina de cuidados paliativos e em somente 6% ela é obrigatória. Além de diminuir o sofrimento dos pacientes, o serviço também pode diminuir as despesas dos sistemas de saúde. "Com os cuidados paliativos, os custos podem cair de 30% a 50%", estima Emilio Herrera, presidente do New Health Foundation, em entrevista à Folha de S. Paulo.

Bolsonaro diz que pessoa desempregada está mais 'propensa a frequentar hospitais'
Foto: Divulgação

O candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro, disse que uma pessoa que não está empregada tende a ir com mais frequência ao hospital. A afirmação foi dada durante conversa com jornalistas neste sábado (13), enquanto falava sobre suas propostas de governo.

 

O candidato do PSL avaliou o que acredita que pode melhorar a situação da saúde no país. "Você tem que combater a corrupção, exatamente para que sobre recursos para aplicar onde interessa. Eu estou com uma bolsa de colostomia aqui do meu lado. São mais ou menos 200 mil pessoas no Brasil que tem o mesmo problema que eu tenho no momento. E eu sou um privilegiado. Como é que você ataca esse problema? Alguém que realmente tenha amor pela saúde para ocupar um ministério e determinar que se trabalhe para o bem da população e não para atender interesses político-partidários, que é uma regra. Agora, o melhor plano de saúde que se pode ter é emprego. E uma pessoa desempregada está propensa a frequentar, com maior intensidade, os hospitais”, destacou, de acordo com o G1.

 

Bolsonaro ainda tratou sobre suas propostas parao combate à violência. “Primeiro é escalar o time, é dessa forma. A outra, um pacote de medidas para que nós possamos, em um primeiro momento, diminuir a violência em nosso Brasil. Eu tenho uma máxima: eu não quero ninguém sofrendo, sendo torturado, passando necessidade em uma cadeia. Mas no que depender de mim, a polícia no encarceramento se fará presente. E o conselho que eu dou agora para quem quer fazer maldade: se não quiser ir para lá, não faça maldade. Passa por aí. O ser humano só respeita o que ele teme. E nós temos que mostrar para o ser humano que, se ele cometer um crime, ele vai pagar. E no que depender de mim também e do parlamento, obviamente, não teremos progressão de pena, muito menos saidões”.

Quase 75% das cegueiras são reversíveis; indica Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Foto: Sidnei Barros

Quase 75% dos casos de cegueira podem ser reversíveis. O número de pessoas cegas ou com visão comprometida no mundo chega a 253 milhões, segundo dados da Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) e a Agência Internacional de Prevenção da Cegueira (IAPB, do nome em inglês International Agency for Prevention Of Blindness). Do total, cerca de 90%, moram em países em desenvolvimento, que não dispõem de sistemas de saúde básica mais avançados. 

 

Segundo o presidente do CBO, José Ottaiano, um indivíduo que tem uma miopia de 4 ou 5 graus, por exemplo, se ele não corrigir esse erro refrativo, é enquadrado como deficiente visual ou sem uma visão adequada. Ele também explicou que a catarata é considerada uma cegueira reversível. “No entanto, se você não operar, o indivíduo fica com uma deficiência visual”. As principais causas de cegueira são os chamados erros refrativos, como miopia, astigmatismo, hipermetropia, que são corrigidos por graus de óculos; catarata; glaucoma; e degeneração macular relacionada à idade (DMRI).

 

Ottaiano disse que, de 1990 para 2015, houve uma queda de 4,58% para 3,37% nos problemas visuais em termos de cegueira na população mundial. “A população mundial vem andando para a frente, apesar das diferenças e particularidades entre os países”. No Brasil, de acordo com o último censo do IBGE, 45,6 milhões de brasileiros têm alguma deficiência visual, dos quais 6 milhões teriam deficiência visual importante. O restante é cegueiras ou deficiência reversíveis. O Brasil necessita de uma média de 600 mil cirurgias de catarata por ano e realiza entre 400 mil a 500 mil cirurgias.

 

Como forma de tratamento, o médico disse que a prevenção é muito melhor e pode ser feita, inclusive, desde antes do nascimento. A ideia é que as pessoas procurem o oftalmologista, considerando a prevenção como uma prática regular, para evitar o aparecimento de doenças visuais. “A prevenção é a palavra mágica porque, na realidade, a gente tem que tratar antes da doença. A doença já é a consequência, o indesejável”. Os esforços devem ser concentrados na educação e conscientização da população em relação aos cuidados com a visão. 

Histórico de Conteúdo