Terça, 13 de Agosto de 2019 - 11:30

A alimentação no paciente com câncer: qual a sua importância?

por Gabriella Behrmann

A alimentação no paciente com câncer: qual a sua importância?
Foto: Divulgação
Falar de alimentação tem tudo a ver com o mês de agosto em que se comemora o Dia do Nutricionista. E a boa alimentação não pode ser deixada de lado por pessoas que estão em tratamento contra algum tipo de câncer. Não só a alimentação, mas toda a avaliação nutricional. O paciente oncológico precisa ser avaliado quanto ao seu histórico alimentar, aos seus exames bioquímicos, a sua composição corporal e a muitos outros fatores que envolve uma equipe de profissionais da saúde.
 
Em todo processo, é preciso destacar que o oncologista e o nutricionista devem trabalhar juntos, para que o paciente adote uma dieta adequada e evite a perda acentuada de peso e nutrientes. Em pacientes oncológicos ocorrem muitos casos de desnutrição calórica e proteica, porque o próprio tumor gera uma demanda por consumo de nutrientes presentes no organismo. As necessidades nutricionais são alteradas no antes, durante e após o tratamento do câncer. Muitas vezes, o paciente tem e recebe informações conflitantes que unidas a alguns tabus, aversões, preferências e crenças, geram a diminuição ou aumento da ingestão oral, e, podem levar a um desequilíbrio da ingestão nutricional.
 
O paciente oncológico
Precisamos compreender que o paciente oncológico ele deve ser assistido por uma equipe multiprofissional. E isso envolve médico, psicólogo, fonoaudiólogo, educador físico e também o nutricionista. A nutrição oncológica atua dentro de uma perspectiva multidisciplinar, e para cumprir seu papel de promoção de saúde de forma eficiente necessita da parceria entre paciente, cuidadores, familiares e demais profissionais envolvidos. Pacientes com boa saúde nutricional são capazes de absorver de maneira mais eficiente a medicação e costumam responder melhor ao tratamento. Trabalhar nutrição com o paciente com câncer é pensar o tempo todo no alimento como medicamento (sem deixar de esquecer o tratamento medicamentoso... que fique bem claro!). Somos parte essencial desse processo de prevenção, de tratamento e de manutenção da saúde.
 
O tratamento nutricional
Pacientes com câncer podem experimentar uma série de problemas nutricionais, incluindo falta de apetite, perda de peso e/ou problemas de deglutição. Alguns destes podem ser causados pelo próprio câncer e outros devidos aos efeitos do tratamento. É preciso compreender que o acompanhamento com o nutricionista deve ser iniciado juntamente com o tratamento oncológico, a fim de poder tirar todas as primeiras dúvidas sobre hábitos alimentares que deverão ser adotados pelo paciente conforme a sua necessidade e com o tipo de tumor.
 
Atenção para alimentos crus e a granel
Pacientes com câncer, geralmente, possuem baixa imunidade, que é um efeito colateral comum durante o tratamento, o que faz com que estejam suscetíveis a infecções, inclusive alimentares. Evidências científicas apontam que consumir alimentos como verduras, frutas e legumes crus pode ser seguro desde que haja a higienização e conservação correta destes alimentos. No caso dos alimentos a granel, como amendoins e castanhas, por exemplo, muitas vezes não é de conhecimento o tempo de exposição daqueles alimentos, o que pode haver proliferação de determinados fungos, que em um indivíduo saudável não cause tantos prejuízos, mas em um individuo com sistema imunológico baixo, pode gerar infecções a ponto de precisar ser suspenso o tratamento médico, para que primeiro seja tratado a infecção. O ideal é a preferência do consumo de alimentos preparados em casa ou em locais confiáveis quanto a segurança alimentar.
 
Alimentação Preventiva
Umas das principais formas de evitar o câncer é uma alimentação saudável. Uma ingestão rica em alimentos de origem vegetal como frutas, legumes, verduras, cereais integrais, feijões e outras leguminosas, e pobre em alimentos industrializados e ultraprocessados, como aqueles prontos para consumo ou prontos, podem prevenir novos casos de câncer. Algumas dicas da nutricionista são:

• Evite o consumo de frituras. Dê preferência a alimentos assados, cozidos e grelhados. Lembre-se que para grelhar, não se faz uso de óleos vegetais.
• Dê preferência aos alimentos orgânicos. Pois são possuem uso de agrotóxicos que.
• Diminua o uso de açúcar, seja ele de qualquer tipo. O excesso de açúcar favorece o ganho de peso, o que gera a um aumento de gordura corporal, o que está associado a diversos tipos de cânceres.
• Escolha cores variadas para a refeição do seu prato, pois cada cor representa nutrientes diferentes que participam da manutenção do equilíbrio corporal.
• Consuma alimentos a base de fibras, mas lembrem-se sempre de beber água ao longo do dia. Pois ambos, juntos, ajudam na função intestinal.
Vale ressaltar que misturas criativas e dietas restritivas com a proposta de “curar o câncer” e o consumo de suplementos nutricionais por conta própria não são indicados e são extremamente prejudiciais para o tratamento. O acompanhamento nutricional com um profissional especializado te ajuda na luta contra o câncer.
 
* Gabriella Behrmann é nutricionista, bióloga, especialista em Gestão em Saúde, pós-graduanda em Nutrição em Oncologia, e atua no Centro Médico Dr. Saúde, na cidade de Feira de Santana-BA.
 
* Os artigos reproduzidos neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do Bahia Notícias

Histórico de Conteúdo