Segunda, 25 de Maio de 2020 - 16:40

Leitos de UTI para tratamento da Covid-19 se esgotam em Porto Seguro

por Lula Bonfim

Leitos de UTI para tratamento da Covid-19 se esgotam em Porto Seguro
Hospital Luís Eduardo Magalhães, em Porto Seguro (Foto: Reprodução / Toda Bahia)

Não há mais leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) disponíveis para o tratamento da Covid-19 em Porto Seguro. A informação foi confirmada ao Bahia Notícias pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesab).

 

Os 10 leitos destinados ao tratamento da pandemia no Hospital Deputado Luís Eduardo Magalhães estão ocupados, neste momento, por cinco pacientes oriundos de Eunápolis, três de Porto Seguro e dois de Itabela, municípios da região da Costa do Descobrimento.

 

Segundo o secretário de Saúde, Fábio Vilas-Boas, a Sesab trata a distribuição de leitos para o tratamento da Covid-19 por regiões e, por isso, ainda haveria unidades disponíveis para contaminados nos municípios de Teixeira de Freitas e Ilhéus.

 

No estado da Bahia por inteiro, a última atualização de dados do governo estadual informa que 61,5% dos leitos de UTI destinados ao tratamento da Covid-19 estão ocupados.

 

Conforme o boletim divulgado pelo governo do estado neste domingo (24), Porto Seguro contabiliza 60 casos confirmados do novo coronavírus, enquanto Itabela registra apenas três. Eunápolis lidera o ranking de casos na região, com 95 contaminados, segundo informações da prefeitura.

Com Uruguai e Massaranduba, Salvador tem 8 bairros incluídos em decretos de restrições
Foto: Bruno Concha/Secom

Com a inclusão do Uruguai e da Massaranduba nesta segunda-feira (25) no escopo de localidades com medidas restritivas, Salvador possui agora oito bairros sob restrições mais severas, em virtude da pandemia do novo coronavírus.

 

Antes, já estavam vivendo modificações no cotidiano os bairros de Plataforma, Lobato, Liberdade, Bonfim, Brotas e Cosme de Farias.

 

Desta forma, a Cidade Baixa possui três bairros incluídos no decreto do prefeito ACM Neto (DEM). 

 

Os locais englobados nas medidas de restrições têm suspenso o funcionamento de atividades econômicas não essenciais. 

 

Há também ações de proteção à vida que envolvem distribuição de máscaras, realização de testes rápidos, medição de temperatura, doação de cestas básicas para feirantes e ambulantes, higienização de ruas, ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, apoio a instituições que atendam idosos, crianças e pessoas com deficiência e Cras Itinerante. 

 

"Como temos feriados antecipados até esta quarta (27), e também suspendemos as atividades econômicas formais e informais na cidade na quinta (28) e na sexta (29), essas regras que valem nesses bairros entram em vigor em praticamente toda a cidade, pois nosso objetivo é ampliar o isolamento social e reduzir a pressão sobre os leitos de UTI nas unidades de urgência e emergência. Mas continuaremos, ao longo de toda a semana, com as ações de proteção à vida nessas localidades onde há medidas regionalizadas, que chegam a oito agora", disse Neto. 

Covid-19: OMS decide suspender testes com cloroquina e hidroxicloroquina
Foto: Reprodução / Agência Pará

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou nesta segunda-feira (25) que suspendeu temporariamente os testes com cloroquina e a hidroxicloroquina para tratar a Covid-19. A decisão foi tomada dentro dos ensaios Solidariedade, iniciativa da OMS para buscar tratamentos contra a doença.

 

De acorco com diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom Ghebreyesus, a suspensão foi determinada depois de um estudo publicado na revista "The Lancet", que apontou o aumento do risco de arritmia cardíaca nos pacientes que fizeram uso (leia mais aqui).

 

A utilização do medicamento é apoiada pelo presidente Jair Bolsonaro e foi o ponto principal da saída de Nelson Teich do Ministério da Saúde. Recentemente, a pasta divulgou um protocolo que libera a droga para todos os pacientes infectados.

Com feriados antecipados, Vilas-Boas projeta 'pelo menos 10%' de aumento no isolamento
Foto: Eloi Correa / GOVBA

O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, espera que o decreto que antecipa os feriados nesta semana tenha um efeito positivo no isolamento social e na taxa de transmissão da Covid-19. Entrevistado pela TV Bahia, o gestor da pasta fez uma projeção do aumento de "pelo menos 10%" no distanciamento. 

 

"Ao se decretar o feriado antecipado, se garante, pelo menos, 10% a 20% de crescimento no distanciamento social. Com isso, nessa semana agora, vamos dar uma diminuída mais expressiva na taxa de transmissão. Se Deus ajudar e o povo colaborar, vamos baixar além de 5% a taxa de contaminação", explicou.

 

Vilas-Boas voltou a ressaltar a importância do isolamento para que a doença não seja espalhada.

 

"Exatamente aumentando o distanciamento social, que é as pessoas não entrarem em contato físico próximo uma das outras, não frequentarem os mesmos ambientes. As pessoas quando frequentam um banco, um supermercado, um ambiente social, a casa de alguém, elas estão entrando em contato com uma mesa, um copo. E essa chance de transmitir o vírus por objetos intermediários se torna muito maior", disse.

 

De acordo com o último boletim da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), o estado tem 13.899 casos confirmados da Covid-19 e com 460 óbitos.

Homem se descontrola e tenta incendiar UPA de Periperi, em Salvador
Foto: Divulgação

Um homem tentou incendiar a unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro de Periperi, em Salvador, na noite do último domingo (24).

 

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), informou que o autor da ação teria apresentado um surto psicótico no momento em que jogou gasolina na unidade. 

 

De acordo com a TV Bahia, o homem é um agente de portaria da UPA, que está afastado. 

 

O homem foi contido pela polícia e não conseguiu atear fogo na UPA. Ninguém ficou ferido na ação.

 

Segunda, 25 de Maio de 2020 - 11:25

Taxa de ocupação de leitos para pacientes com Covid-19 chega a 86% em Salvador

por Breno Cunha

Taxa de ocupação de leitos para pacientes com Covid-19 chega a 86% em Salvador
Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil

Salvador chegou à última semana do mês de maio com uma taxa de ocupação de 86% dos leitos públicos destinados a pacientes com Covid-19. A notícia foi dada pelo prefeito ACM Neto (DEM) nesta segunda-feira (25).

 

De acordo com Neto, apesar do número assustar, a expectativa é que novos leitos sejam abertos pela prefeitura e pelo governo do Estado nesta semana, podendo chegar até a 180 novos leitos na capital baiana, e a taxa de ocupação volte a um índice seguro.

 

“Mas estamos começando a semana com uma pressão muito grande, temos que matar um leão por dia”, disse o prefeito.

 

Para reduzir a taxa de contágio diária da doença, ACM Neto e Rui Costa anunciaram na semana passada uma antecipação de feriados para esta semana, a começar por esta segunda-feira até a quarta (27). Quinta e sexta também não haverá o funcionamento de atividades não essenciais na cidade.

 

O objetivo é diminuir o número de pessoas em circulação por Salvador e outras oito cidades da Bahia e, assim, conter o avanço da Covid-19 no estado.

Segunda, 25 de Maio de 2020 - 09:00

Fábio Vilas-Boas valoriza estabilidade em taxas da Covid-19 na Bahia

por Ulisses Gama

Fábio Vilas-Boas valoriza estabilidade em taxas da Covid-19 na Bahia
Foto: Elói Correa / GOVBA

O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, destacou na manhã desta segunda-feira (25) a estabilidade nos números da Covid-19. De acordo com o gestor, o estado vem tendo "sucesso no tratamento", o que reflete em pequenos números de mortalidade e letalidade.

 

"Boas notícias na guerra a COVID19. A Bahia mantém uma taxa média de crescimento de óbitos estável, ou seja, estamos conseguindo ter sucesso no tratamento. Isso se traduz numa da mais baixas taxas de letalidade e mortalidade do país. @ruicostagov aqui é trabalho", escreveu.

 

Os números do Ministério da Saúde publicizados por Vilas-Boas apontam que a Bahia tem uma taxa de mortalidade de 3,1 a cada 100 mil habitantes. O maior número de mortes é a do Amazonas, com 42,4 e o menor é o do Mato Grosso, com 1,1.

 

Já a taxa de letalidade da Bahia é de 3,3. A maior é a do Rio de Janeiro, com 10,1 e a menor é a do Sergipe, com 1,8.

 

A taxa de mortalidade representa o número de mortos em relação à população total de uma região. A letalidade, por sua vez, indica os óbitos relacionados ao número de infectados pelo coronavírus.

 

A incidência de casos da Bahia é de 93,5 a cada 100 mil habitantes. A maior é o do Amapá, com 751,2 e a menor é a do Paraná, com 28,1.

 

Segundo o último boletim detalhado da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), a Bahia registra 13.899 casos confirmados de coronavírus (Covid-19) e 460 óbitos. Confira os gráficos apresentados (clique nas imagens para ampliar):

 

Fotos: Reprodução / Twitter / Fábio Vilas-Boas

'Quem vai julgar o presidente é o futuro, não eu', diz Teich sobre condução da pandemia
Foto: Reprodução / Globo News

O ex-ministro da Saúde, Nelson Teich, disse neste domingo (24) que sua saída do cargo ocorreu por "desalinhamento" com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a ampliação do uso da cloroquina e hidroxicloroquina para o tratamento do coronavírus.

"Quem vai julgar o presidente é o futuro, não vai ser eu. Meu papel era traçar um caminho [para o combate à pandemia], mas não houve convergência com o presidente e eu não vou julgar ninguém", disse Teich em entrevista à Globo News.

O médico oncologista pediu demissão do cargo em meio ao aumento de casos e mortes pelo coronavírus e em um momento em que Bolsonaro pressionava o Ministério da Saúde para recomendar o uso da cloroquina no tratamento de pacientes, mesmo sem comprovação científica de sua eficácia.

Teich defendeu que o ministério reveja o documento publicado em 20 de maio, em que amplia a possibilidade de uso dos medicamentos para pacientes com sintomas leves do coronavírus. O próprio texto reconhece que não há evidências suficientes de eficácia e o termo de consentimento do uso em paciente cita risco de agravamento da condição clínica.

O ex-ministro diz que o protocolo defendido pelo ministério deveria ser revisto após pesquisa indicar maior risco de morte aos pacientes que usarem os medicamentos.

"Eu queria despolarizar a cloroquina. Acho que tem que ter uma política, uma gestão adequada. O uso do recurso tem que ser adequado, não posso gastar com algo que não se sabe se funciona, quando falta dinheiro para tanta coisa urgente", disse Teich.

Teich evitou críticas ao presidente e negou que sofreu pressão para que o ministério ampliasse o uso de cloroquina no país, mas afirmou que a divergência com Bolsonaro motivou sua demissão. "Não houve alinhamento com o presidente. Ele é o chefe da nação, ele me colocou ali. Se não há alinhamento, eu tenho que sair. É ele quem define tudo", disse.

O médico afirmou que, desde quando aceitou o convite para comandar o ministério, sabia da divergência com Bolsonaro sobre o uso do medicamento sem comprovação científica. "Existia diferença entre mim e o presidente de como abordar o problema. Isso era público. Mas a maior discussão quando entrei não era cloroquina, mas isolamento".

Casamento em Salvador é alvo de protestos; noivos e convidados estavam sem máscaras
Foto: Divulgação

Um casamento realizado na igreja da Vitória, em Salvador, no último sábado (23), causou revolta da vizinhança e também nas redes sociais. Os noivos e convidados do enlace matrimonial estavam sem máscaras. O uso do equipamento é recomendado como prevenção ao coronavírus. Vale lembrar que celebrações com até 50 pessoas são permitidas na capital baiana.

 

Gritos como “irresponsáveis” e “vergonha” ecoaram dos prédios próximos da igreja. 

 

De acordo com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur), as celebrações nas igrejas são permitidas, desde que respeitem a quantidade máxima de pessoas e as medidas de distanciamento. Porém, o órgão informou que a falta de máscaras vai contra as determinações municipais e das autoridades de saúde. A igreja será notificada por meio de uma ação fiscal.

 

Por meio de nota, a Paróquia Nossa Senhora da Vitória informou ao cerimonial e aos noivos a “obrigatoriedade do uso de máscaras, do limite de pessoas e do distanciamento exigido". Destaca ainda que "infelizmente o que foi acordado não foi cumprido" e lamenta, reforçando que que tem comprometimento com as orientações sanitárias em todas as atividades que lá ocorrem.
 

Domingo, 24 de Maio de 2020 - 19:52

Brasil regista 653 novas mortes por coronavírus nas últimas 24 horas

por Folhapress

Brasil regista 653 novas mortes por coronavírus nas últimas 24 horas
Foto: Divulgação

O Brasil registrou 653 novas mortes por coronavírus nas últimas 24 horas e 15.813 novos casos confirmados. Segundo dados do Ministério da Saúde divulgados neste domingo (24), o total de óbitos no Brasil alcançou 22.666. O recorde diário é da última quinta-feira (21), quando o país anotou 1.188 novas mortes em um só dia.

De acordo com a Universidade Johns Hopkins (EUA), o Brasil continua sendo o segundo país com mais casos da doença, com um total de 363.211 casos. Fica atrás apenas dos Estados Unidos, que têm 1,6 milhão de casos e 97 mil mortes no total.

Na última sexta-feira (22) o diretor-executivo da OMS (Organização Mundial da Saúde), Michael Ryan, afirmou que a América Latina é o novo epicentro da pandemia de coronavírus e o Brasil é o país mais preocupante.

Ryan disse que, embora o maior número de casos tenha sido registrado em São Paulo, a situação mais séria é a do Amazonas, "com uma taxa bem alta", afirmou. O estado tem o maior número de casos em relação à população: 490 pessoas infectadas por 100 mil habitantes.

Estimativas também divulgadas nesta sexta pelo Imperial College indicam que a transmissão da doença continua acelerando no Brasil. A taxa de contágio (Rt), que indica para quantas pessoas em média cada infectado transmite o coronavírus, foi calculada em 1,3 --quando está acima de 1, a transmissão está fora de controle.

Domingo, 24 de Maio de 2020 - 19:40

Contágio pela Covid-19 reduz produção e até suspende abates em frigoríficos

por Katna Baran e Marcelo Toledo | Folhapress

Contágio pela Covid-19 reduz produção e até suspende abates em frigoríficos
Foto: Divulgação

Nos quatro primeiros meses do ano, o setor de frigoríficos no Brasil ganhou um certo fôlego com a alta nas exportações, mesmo com o avanço dos casos do novo coronavírus no Brasil. Muita gente na área chegou a projetar que empresas brasileiras iriam ampliar a participação no mercado internacional.

Nas últimas semanas, porém, o setor passou a registrar redução na produção. Várias unidades industriais tiveram as atividades reduzidas ou até suspensas para evitar o contágio de trabalhadores.

Os frigoríficos têm mais de 200 unidades e geram 500 mil empregos diretos, principalmente em Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul.

Na Frimesa, maior empresa paranaense de abate e processamento de suínos, a produção foi reduzida em 20% para atender os protocolos de segurança, em especial o distanciamento entre funcionários, diz Elias José Zydek, presidente da companhia.

Zydek não descarta a possibilidade de o setor fazer abate emergencial para evitar desabastecimento e contra a alta dos preços. “A gente já está sentindo uma demanda maior do que a oferta. Há risco de a gente presenciar um desabastecimento”, afirma.

As medidas de proteção, porém, são apontadas como essenciais para evitar que a Covid-19 se espalhe pelas linhas de produção. No Rio Grande do Sul, por exemplo, 21 frigoríficos registram casos da doença. Cerca de 1.500 trabalhadores foram contaminados. Em Santa Catarina, há registro de três unidades com casos, e, no Paraná, uma.

Em Lajeado (RS), dois frigoríficos chegaram a ser fechados, da BRF e da Minuano. Ambos já reabriram, mas com restrições na quantidade de trabalhadores. A vigilância do município fez 1.858 testes rápidos nas duas unidades. Entre os funcionários da Minuano, 67% dos exames deram positivo para anticorpos da Covid-19. Na BRF, foram 19% dos trabalhadores.

A Minuano afirma, em nota, que possui um rigoroso plano de ação contra o novo coronavírus e considerou o fechamento uma medida drástica que seguramente coloca em risco a operação da unidade e de toda a cadeia produtiva”.

A BRF, por sua vez, diz que implementou uma série de ações de proteção. A empresa chegou a anunciar que, com o frigorífico fechado, teria que sacrificar 100 mil aves que não poderiam ser processadas. Com a reabertura, o plano foi cancelado.

Outra empresa que suspendeu atividades foi a JBS em Passo Fundo (RS). A unidade emprega 2.600 trabalhadores.

Após 25 dias de interdição, a empresa retomou as atividades na quarta-feira (20). A JBS diz que prioriza “a saúde dos colaboradores e adota um protocolo rigoroso de segurança contra a Covid-19”.

No Paraná, um surto entre funcionários da GTFoods em Paranavaí elevou o número de pessoas contagiadas na cidade e em outros 21 municípios da região, onde moram parte dos seus 2.100 empregados.

Segundo a Prefeitura de Paranavaí, três empregados morreram vítima da Covid-19.

Após 14 dias parada em abril, a GTFoods assinou um TAC e voltou a operar. A assessoria da empresa diz que não há irregularidades na operação.

Entre integrantes do setor, o balanço geral é até positivo.

“Há dificuldades, plantas foram suspensas temporariamente, mas nenhuma foi definitivamente suspensa, o que é muito bom”, disse Francisco Turra, presidente da ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal).

“O país cumpriu todos os contratos durante a pandemia e poderemos pegar espaços de alguns países que tiveram dificuldade de continuar a produzir, como os EUA, nosso maior concorrente.”

Nos EUA, dezenas de plantas foram fechadas devido à contaminação por Covid-19, impedindo o abate normal de porcos e aves, bem como o transporte da produção. Animais foram sacrificados por asfixia e tiro e tiveram suas carcaças descartadas.

Uma estimativa indica que cerca de 10 milhões de aves foram descartadas nos Estados Unidos, a maioria abatida por sufocamento por uma espécie de espuma à base de água, método considerado cruel por especialistas.

Até setembro, a indústria americana de suínos pode abater mais de 10 milhões de porcos.

De acordo com Turra, sacrifícios no Brasil foram pontuais. Os problemas registrados no Sul do país, nas primeiras semanas da pandemia, foram decorrentes da falta de uniformidade nos procedimentos, que agora estão devidamente ajustados, afirma.

Nos frigoríficos, as empresas estão adotando protocolos como medição de temperatura no início do expediente, distanciamento social, segregação de empregados de grupos de risco, idosos ou que tenham doenças preexistentes.

O contágio entre trabalhadores do setor também ocorreu no Centro-Oeste. Em Guia Lopes da Laguna, cidade de 10.366 habitantes a 230 quilômetros de Campo Grande (MS), mais de 90% dos casos da cidade foram registrados entre funcionários do frigorífico Brasil Global.

A unidade de 320 funcionários teve que suspender as atividades de 8 a 22 de maio (esta sexta), quando reabriu com um terço dos empregados.

O professor da Unesp e pesquisador do Cepea, da Esalq/USP, Thiago Bernardino de Carvalho, afirma que o momento é de cautela. A prioridade é garantir a saúde pública.

A médio e longo prazos, ele vê um cenário positivo, pois o mercado internacional vai manter as compras e medidas de proteção vão assegurar as atividades nos frigoríficos. “Nossas plantas são das mais modernas do mundo, em termos de controle operacional e controle sanitário. Não tivemos problema aviário, não tivemos peste suína, como Europa e China tiveram, e o último caso de febre aftosa foi em 2005, há 15 anos”, disse.

A investida da China no mercado nacional incentivou o contínuo crescimento no abate de bois e suínos, segundo ele, mercado que se abriu ainda mais após o problema enfrentado nos frigoríficos norte-americanos.

A previsão da ABPA é que o país exporte 900 mil toneladas de carne suína neste ano, um recorde ante 750 mil toneladas vendidas no ano passado, e 4,5 milhões de toneladas de carne de frango, volume também acima das 4,2 milhões de toneladas do ano passado.

O MPT tem agido para minimizar riscos nos frigoríficos e sindicatos de trabalhadores pressionaram para a realização de testes em massa dos funcionários.

“As indústrias têm centenas e até milhares de empregados em um único estabelecimento. Eles trabalham em ambientes fechados, com baixa taxa de renovação de ar, baixas temperaturas e, em alguns ambientes, com bastante umidade e sem o distanciamento mínimo recomendado para evitar o contágio”, afirmou o procurador Lincoln Cordeiro, vice-gerente do projeto nacional de adequação das plantas.

Presidente do Sindicato da Alimentação de Passo Fundo —onde houve interdição na JBS—, Miguel dos Santos disse que é preciso manter os empregos, mas a preocupação maior é com a vida.


Os frigoríficos no Brasil
Produção em 2019, em toneladas
Suínos"‚3,99 milhões
Aves"‚13,1 milhões

Consumo per capita anual
Suínos"‚15 kg
Aves"‚42 kg


Exportações no quadrimestre
Carne suína"‚280,8 mil toneladas (+ 28,4%)
Carne de frango"‚1,36 milhão de toneladas (+ 5,1%)
Fonte: ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal)

Secretário diz que 47 mortes de último boletim foram 'notificadas tardiamente' por municípios
Foto: Divulgação

Após o último boletim da Secretaria Estadual da Saúde, publicado neste domingo (24), informar o registro de novas 47 mortes pelo novo coronavírus na Bahia (clique aqui), o secretário Fábio Vilas-Boas afirmou que o número corresponde ao acumulado de 20 dias. Segundo ele, os óbitos ocorreram ao longo de abril e maio, mas foram “notificados tardiamente pelos municípios”. 

 

“É preciso um esforço maior das unidades hospitalares principalmente no fim de semana para reportarem imediatamente”, acrescentou Vilas-Boas, destacando que nas últimas 24 horas foi notificada uma morte à Sesab.

Estados Unidos vetam entrada de brasileiros no país por causa do novo coronavírus
Foto: Divulgação/PR

Após o presidente Donald Trump revelar que os Estados Unidos poderiam restringir a entrada de brasileiros, a medida foi confirmada, neste domingo (24). Segundo informações do G1, por meio de um decreto, ele veta, a partir do dia 29 de maio, a entrada de qualquer pessoa proveniente do Brasil em seu país. "Não quero que as pessoas venham aqui e infectem o nosso povo", disse ele à época, explicando que a iniciativa se daria para conter o avanço do novo coronavírus. 

 

"Hoje o presidente tomou a ação decisiva para proteger nosso país, ao suspender a entrada de estrangeiros que estiveram no país [Brasil] durante um período de 14 dias antes de buscar a admissão nos Estados Unidos", informou a secretária de imprensa da Casa Branca, Kayleigh McEnany, em comunicado.

 

“A ação de hoje irá garantir que estrangeiros que estiveram no Brasil não se tornem uma fonte adicional de infecções em nosso país. Essas novas restrições não se aplicam aos voos comerciais entre os EUA e o Brasil", acrescenta. Hoje o Brasil é o segundo país com maior número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus, atrás apenas dos Estados Unidos.

 

A medida, no entanto, não será aplicada a pessoas residentes nos EUA, pessoas casadas com cidadãos americanos ou tenham residência no país. Ficam de fora também filhos ou irmão de americanos ou residentes permanentes, desde que sejam menores de 21 anos. Podem entrar ainda membros de tripulações de empresas aéreas ou pessoas que convidadas pelo governo dos Estados Unidos.

Domingo, 24 de Maio de 2020 - 18:25

Novo recorde: Bahia soma 47 óbitos em 24h e registra 899 novos casos de Covid-19

por Jamile Amine

Novo recorde: Bahia soma 47 óbitos em 24h e registra 899 novos casos de Covid-19
Foto: Divulgação

A Bahia registrou 47 mortes, neste sábado (24), o maior número em 24h. De acordo com boletim da Secretaria Estadual de Saúde, a quantidade de novos casos subiu para 13.899, com um aumento de 899 no mesmo período. Outros 190 casos confirmados aguardam validação nos respectivos municípios.

 

Os casos confirmados ocorreram em 246 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (62,83%). As cidades com os maiores coeficientes de incidência por 1.000.000 habitantes foram Uruçuca (4.239,97), Ipiaú (3.923,88), Itabuna (3.878,57), Ilhéus (3.172,61) e Salvador (2.998,59)

 

Até então, a Bahia registra 3.965 pacientes recuperados e 9.474 pessoas que permanecem monitoradas pela vigilância epidemiológica por estarem com sintomas da Covid-19. No estado, o vírus já contaminou 2.094 profissionais da saúde. 

Drauzio Varella diz que Brasil pode assumir 'liderança mundial em óbitos' por Covid-19
Foto: Reprodução / TV Globo

Em artigo publicado no jornal Folha de São Paulo neste domingo (24), o médico Drauzio Varella alertou que o Brasil pode se tornar o país com maior número de óbitos por Covid-19 em todo o mundo.

 

Para o médico, a expectativa se deve a "décadas de descaso com a saúde" que "inviabilizaram a agilidade das respostas, para enfrentar o desafio de impedir que o Brasil assuma a humilhante liderança mundial na contagem do número de óbitos".

 

O médico cita a insistência do presidente Jair Bolsonaro em não tratar da Covid-19 como uma ameaça real à saúde de milhões de brasileiros.

 

"No auge da maior crise sanitária dos últimos cem anos, assistimos à inacreditável negação da realidade por parte das autoridades federais, a quem caberia a responsabilidade inalienável de coordenar e dar sentido ao esforço nacional. Inexplicavelmente, o governo se exime até de reconhecer a gravidade do mal que aflige todos, especialmente os que perderam —e ainda perderão— familiares e pessoas queridas", escreveu.

 

De acordo com Dr. Drauzio Varella, o "Brasil caiu numa armadilha sinistra".

 

Ele relaciona as duas trocas de ministro da Saúde ao fato do presidente Jair Bolsonaro fazer "o diabo para acabar com o isolamento social e impor um medicamento inútil, com efeitos colaterais eventualmente graves. Por que essa obstinação? Para dar a ilusão de que existe cura para quem contrair a doença nas ruas?".

Domingo, 24 de Maio de 2020 - 16:20

Guedes quer 'Refis do coronavírus' para parcelar tributo adiado

por Folhapress

Guedes quer 'Refis do coronavírus' para parcelar tributo adiado
Foto: Marcos Correa/ Divulgação/ PR

O ministro da Economia, Paulo Guedes, pretende criar um programa de parcelamento de impostos que estão sendo adiados durante a crise do novo coronavírus.

Em sua avaliação, a medida, voltada às empresas, seria necessária para não haver um retorno repentino e volumoso de tributos no momento em que muitas ainda teriam dificuldades.

A reportagem apurou que o parcelamento está em estudo e que o ministro considera o plano como o mínimo a ser feito pelo governo para os empresários.

Guedes já chegou a mencionar "perdão" de impostos, o que membros do ministério dizem se tratar de perdão de multas e juros.

De qualquer forma, ele evita detalhar o tema publicamente, sob a justificativa de que o mero anúncio de flexibilização nos pagamentos poderia causar tumulto no sistema tributário por incentivar empresas a contar com eventuais medidas desde já.

Além disso, Guedes recorre à metáfora da guerra ao dizer que não se deve distribuir medalhas enquanto as batalhas não acabarem.

Desde o começo da pandemia, diferentes cobranças de tributos foram adiadas pelo Ministério da Economia a fim de mitigar os efeitos da crise na atividade.

É o caso de PIS, Pasep, Cofins e contribuição previdenciária paga por empresas, que somam aproximadamente R$ 80 bilhões em receitas adiadas nos dois meses da medida.

Só em abril, primeiro mês dos adiamentos, as quatro cobranças postergadas geraram queda de R$ 35 bilhões na arrecadação federal em relação ao originalmente previsto.

O valor representa mais que o orçamento anual do Bolsa Família.

Além do parcelamento dos impostos adiados, Guedes acena com a possibilidade de prorrogar as medidas de alívio tributário já concedidas durante a pandemia.

Um exemplo é o IOF aplicado sobre operações de crédito, que foi eliminado por três meses. A renúncia fiscal estimada pela Receita com a medida é de cerca de R$ 7 bilhões no período.

Guedes considera possível postergar a suspensão da cobrança do imposto.

O ministro lembra que futuramente o IOF pode até acabar, fazendo referência a seu modelo de reforma tributária que chega a prever a supressão dessa cobrança.

O plano, no entanto, ainda não foi enviado ao Congresso Nacional.

Quase todas as ações voltadas aos impostos até agora não geram impacto primário em 2020 por serem basicamente adiamentos de cobranças para os próximos meses.

Mas futuras ações, como uma eventual prorrogação da suspensão do IOF ou o parcelamento de impostos diferidos em um cronograma que se prolongue para 2021, devem ampliar o rombo das contas públicas neste ano.

A suspensão das regras fiscais e até mesmo da meta de resultado primário dá margem para medidas mais ousadas neste ano.

Porém, de qualquer forma, a equipe econômica teme os efeitos das ações no endividamento público.

As receitas em abril já tiveram uma queda real (des- contada a inflação) de quase 30% em abril na com- paração com igual mês do ano passado.

O enfraquecimento da receita aumenta a previsão de déficit, estimado até agora em aproximadamente R$ 700 bilhões, e eleva a relação entre dívida bruta e PIB (que deve sair de 75% para cerca de 90% ao fim do ano, conforme o atualmente previsto).

Diante desses números, a equipe econômica também considera que as medidas tributárias podem ser tomadas de forma diferenciada para cada setor.

O secretário especial da Receita Federal, José Barroso Tostes Neto, disse neste mês que as primeiras medidas tributárias de alívio às empresas anunciadas em março foram feitas sem restrições, com adiamento da cobrança de impostos para todos os setores. Mas que o retorno das empresas às atividades não será linear.

Por isso, diz, os segmentos que forem impedidos de funcionar na retomada sofrerão mais perdas.

"Focaremos nossa análise e nossas decisões de forma setorial. Até então, as medidas foram adotadas de forma ampla e geral. Com a possibilidade de retorno selecionado, avaliaremos a necessidade ou não de medidas específicas conforme cada setor", disse Tostes Neto.

Nas medidas para a área tributária, Guedes ainda considera criar um imposto sobre transações digitais e retirar encargos trabalhistas pagos por empresas, por até dois anos, justificando a necessidade de maior geração de empregos para a recuperação da atividade.

Contraprova de detento de Itabuna para coronavírus dá negativo
Foto: Divulgação / Seap

A contraprova de um detento em Itabuna para coronavírus deu resultado negativo. A informação foi divulgada neste domingo (24) pela Secretaria de Administração de Penitenciária e Ressocialização da Bahia (Seap).

 

Na última quinta (21) (leia mais aqui), o detento realizou um teste rápido, que indicou positivo. Na contraprova, ele foi submetido ao exame swab nasal, considerada mais eficaz para diagnosticar a Covid-19.

 

Desta forma, segundo a Seap, não há caso de detentos diagnosticados com a Covid-19 nas unidades prisionais da Bahia.

Servidor da Assembleia Legislativa da Bahia morre vítima do coronavírus
Foto: Glauber Guerra/ Bahia Notícias

O coronavírus fez uma vítima na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). O servidor Cícero Clemente de Souza faleceu no último sábado (23).

 

Cícero fazia parte do departamento de Tecnologia da Informação da AL-BA. Ele integrava o quadro de funcionários da casa legislativa desde 1986.

 

Por meio de nota, a AL-BA lamentou a morte do servidor e prestou condolências aos familiares da vítima. 

 

A AL-BA ainda prometeu tomar medidas mais severas para combater o coronavírus.


Imagem: Divulgação/ AL-BA

Sesab monta 'drive thru' para testagem de Covid-19 em profissionais de saúde
Foto: Divulgação / Sesab

Os profissionais de saúde da rede estadual ganharam mais uma opção para realizarem testes da Covid-19. Um centro de testagem foi montado pela Sesab no formato de “drive thru”, no Centro de Atenção à Saúde Professor Dr. José Maria de Magalhães Neto, na região do Shopping da Bahia, em Salvador. A unidade começou a funcionar no último sábado (23).

 

Para realizar o teste, o agendamento deve ser feito pelo Serviço Integrado de Atenção à Saúde do Trabalhador (SIAST) ou pelo RH da unidade onde ele atua. O Centro vai entrar em contato por telefone para informar a data e horário do exame. Ele funciona todos os dias das 8h às 17 horas.

 

“Recomendamos a testagem regular dos trabalhadores em um intervalo de 14 a 21 dias que atuem nos hospitais estaduais da capital e do interior, independente do perfil de atendimento da unidade. Devido ao número de profissionais da capital, montamos este Centro como mais uma opção, mas estamos estruturando salas de coleta em todos os hospitais”, disse Fábio Vilas-Boas, secretário de Saúde da Bahia.

 

A nova unidade conta com dez funcionários e tem capacidade para realizar 240 coletas por dia. Devem realizar o teste todos profissionais de saúde com síndrome gripal suspeitos de Covid-19 ou que tenham tido contato com casos confirmados de coronavírus, mesmo que assintomáticos.

 Governo da Bahia realiza mutirão e viabiliza mais de mil aposentadorias em um mês
Foto: Divulgação

O governo da Bahia concedeu aposentadoria a 1.115 servidores estaduais nos últimos 30 dias. Esses profissionais são oriundos das Secretarias de Educação (SEC), Saúde (Sesab) e Polícia Civil.

 

A média mensal de inativações triplicou, em virtude do mutirão deflagrado pela Secretaria de Administração do Estado (Saeb), por meio da Previdência (Suprev), e em parceria com os três órgãos. O objetivo é dar agilidade ao trâmite dos processos de aposentadoria, viabilizando, preferencialmente, o afastamento dos servidores que integram o grupo de risco para a Covid-19 por conta da idade acima de 60 anos.

 

“O mutirão visa, entre outras coisas, valorizar o servidor público, propiciando o cuidado necessário à garantia dos seus direitos no final da vida funcional”, disse a diretora de Administração dos Benefícios Previdenciários (Diben), Joana Costa Pinheiro.

 


O mutirão foi viabilizado em virtude do decreto nº 19.549, do último 18 de março – que autoriza, durante a situação de emergência, a convocação pelo Estado de profissionais contratados sob o Regime Especial de Direito Administrativo – Reda para dar apoio a demandas que não possam ser supridas pelas equipes dos órgãos.

 

“A força-tarefa reúne mais de 70 pessoas, incluindo profissionais da Suprev que estão atuando em diligência nos órgãos, para acompanhar diretamente a instrução dos processos, o que ajuda muito a reduzir o tempo de tramitação”, acrescentou a diretora.

Domingo, 24 de Maio de 2020 - 11:20

Após grave infecção urinária, missionário se livra do coronavírus

por Folhapress

Após grave infecção urinária, missionário se livra do coronavírus
Foto: Arquivo pessoal

Quando o novo coronavírus contagia uma pessoa, o órgão mais afetado é o pulmão, causando pneumonia. No entanto, com o aumento da pandemia, já são conhecidas novas formas de o vírus atacar. E uma delas é nos rins, caso mais raro, mas que atingiu em cheio Evaldo José Ferreira, 35 anos, missionário redentorista do Santuário de Aparecida.

 

Não que ele não tenha apresentado os sintomas tradicionais da Covid-19. "Senti dor na bexiga, febre, dor de cabeça muito forte e perda de olfato e paladar, além de vomitar muito. Fui ao hospital e os exames mostraram uma infecção urinária muito forte. Cheguei até a urinar sangue puro", lembra Evaldo.

 

No início da internação no Hospital São Camilo da Pompeia, o teste da Covid deu negativo, mas ele continuou por uma semana com febre e sem se alimentar direito. Somente após repetir o exame é que foi constatada sua contaminação pelo novo coronavírus.

 

"Depois eles me colocaram em uma ala só para tratamento de pacientes da Covid. Fiquei 15 dias internado e precisei usar até uma sonda para urinar, por causa da infecção", conta o missionário, recordando-se dos dias mais difíceis no hospital.

 

"Eu sentia uma dor de cabeça muito forte que quase tirava os meus sentidos. O remédio era muito forte, mas não passava a dor. Só me deram alta quando voltei a comer melhor e a andar sozinho, porque, em alguns momentos, eu não sentia as pernas. Tive de fazer fisioterapia para melhorar."

 

Evaldo agradeceu ao trabalho e apoio psicológico dado pelos profissionais que o atenderam. "Eles foram muito atenciosos. Quando eu ficava desanimado eles davam uma palavra de ânimo. E também me senti mais forte pelas orações de todos da minha comunidade", diz o religioso, que pegou o vírus ao cuidar de um confrade, o frater Flávio Alexandre da Silva, o primeiro da comunidade de 12 religiosos da Congregação do Santíssimo Redentor, no Ipiranga (zona sul de SP), a pegar a doença.

 

"Ficamos cuidando dele, achando que era só febre e mal-estar. Só que quando ele foi ao hospital e começou a sentir falta de ar, fez o teste e deu positivo. Eu comecei a sentir os sintomas uma semana antes."

Secretário de Vigilância do Ministério da Saúde anuncia demissão
Foto: Reprodução / ES Brasil

O secretário Nacional de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson de Oliveira, anunciou que vai deixar o cargo nesta segunda-feira (25). Enfermeiro especialista em epidemiologia, ele chegou a pedir demissão mais de um mês atrás, no dia 15 de abril, mas o então ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, o convenceu a ficar.

 

Na ocasião, Mandetta disse que não aceitava sua saída, pois estavam ali juntos e deveriam sair todos juntos da pasta (veja aqui). Mas pouco depois, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) demitiu o ministro por falta de alinhamento na condução das medidas de combate à pandemia do novo coronavírus. Mandetta defende o isolamento social como medida mais eficaz para conter a disseminação do vírus e não aceitou alterar o protocolo de uso da cloroquina para pacientes contaminados (saiba mais aqui).

 

Ainda assim, quando deixou o cargo, o ex-ministro disse que seus auxiliares deveriam permanecer ao menos pelo período de transição para o mandato do sucessor, o médico Nelson Teich. No entanto, ele também deixou o Ministério no último dia 15 por conta da cloroquina (saiba mais aqui). Com isso, segundo informações do G1, Oliveira está de saída da pasta.

 

"Apesar de sair da função de Secretário de Vigilância em Saúde, continuarei ajudando ao Ministro Pazuello nas ações de resposta à pandemia. Somos da mesma instituição, Ministério da Defesa e conosco é missão dada, missão cumprida", declarou Wanderson, que afirma ter combinado sua saída com o ministro interino da Saúde, o general Eduardo Pazuello. Como é servidor do Hospital das Forças Armadas, em Brasília, ele vai se reapresentar à instituição.

 

O currículo do secretário indica que ele é doutor em epidemiologia, com mais de 20 anos de experiência, 15 deles no Ministério da Saúde. Mas Oliveira tem também passagens pelo Ministério da Defesa e pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). De acordo com a publicação, foi ele o responsável por coordenar a resposta nacional à pandemia de influenza e à síndrome de zika congênita e atuou como ponto focal para o regulamento sanitário internacional e eventos de massa, como a Copa do Mundos e as Olimpíadas.

Domingo, 24 de Maio de 2020 - 09:50

Vacina contra coronavírus testada em macacos tem bons resultados, mas gera dúvidas

por Reinaldo José Lopes | Folhapress

Vacina contra coronavírus testada em macacos tem bons resultados, mas gera dúvidas
Foto: Reprodução / Olhar Digital

Dois estudos feitos com macacos trazem dados animadores sobre uma possível vacina contra o vírus causador da Covid-19, embora também mostrem que não é simples produzir uma imunidade completa contra a doença.

 

Pesquisadores da Universidade Harvard (EUA) mostraram que, após uma primeira infecção pelo Sars-CoV-2, o organismo dos primatas conseguiu ficar protegido do vírus, ao menos no curto prazo. A mesma equipe, ao testar uma vacina feita com DNA nos animais, verificou que a imunização é capaz de criar uma barreira contra o patógeno, mas mesmo os macacos vacinados ainda demoram um pouco para derrotar totalmente o vírus.

 

Os resultados, que saíram na revista especializada Science, vêm de dois trabalhos coordenados por Dan Barouch, do Centro de Virologia e Pesquisa de Vacinas da Escola Médica de Harvard. Ao infectar suas cobaias com a forma natural do vírus, Barouch e companhia conseguiram observar o que acontece com as defesas do organismo conforme a doença progride e, assim, tentaram reproduzir partes desse processo com a ajuda da vacina.

 

Para isso, os cientistas trabalharam com macacos-resos (Macaca mulatta), um primata asiático muito usado em pesquisas biomédicas.

 

Uma das vantagens dos estudos com a espécie é que a "fechadura" das células dos macacos usada pelo Sars-CoV-2 para invadir o organismo é muito semelhante à que existe nas células humanas. Por outro lado, os sintomas nos animais costumam ser mais amenos: os primatas ficam abatidos e perdem o apetite, mas não têm febre nem falta de ar.

 

Um grupo de nove macacos-resos saudáveis recebeu 1 ml de solução contendo vírus, em diferentes concentrações, na cavidade nasal e na traqueia. De início, os pesquisadores detectaram a presença de material genético viral nas vias respiratórias dos bichos, com uma "assinatura" típica que indicava a produção de novos vírus no organismo dos macacos. Alguns dos animais, sacrificados e submetidos a exame, tinham sinais de pneumonia em seus pulmões.

 

Com a passar das semanas, o corpo das cobaias se pôs a produzir anticorpos capazes de se ligar ao Sars-CoV-2 e de neutralizá-lo (ou seja, impedir que o vírus entre nas células). Também desenvolveram a chamada imunidade celular - ou seja, células específicas de seu sistema de defesa armazenaram "memórias" do ataque viral, tornando-se capazes de atacar o coronavírus.

 

Um mês e cinco dias após a infecção inicial, os bichos receberam uma dose viral idêntica à anterior. Resultado: pouquíssimo material genético do vírus nas amostras oriundas dos animais e quase nenhum sintoma de infecção. Além disso, os níveis de anticorpos contra o Sars-CoV-2 aumentaram rapidamente no organismo dos macacos-resos, sinal de que o corpo "se lembrava" com precisão de como derrotar o invasor.

 

O grupo de Harvard usou os conhecimentos obtidos com essa análise para testar a eficácia de seis formas diferentes da vacina de DNA que estão desenvolvendo. Todas elas se baseiam na receita genética para a produção da proteína S, a "chave" usada pelo vírus para invadir as células.

 

A ideia é que o material genético de origem viral, inserido nas células, leve à produção da proteína S dentro delas. O organismo, então, reconhecerá que a molécula de origem viral é um corpo estranho e iniciará a produção de anticorpos e outras defesas especificamente projetadas contra ela. Assim, o corpo estará preparado caso entre em contato com o vírus completo.

 

As diferentes formulações da vacina incluíam tanto a receita completa da proteína quanto formas "resumidas" ou ligeiramente alteradas dela. Os testes, feitos com 25 primatas, mostraram que os melhores resultados vêm com o uso do DNA correspondente à totalidade da proteína S, com produção considerável de anticorpos neutralizadores e também de imunidade celular.

 

Quando os macacos vacinados receberam doses do vírus real em suas narinas e traqueias, todos apresentaram menos material genético do Sars-CoV-2 no organismo do que os macacos que serviram como controle (não vacinados que também foram inoculados com o vírus). Dos 25, oito macacos-resos não apresentaram nenhum material genético característico dos vírus que estão se reproduzindo -ou seja, o vírus detectado em seu organismo era apenas o da inoculação. Nenhum dos animais apresentou sintomas consideráveis.

 

Para os pesquisadores, os resultados indicam que a vacina, embora confira proteção considerável, ainda não é capaz de produzir a chamada imunidade esterilizante, que impede totalmente a entrada do vírus no organismo. Em vez disso, ela permitiu que os animais vacinados controlassem rapidamente a infecção no início.

 

Ainda fica no ar outra dúvida: a duração dessa imunidade. Provavelmente só será possível estimar isso com a passagem dos meses e anos - pelo que se sabe acerca de outros tipos de coronavírus, a proteção contra novas infecções tenderia a durar de um a dois anos.

Domingo, 24 de Maio de 2020 - 09:40

Casa Nova antecipa feriado municipal para tentar frear proliferação do coronavírus

por Glauber Guerra

Casa Nova antecipa feriado municipal para tentar frear proliferação do coronavírus
Foto: Divulgação

A Câmara Municipal de Casa Nova aprovou por unanimidade no último sábado (23), a antecipação do feriado do dia 20 de junho, alusivo ao aniversário do município. Com isso, a data será celebrada excepcionalmente em 27 de maio, próxima quarta, como medida para frear a proliferação do coronavírus. O projeto foi enviado pelo prefeito Wilker Torres (PP).

 

Desta forma, os serviços essenciais só voltarão a funcionar em Casa Nova na próxima quinta (28), já que o governo da Bahia sancionou uma lei que antecipou para todo os municípios do estado os feriados de São João e Independência da Bahia para segunda (25) e terça (26) (saiba mais aqui).

 

Casa Nova registrou até o momento oito casos confirmados de coronavírus e nenhum óbito. 

 

TOQUE DE RECOLHER EM DISTRITO


O prefeito de Casa Nova, Wilker Torres (PP), anunciou toque de recolher no Distrito de Santana do Sobrado, das 22h às 4h30.  O local se tornou o epicentro do coronavírus no município com seis casos registrados. A medida tem validade até 31 de maio.

 

Santana do Sobrado é um dos maiores distritos do município centraliza as grandes fazendas produtoras de frutas e um número de trabalhadores do campo que beira a 30 mil, muitos deles vindos de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA).
 

Domingo, 24 de Maio de 2020 - 09:10

'Agora estou forte', diz Yudi Tamashiro sobre morte da avó por coronavírus

por Folhapress

'Agora estou forte', diz Yudi Tamashiro sobre morte da avó por coronavírus
Foto: Reprodução/ Instagram

 Yudi Tamashiro, 27, usou as redes sociais para informar seus seguidores sobre a morte de sua avó devido ao novo coronavírus. "Eu já chorei muito, já sofri, e agora estou forte. Creio que ela está com Deus, papai do céu lá já abraçou ela, enfim, é nisso que eu acredito", disse, em sequência de stories em seu perfil no Instagram, o apresentador, que em novembro do ano passado anunciou que abandonaria a carreira musical para servir a Deus.

Além de ter perdido a mãe de seu pai para a Covid-19, o ex-Bom Dia e Cia também disse que o tio estava internado na UTI em decorrência do vírus, mas teve alta e já está em casa. "A oração tem poder. Mais um sobrevivente do coronavírus", publicou na quarta-feira (20), em seu Instagram.

"Se cuidem, porque tem gente que está levando na brincadeira e tal, mas só quando uma notícia dessa bate na nossa porta que realmente cai a ficha", alertou, explicando que os acontecimentos recentes em sua família o fizeram entender por que o mundo estava parado.

Atualmente à frente do Festival de Prêmios, da Rede TV!, Yudi disse que tem se esforçado para manter ocupadas as mentes de sua mãe, que já teve câncer, e de seu pai, que sofre diretamente com a perda da própria mãe: "Estou tentando criar coisas para ele não ficar doido, porque ficar dentro de casa já é difícil, mas com uma notícia dessas...".

Juazeiro: ponto de coleta rápido da Covid-19 não funcionará nos feriados antecipados
Foto: Divulgação / Sesau / Juazeiro

A Prefeitura Municipal de Juazeiro suspendeu o funcionamento do ponto de coleta com teste rápido para pacientes com suspeita de coronavírus em virtude dos feriados antecipados na Bahia (saiba mais aqui).

 

“A Secretaria informa ainda que o ponto de coleta da COVID-19 montando na Escola Municipal Judite Leal Costa, bairro Maria Gorete só retorna atendimento na quarta-feira (27). Os pacientes que já estavam agendados para segunda e terça-feira terão nova data e horários agendados”, diz a Secretária de Saúde de Juazeiro, por meio de nota.

 

Porém, outros serviços serão mantidos pela Secretária de Saúde, como emissões de passagens e viagens para Tratamento Fora de Domicílio (TFD) para Salvador. O horário de atendimento será das 7h às 13h.  Os serviços de urgência e emergência realizados pela UPA, Samu, Hospital São Lucas e Promatre permanecem sem alteração. 

 

Os serviços da Vigilância em Saúde permanecerão com os plantões do Laboratório Central (Lacen) do município e plantões da vigilância epidemiológica. Já os atendimentos a pacientes dos programas de hanseníase, tuberculose, Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST/ AIDS) e hepatites serão remarcados.

 

Até o momento, Juazeiro registrou 55 casos de coronavírus e quatro óbitos.

Domingo, 24 de Maio de 2020 - 08:50

Muito do que lemos sobre o coronavírus é nonsense, diz John Malkovich

por Walter Porto | Folhapress

Muito do que lemos sobre o coronavírus é nonsense, diz John Malkovich
Foto: Divulgação

John Malkovich, ator duas vezes indicado ao Oscar, mas que ficou mais conhecido por interpretar ele mesmo num clássico moderno de Spike Jonze ("Quero Ser John Malkovich"), está tendo um ano de extremos no mundo das séries.

Ele acaba de trocar um homem da fé, o pontífice cool da série "The New Pope", da HBO, por um homem da ciência, o Adrian Mallory de "Space Force", da Netflix.

Cientista-chefe do projeto que dá nome à série, o papel de Mallory é garantir que a missão americana de exploração do espaço coloque o interesse científico em primeiro lugar. Busca reduzir ao máximo o voluntarismo amador e a ânsia militarizante expressa tanto pelo governo quanto pelo comandante da missão, Mark Naird, vivido por Steve Carell.

Malkovich interpreta, portanto, a voz racional da ciência num momento em que ela está sob maior escrutínio do que nunca -já que não há quem não espere ansiosamente que saiam dos laboratórios os tratamentos e vacinas para a Covid-19.

"Já tínhamos terminado de filmar quando tudo isso aconteceu", conta ele ao repórter. "Mas sabe, é papel da ciência colocar a si mesma sob questão. A ciência cometeu inúmeros erros ao seguir o mapa desta doença, fazer prognósticos sobre ela e dizer como deveríamos responder."

É claro que o ator não nega a importância de levar a sério o pensamento científico, principalmente nesse momento grave. Não é esse o argumento. "Diria que a ciência deveria ficar para os cientistas. Ciência são fatos provados, demonstrados, irrefutáveis. O resto é chute ou ilusão."

Segundo ele, é preciso pesar que dá para usar dados científicos para argumentar a favor de coisas completamente diferentes. "Muitos dos lados de um debate podem ter uma racionalidade e partir de uma base científica. Mas diria que sabemos muito pouco sobre o que estamos vivendo agora. E muito do que estamos lendo é nonsense."

"Space Force", ainda que seja um seriado de comédia com um fundo um pouco mais sério, também abre flancos generosos ao nonsense. Afinal, foi criada por Carell junto com seu ex-parceiro por trás de "The Office", Greg Daniels.

"Quando soube que Daniels e Carell fariam uma série sobre uma força espacial, só a ideia já me fazia rir. Muitos personagens me pareceram ótimos", conta Malkovich. Seu personagem, Mallory, é daquelas figuras que se revelam engraçadíssimas mesmo sem interesse algum em fazer graça.

Ele diz que, quando aceitou o papel de pronto, só sabia que o ex-intérprete de Michael Scott seria o protagonista. Depois, começou a entrar em contato com o elenco, "atores incríveis e divertidos de jeitos diferentes".

"As únicas pessoas que eu conhecia antes eram Noah Emmerich [que interpreta o chefe da Força Aérea], que fez meu filho há pouco tempo, e Diana Silvers [a filha de Naird]. Acho que a matei no ano passado num filme."

Pátio do Detran-BA funcionará em regime especial nos feriados antecipados em Salvador
Foto: Divulgação / Detran-BA

O pátio privado credenciado ao Detran-BA, localizado na Avenida Barros Reis, em Salvador, irá funcionar em regime especial durante os feriados antecipados na capital baiana que acontecem na segunda (25), terça (26) e quarta-feira (27). O atendimento será das 8h às 13h.

 

Desta forma, quem teve o carro removido em blitz realizada pelo Detran-BA, poderá retirar o veículo durante os feriados antecipados. 

 

Para retirar o veículo, o proprietário deve apresentar o licenciamento integrado em dia, composto por taxa administrativa do Detran-BA, IPVA, seguro DPVAT e multas, se houver; e fazer o pagamento do guincho e das diárias de estacionamento. Ele precisa estar portando a carteira de habilitação ou apresentar uma pessoa habilitada para conduzir o carro. 

 

O pagamento das taxas poderá ser feito no próprio pátio, com a opção de parcelar no cartão de crédito. 

 

O estacionamento segue com medidas de prevenção ao coronavírus, de acordo com orientações do Detran-BA. Os funcionários usam luvas e máscaras, os ambientes e veículos são higienizados e há o controle no atendimento ao público.
 

Covid: Autores de estudo que recomendava hidroxicloroquina retiram trabalho do ar
Foto: Pixabay / Reprodução

Pesquisadores franceses, autores de um estudo pioneiro que recomendava o uso da hidroxicloroquina e azitromicina no tratamento da Covid-19, retiraram do ar o trabalho sobre as duas substâncias. De acordo com o portal Bem Estar, da Globo, a equipe responsável pediu, inclusive, que a pesquisa não seja mais referência em outros estudos, sejam eles clínicos ou acadêmicos. 

 

Foi a partir deste estudo, primeiro a encontrar uma suposta substância eficaz contra o novo coronavírus, que o presidente americano Donald Trump passou a defender o uso da hidroxicloroquina. A atitude do político foi reproduzida, posteriormente, pelo presidente brasileiro Jair Bolsonaro. 

 

Alvo de críticas pela análise superficial e metodologia baseada em apenas 30 pacientes, o estudo foi superado por uma pesquisa mais aprofundada divulgada pela revista The Lancet, na sexta-feira (22). Segundo o periódico especializado em assuntos médicos, a nova pesquisa não encontrou relação no uso da cloroquina e melhora dos pacientes diagnosticados com a Covid-19. 

 

O novo estudo, que teve uma base de 96 mil infectados, também alertou que além da cloroquina e hidroxicloroquina não terem eficácia contra a doença, pacientes que foram tratados com ambas as substâncias podem ter piora cardíaca e até mesmo aumento do risco de morte durante a internação. 

Brasil confirma em 24 horas 965 mortes pela Covid-19; óbitos chegam a 22.013
Foto: Piro4d / Pixabay / Reprodução

O Brasil registrou, neste sábado (23), 965 mortes causadas pela Covid-19 confirmadas nas últimas 24 horas, segundo informações do Ministério da Saúde. No mesmo período 16.508 pessoas tiveram a confirmação do diagnóstico positivo para a doença. 

 

Ao todo, até o momento, o Brasil possui o registro de 22.013 mortes causadas pelo novo coronavírus e 347.398 casos de pessoas que se infectaram pela doença. Do número total, 142.587 brasileiros já se encontram recuperados. 

 

Segundo informações do G1, os números apresentados pelo país em relação a quantidade de infectados já supera a Rússia. Sendo assim, o Brasil é o segundo país no mundo com mais casos atrás apenas dos Estados Unidos. 

Histórico de Conteúdo