Viver Bem: Em períodos de chuva, é preciso estar atento às doenças infectocontagiosas
Foto: iStock

Com um clima predominantemente tropical, o inverno na maior parte da Bahia costuma ser acompanhado de um alto índice de precipitação. Embora o período de chuvas já esteja no fim, os cuidados com a saúde não devem diminuir, pois algumas doenças infectocontagiosas podem ser transmitidas pelo contato com a água acumulada de enchentes e alagamentos. "Existem algumas doenças que podem ser transmitidas por água de chuva, a principal é a leptospirose, através da bactéria Leptospira, encontrada em fezes e urina de animais infectados, como ratos", conta o infectologista do Hapvida, Fernando Hernandez Romero.


Em alguns casos, a água pode ser contaminada através da urina ou fezes de transmissores que vêm de um esgoto que não é tratado, acondicionado de forma correta, ou de acúmulo de lixo em locais inapropriados. É preciso estar atento, pois o período de incubação pode variar de 1 a 30 dias, mas a leptospirose normalmente se manifesta entre 7 e 14 dias após a exposição a situações de risco.


Outra doença comum nessa época é a hepatite A, uma infecção no fígado causada por um vírus. Silenciosa, a contaminação acontece por meio da ingestão de água e alimentos contaminados, com sintomas que costumam aparecer de 15 a 50 dias após a infecção e envolvem febre, urina escura e icterícia. A Febre Tifóide, embora mais rara, é outra patologia que pode ser adquirida através da ingestão de água da chuva contaminada.


"A principal defesa é evitar a água de enchentes, caso isso não seja possível, é recomendado permanecer o menor tempo possível em contato e evitar que crianças brinquem em ambientes alagados", explica Fernando. Mais um cuidado importante é a higienização de ambientes atingidos por enchentes, que deve ser feita usando luvas e botas de proteção, enquanto os alimentos devem ser jogados fora, inclusive aqueles protegidos por embalagem.

Histórico de Conteúdo