Viver Bem: Especialista dá dicas de como tratar crises alérgicas durante a primavera
Foto: iStock
Temperada e amena, a primavera é conhecida por um processo próprio de renovação. Com início e duração entre o inverno e verão, é marcada por temperaturas menores e chuvas ocasionais. Mas para os alérgicos, a estação traz uma necessidade maior de cuidado.

Espirros e olhos vermelhos estão entre os principais sintomas das crises alérgicas que acontecem nesta época do ano. De acordo com o alergologista do Hapvida Saúde, Vitório Marchesini, grande parte dos casos é proveniente do pólen, já que este é o período de polinização das flores. “No Brasil, crises desse tipo costumam acontecer mais na região Sul, ao passo que na Europa costumam ser mais frequentes”, detalha.

Além do pólen, Marchesini explica que a queda na umidade favorece uma maior proliferação de fungos e ácaros e com isso pode intensificar a sensibilidade das pessoas nesta estação, sobretudo as que já são diagnosticadas com alguma alergia, a exemplo da rinite. Entre as crianças, o alergologista destaca que, por passarem parte do dia em aglomerados e ambientes fechados, elas se tornam mais suscetíveis a contaminações.
 
DICAS
Para uma melhor manutenção da saúde nesta estação, Marchesini orienta que as pessoas evitem ambientes fechados e, aqueles que já são alérgicos, realizem a imunoterapia – tratamento a partir de vacinas. No caso específico da alergia ao pólen das flores, evitar frequentar e passear em jardins é uma das principais decisões a serem tomadas. “No ambiente doméstico, onde o controle se torna mais fácil, as pessoas devem retirar suas roupas assim que chegarem em casa, deixar as janelas e portas fechadas, além de lavar os cabelos, sobretudo os compridos. É importante que seja evitada a entrada do pólen nas casas, independente de qual seja o meio”, explica.

Histórico de Conteúdo