Viver Bem: Cardápio para a semana santa e a saúde nutricional - evitar excessos é prioridade
Foto: Pixabay

Fé e gastronomia de mãos dadas. A Semana Santa é marcada por símbolos da fé cristã que revive, neste período do ano, todo sofrimento de Cristo durante o calvário e sua morte. Em respeito a estes dias, muitas pessoas evitam o consumo de carne, e os frutos do mar tomam conta dos pratos, ficando até com valores mais altos. Mas, além deles, os chocolates são mais que esperados para a ceia do domingo de Páscoa.

 

Toda esta “fartura” alimentar traz consigo alguns riscos. O excesso pode acontecer e a culpa no pós-feriado também. No caso do chocolate, por exemplo, o censo comum atribui a ele o surgimento de acnes e outras questões relacionadas à saúde da derme, mas o grande vilão é o açúcar. E, para as crianças, público majoritário do alimento, os problemas podem ser variados. “A recomendação diária da Sociedade Brasileira de Pediatria é de no máximo seis colheres de sopa de açúcar por dia e esse valor costuma ser ultrapassado com a ingestão dos chocolates. O consumo do produto deve ser moderado devido aos riscos de cáries, diarréias ou infecções gastrointestinais”, pontua a nutricionista do Hapvida Saúde, Cíntia Menezes.

 

No caso das pessoas diabéticas, a especialista explica que a melhor opção deve ser pelos chocolates amargos ou com alto teor de cacau, em porções pequenas, e, caso a glicemia esteja alta, é melhor evitar o consumo.

 

Mancha de dendê não sai

Parafraseando Moraes Moreira na música “mancha de dendê não sai”, nos pratos, ele dá um gosto inconfundível e fica marcado na mente. A típica comida baiana, como é chamada, não existe sem este ingrediente que, quando consumido cru, é excelente para a saúde e beneficia várias funções do corpo. Mas, quando cozido, ele se torna gordura saturada. A dica é que o produto seja colocado na comida após o seu cozimento, para que as propriedades originais dele não sejam perdidas.

 

Prato ideal

Entre os alimentos previstos para esta época, o peixe é, sem sombra de dúvidas, o mais nutritivo. De acordo com Cíntia, incluí-los regularmente na dieta traz benefícios como melhora da memória e concentração, além da prevenção de doenças cardiovasculares e redução da inflamação. E, para quem está precisando reduzir medidas, a nutricionista destaca outro benefício, “consumir peixes ajuda na perda de peso, pois eles normalmente são fontes de proteínas com menos calorias do que as carnes vermelhas e o frango, favorecendo dietas de emagrecimento”, explica.

 

Para a ceia da Páscoa, a sugestão da nutricionista é o bacalhau dissalgado. Rico nas vitaminas B1 e D, sódio, magnésio, proteínas e ácido graxo ômega-3 e ômega-6, tais substâncias auxiliam na prevenção de doenças cardiovasculares. Para acompanhá-lo, basta equilibrar a quantidade de carboidratos das refeições, como arroz e batatas e salada verde.

Histórico de Conteúdo