Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Entidades lamentam decisão de manter comércio fechado e solicitam contrapartida
Foto: Divulgação

As instituições empresariais – Fecomércio-BA, FCDL Bahia, CDL Salvador e Associação Comercial da Bahia – lamentam a decisão do prefeito de Salvador e do governador da Bahia, de manter o fechamento de lojas do comércio pelos próximos dias. Assim, o segmento solicita imediatas contrapartidas do poder público frente a decisão tão extrema.

 

As entidades recordam que no ano passado a crise foi terrível para todos e, ainda assim, o setor empresarial obteve subsídio do Governo Federal para pagar os funcionários, além de algumas linhas de crédito que foram facilitadas. Este ano, nem com essas iniciativas os empresários podem contar, criando um ambiente de absoluto abandono à própria sorte, deixando as empresas sem saber como honrar com as folhas de pagamento sem terem faturamento ou empréstimos. 

 

As instituições têm posição contrária ao lockdown e são favoráveis a medidas  de combate à pandemia, a exemplo do Plano de Retomada Econômica já apresentado pela Prefeitura de Salvador. 

 

Por fim, os representantes do Comércio baiano reiteram as solicitações propostas aos governos estadual e municipais: aquisição urgente de vacinas; abertura de novos leitos; rígida punição para quem promove aglomerações irresponsáveis; apoio à criação de comitê público-privado para discutir medidas de combate à pandemia; parcelamento tributário para a sobrevivência das empresas; e concessão de linhas de crédito sem burocracia.

Governo da Bahia decide prorrogar 'lockdown' na RMS por mais uma semana
Foto: Betto Jr / Secom PMS

O governo da Bahia decidiu prorrogar por mais uma semana o decreto que restringe atividades não essenciais na Região Metropolitana de Salvador. A decisão foi tomada pelo prefeito Bruno Reis, pelo governador Rui Costa e demais gestores da RMS, em reunião virtual feita neste sábado (6), mesmo dia em que o estado bateu mais um recorde de internações por Covid-19 em Unidades de Terapia Intensiva públicas. 

 

Segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde, atualmente há 1.021 pessoas internadas em UTIs do SUS. Destas, 997 são adultos. Uma taxa de ocupação de 86% dos 1.165 leitos disponíveis até o momento.

 

Segundo informações obtidas pelo Bahia Notícias, as atividades não essenciais podem ser liberadas antes do próximo domingo, dia 14 de março, desde que essa taxa de ocupação fique abaixo de 80%. Além disso, os prefeitos cogitam determinar medidas ainda mais restritas no próximo fim de semana, fechando inclusive mercados, se o número de contaminados continuar crescendo.

 

Os gestores chegaram à conclusão após avaliação dos números do novo coronavírus na cidade. Mesmo com a abertura de novos leitos no Hospital Salvador, na tenda da Arena Fonte Nova, do novo gripário em São Cristóvão e na segunda unidade de suporte ventilatório nos Barris, a taxa de ocupação de leitos em Salvador é de 85% e, na Bahia, é de 87%. Para evitar o colapso no sistema de saúde, a saída foi, mais uma vez, prorrogar a medida de restrição do comércio por mais uma semana e, assim, garantir o isolamento social e diminuir a taxa de transmissão.
 


“Após sete dias de suspensão das atividades não essenciais em nossa cidade, já começamos a observar uma pequena queda no número de casos ativos, mas ainda muito incipiente diante da gravidade que estamos vivendo neste momento. As UPAs ainda estão cheias: neste momento, 47 pacientes estão aguardando regulação para hospitais de campanha. Fizemos um esforço grande esta semana e, mesmo assim, os números não cederam. A rede privada está praticamente colapsada, com a maioria dos hospitais com mais de 95% de ocupação e pacientes aguardando vagas. Por isso, na reunião de hoje, com a presença do governador e dos prefeitos da região metropolitana, decidimos prorrogar as medidas por mais sete dias”, declarou Bruno Reis.

 

PROTOCOLOS

No encontro, os gestores também trataram dos protocolos para o retorno das atividades econômicas de forma escalonada, assim que for possível. Os detalhes serão discutidos em um próximo encontro, previsto para acontecer na próxima terça-feira (9).

 

MEDIDAS

Segue em vigor o toque de recolher determinado pelo governo do Estado, até o dia 1º de abril, que restringe a locomoção noturna de pedestres entre 20h e 5h do dia seguinte. Com a prorrogação, poderão funcionar apenas os estabelecimentos que comercializam alimentos ou que prestam serviços de saúde e utilidade pública, como supermercados, panificadoras, delicatessens e açougues; farmácias; agências bancárias e lotéricas; serviços públicos considerados essenciais; além de estabelecimentos que estejam funcionando em delivery (cujo regime está liberado até meia-noite), e sistema de retirada no local desde que mantidas as portas fechadas ao público.  

 

Além disso, poderão seguir funcionando serviços de saúde e hospital dia; serviços de imagem radiológica; atendimentos de tratamentos contínuos a exemplo de oncologia, hemoterapia e hemodiálise; laboratórios de análises clínicas; estabelecimentos que forneçam insumos hospitalares; clínicas veterinárias e pets shops, à exceção do serviço de banho e tosa; e postos de combustíveis.

 

EVENTOS E ATIVIDADES ESPORTIVAS

Fica vedada a prática de quaisquer atividades esportivas coletivas amadoras durante o período, sendo permitidas as práticas individuais, desde que não gerem aglomerações. 

 

Além disso, deverão ser suspensos eventos e atividades, independentemente do número de participantes e ainda que previamente autorizados, que envolvam aglomeração de pessoas, tais como: eventos desportivos coletivos e amadores, religiosos, cerimônias de casamento, eventos recreativos em logradouros públicos ou privados, circos, eventos científicos, solenidades de formatura, passeatas e afins, bem como aulas em academias de dança e ginástica.

 

Os atos religiosos litúrgicos poderão ocorrer, respeitados os protocolos sanitários estabelecidos, especialmente o distanciamento social adequado e o uso de máscaras, bem como com capacidade máxima de lotação de 30%.

Sábado, 06 de Março de 2021 - 18:20

Bahia tem leve queda em n° de mortes por Covid-19; UTI está 86% de ocupação

por Francis Juliano

Bahia tem leve queda em n° de mortes por Covid-19; UTI está 86% de ocupação
Foto: Paula Fróes/ GOVBA

A Bahia registrou neste sábado (6) 95 mortes por Covid-19.  O número é ligeiramente baixo, 6,8% menor que o anotado nesta sexta-feira (5), que foi de 102. Em relação aos casos ativos – aqueles com poder de transmissão – a queda foi ainda mais tímida. Enquanto que nesta sexta eram 22.233, neste sábado foram 21.916 casos ativos, o equivalente a 1,4%.

 

A ocupação de leitos de UTI, que tratam casos graves, também seguiu a tendência. Neste sábado ficaram em 86%, diferente do dia anterior em um ponto percentual. Os dados são da Secretaria Estadual da Saúde (Sesab).

 

Ainda segundo a pasta, nas últimas 24 horas, foram registrados 4.525 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,6%) e 4.747 recuperados.

 

UM ANO DE PANDEMIA

Desde o primeiro caso confirmado de novo coronavírus no estado, que completa um ano neste sábado (ver aqui), a Bahia já acumula 710.900 casos confirmados de Covid-19, com 676.536 pessoas já são consideradas recuperadas. Já o total de óbitos é de 12.448. 

Decisão autoriza volta de atividade de associação que produz maconha medicinal
Foto: Reprodução / Freepik

A Associação Brasileira de Apoio Cannabis Esperança (Abrace) voltará a funcionar. A autorização foi feita pelo desembargador federal Cid Marconi que revogou uma decisão anterior dele mesmo. Na decisão, Cid Marconi impôs prazos para que a Abrace se adeque a determinações. Com isso, a associação tem 15 dias para providenciar o protocolo do projeto de ampliação, que deverá compreender as obras em andamento.

 

A Abrace também deve apresentar em 30 dias o projeto da estrutura já em funcionamento. Segundo o magistrado, a Abrace deve preparar toda regularização com a Anvisa em quatro meses.  A decisão ocorreu após vistoria de Cid Marconi à sede da Abrace em João Pessoa, na Paraíba, na última quarta-feira (3).

 

BAIANOS ATENDIDOS

Na Bahia, cerca de 500 pessoas dependem da fabricação de medicamentos com base na maconha medicinal (veja aqui). O produto serve para tratamento de diversas enfermidades, como epilepsia, alzheimer, parkinson e altismo, entre outras.

 

Ainda na vistoria, o desembargador observou o trabalho feito no local que atende associados de todo o Brasil. Participaram da vistoria 

Sábado, 06 de Março de 2021 - 13:40

No início da pandemia, BA levou 2 meses para atingir nº de mortes dos últimos 10 dias

por Rebeca Menezes / Ailma Teixeira

No início da pandemia, BA levou 2 meses para atingir nº de mortes dos últimos 10 dias
Foto: Amazônia Real

Mais um sinal de que o número de mortos por Covid-19 disparou na Bahia é que o estado registrou 1.033 óbitos em decorrência da doença ao longo dos últimos 10 dias. No início da pandemia, foram necessários 76 dias para que a Bahia atingisse essa marca, com o acumulado de 1.039 vidas perdidas diretamente para a pandemia em 12 de junho.

 

Neste sábado, faz um ano desde que o primeiro caso de coronavírus foi registrado em território baiano, mais precisamente em Feira de Santana (lembre aqui). Já a primeira morte foi notificada pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), em 29 de março (veja aqui)

 

Agora, 365 dias depois, mais de 706.375 mil pessoas já foram diagnosticadas com o vírus e 12.353 mil não resistiram. Neste momento, considerado o pior da pandemia, a taxa de ocupação geral nas UTIs chega a 87%, segundo dados disponíveis no portal da Sesab na manhã deste sábado (6).

Serrinha vai receber mais dez leitos de UTI para atender casos graves de Covid-19
Foto: Divulgação

O prefeito de Serrinha, na região sisaleira, Adriano Lima (sem partido), anunciou a chegada de mais dez leitos de UTI para atender pacientes com quadro grave de Covid-19. Na cidade, já há dez leitos intensivista que atendem Serrinha e região. O anúncio da implantação dos novos leitos foi feita pelo governador Rui Costa (PT), em reunião nesta sexta-feira (5) com o prefeito Adriano Lima.

 

"Proporcionalmente, a região sisaleira tem mais casos de Covid-19 do que a Região Metropolitana de Salvador. Portanto, estamos unidos forças com os prefeitos das cidades localizadas na nossa região e com o Governo do Estado nessa luta incessante contra esta pandemia devastadora", afirmou Adriano Lima.

 

A meta é que os novos leitos de UTI estejam em atividade até a próxima terça-feira (9). Segundo o prefeito, outros equipamentos também foram adquiridos após viagem dele a Brasília na semana passada com o governo federal. Através de parcerias, a prefeitura de Serrinha conta com novos respiradores, monitores multiparâmetros, bombas de infusão e gazes medicinais.

 

"Através dessa parceria tripartite (governos municipal, estadual e federal), Serrinha tornou-se uma referência regional de enfrentamento à Covid-19", disse o gestor.

Ministério da Saúde causa 'revolta' ao colocar presos para vacinar antes de policiais
Foto: Reprodução / Poder360

Secretários estaduais de Segurança acionaram o Ministério da Justiça revoltados com documento da pasta de Eduardo Pazuello (Saúde) sobre grupos prioritários na vacinação contra a Covid-19. No planejamento, presos aparecem na 17º posição, na frente dos agentes que trabalham no sistema carcerário (18º) e também antes das forças de segurança e salvamento (21º).

 

De acordo com informações de O Tempo, o presidente do conselho de secretários estaduais, Cristiano Sampaio, secretário do Tocantins, liderou as discussões. "Aqui no estado nenhum preso vai vacinar antes. Não existe isso. Aqui são 20 mil servidores da força, foram 32 mortes por Covid-19. Temos aqui cerca de 23 mil presos. Foram 5 mortes. Nem estatisticamente isso se justifica. Nossos servidores estão muito mais expostos, sem dúvida", afirmou Rodney Miranda, secretário de Segurança do Goiás. A discussão já havia sido iniciada no início de fevereiro (veja aqui).

Criador da Turma da Mônica, Maurício de Sousa toma 2ª dose da vacina contra Covid-19
Foto: Divulgação

Criador da Turma da Mônica, o cartunista Mauricio de Sousa, de 85 anos, recebeu nesta sexta-feira (5) a segunda dose da vacina contra o coronavírus em um posto de saúde na cidade de São Paulo. Como na ocasião da primeira dose, ele usava novamente uma máscara verde com desenhos do Cebolinha, personagem de suas histórias e uma camiseta com a marca do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

 

“Chegou o esperado momento da segunda dose da vacina contra a #Covid-19! Eu estou feliz por me sentir protegido. Mas vou continuar me cuidando, usando máscara, respeitando o distanciamento social e a higiene necessária. Vale lembrar que a vacinação é um direito e previne doenças sérias e evitáveis. Elas salvam milhões de vidas todos os anos, especialmente de crianças. Mantenha a rotina de vacinação de seus filhos e filhas em dia, mesmo durante a pandemia. E quando for a sua vez, vacine-se!”, disse.

 

Mauricio de Sousa completou 85 anos em outubro de 2020 e integra o grupo prioritário de mais de 80 anos, que começou a ser vacinado contra o coronavírus na cidade de São Paulo em 11 de fevereiro.

Sábado, 06 de Março de 2021 - 10:00

Famosos lamentam recordes no número de mortos por Covid-19; veja

por Folhapress

Famosos lamentam recordes no número de mortos por Covid-19; veja
Foto: Reprodução / Instagram

Com o Brasil batendo recordes no número de mortos por Covid em uma semana, famosos começaram a compartilhar mensagens positivas nas redes sociais e duras críticas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O Brasil registrou 1.760 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 262.948 mortos e 10.871.843 casos, desde o início da pandemia.

A atriz Paolla Oliveira publicou um vídeo antigo do programa "Amor e Sexo", apresentado por Fernanda Lima. No vídeo, a apresentadora pergunta ao pastor Henrique Vieira qual é a oração da felicidade.

Ao lado da publicação, ela marcou o pastor e escreveu que é importante pensar, ser e fazer o bem. "É tão importante pensar o bem, ser o bem, fazer o bem. Palavras movem montanhas e que num momento onde precisamos de tanto conforto, as palavras do pastor Henrique Vieira possam nos inspirar. Amém, axé, amor".


O ator Eduardo Moscovis postou o desenho de um jovem chorando feito pelo artista plástico Felipe Morozini com a frase: "O que sinto, sinto grande. O que chora molha tudo". Ao lado da imagem, ele escreveu: "Uma semana especialmente dura, sofrida, choro sim. E muito Felipe Morozini, sou seu fã. Obrigado por tanto".

 


A atriz Carol Castro comentou a postagem do ator dizendo que está tentando vibrar luz. "To na mesma. tentando vibrar luz porque a sombra tá dominando mas não vai, não vai !", escreveu.

A atriz Júlia Lemmertz publicou um vídeo que fala que no Brasil de Bolsonaro todo dia é dia de preço alto. "Liquidação total do Brasil inteiro! Todo dia é dia de preço alto com o Bolsonaro", escreveu a atriz. O mesmo vídeo foi publicado pela jornalista Astrid Fontenelle com a mensagem: "Vacina urgente! Esse pesadelo sem fim vai acabar. Mas por enquanto como li outro dia na [jornalista] Rosana [Hermann], tem túnel, tem fim mas não temos luz".

A colunista da Folha de S.Paulo Tati Bernardi publicou a foto de um artigo dela publicado jornal sobre a pandemia, acompanhado de um trecho do texto.

"Mar de gente agonizando, mar de gente morta, mar de corpos, mar de negacionistas, mar de assassinos, mar de pessoas odiosas que jamais imaginei que pudessem ser tantas, mar de porcentagem de gente horrível que ainda dá "ótimo" ou "bom" para aquele desgraçado, mar de panelas que não servem pra nada", publicou.

O ator Tuca Andrade postou uma imagem com o globo terrestre com a frase "SOS Mundo, venham nos salvar!". Ele escreveu: "Estamos nas mãos de um genocida e sua quadrilha". Ele já recebeu ameaças nas redes sociais após postar críticas contra o presidente.

NÚMERO DE MORTOS

O Brasil registrou 1.760 mortes pela Covid-19. Nesta sexta (5), o país completou sete dias seguidos de recordes na média móvel de óbitos pela doença. O novo maior valor da média agora é de 1.423. O recorde anterior era de 1.361.

Dessa forma, o país completa 44 dias com média móvel de mortes acima de 1.000.

O número de óbitos registrados nesta sexta é o terceiro maior valor diário de toda a pandemia.

Como tem ocorrido, o elevado número de mortes é acompanhado por altas taxas de contaminação. Os últimos três dias fazem parte do ranking de datas nas quais foram registradas mais casos da Covid. Nesta sexta, foram 75.337 casos, no dia 3 foram 74.376 e no dia 4 foram 74.285.

O dia 8 de janeiro, com 84.977 infecções, ainda lidera o ranking, mas nele ocorreu uma revisão de dados do Paraná que elevou artificialmente o dado geral de casos do país.

Vacinação para idosos a partir dos 78 anos é dividida por turnos; confira horários
Foto: Jefferson Peixoto/ Secom PMS

A vacinação para idosos com idade igual ou superior a 78 anos começou às 8h deste sábado (6). Até às 16h, equipes de saúde vão aplicar a primeira dose da vacina contra o coronavírus neste grupo em diversos pontos de vacinação (veja abaixo).

 

Mas, para otimizar o fluxo de atendimentos, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) decidiu dividir o grupo entre os turnos: até às 12h, serão vacinados aqueles idosos nascidos entre janeiro e julho de 1942 e à tarde, das 12h às 16h, serão vacinados os idosos que nasceram entre agosto de 1942 e 6 de março de 1943.

 

Antes de se dirigir a um dos pontos de vacinação, o idoso ou seu responsável deve verificar se ele está habilitado a receber a dose - a lista está disponível no site da SMS (veja aqui). Caso o nome não seja encontrado, será necessário fazer o recadastramento pelo mesmo site.

 

VACINAÇÃO EM SEGUNDA DOSE

Enquanto isso, a aplicação da segunda dose segue seu cronograma normal, tanto para idosos quanto para profissionais de saúde. Basta observar a data de retorno indicada no site da secretaria e no cartão de vacinação. 

 

No caso dos idosos imunizados através do Vacina Express, não será necessário fazer um novo registro na plataforma digital. A equipe irá ao domicílio na data programada para aplicação da dose de reforço.

 

Agora no grupo contemplado, os idosos com idade a partir dos 78 anos já podem fazer o agendamento para receber a primeira dose em casa. O cadastro é feito online (veja aqui), com oferta de 150 vagas por dia, preferencialmente para idosos acamados ou com dificuldade de locomoção.

 

PROFISSIONAIS DE SAÚDE

Devido ao baixo estoque disponível, a aplicação da primeira dose da vacina para os trabalhadores da saúde foi mais uma vez suspensa. Ela será retomada quando mais doses estiverem disponíveis.

 

LISTA DE PONTOS DE VACINAÇÃO

1ª dose para idosos com 78 anos ou mais / 2ª dose para idosos

Drivers:

Universidade Federal da Bahia – Campus Ondina

Arena Fonte Nova

Atacadão Akarejo – Fazenda Coutos

5ª Centro de Saúde

Parque de Exposições

Fundação Bahiana para Desenvolvimento das Ciências – Cabula

Fundação Bahiana para Desenvolvimento das Ciências – Brotas

Universidade Católica de Salvador – Campus Pituaçu

Vila Militar - Escola Militar - Dendezeiros

 

Pontos fixos:

Fundação Bahiana para Desenvolvimento das Ciências – Brotas

USF Vista Alegre

UBS Nelson Piauhy Dourado (Águas Claras)

USF Resgate

USF Federação

USF Santa Luzia (Engenho Velho de Brotas)

USF Plataforma

UBS Péricles Cardoso (Barbalho)

Universidade Católica de Salvador – Campus Pituaçu

USF Cajazeiras V

USF Antônio Lazaroto (Lobato)

USF Cajazeiras X

5 Centro (Barris)

USF Boa Vista de São Caetano

Vila Militar - Escola Militar - Dendezeiros 

 

2ª dose para profissionais de saúde

Drivers:

Unijorge – Campus Paralela

USF San Martim III

Centro de Convenções

 

Pontos Fixos:

USF Eduardo Mamede (Mussurunga)

UBS Castelo Branco

USF Colinas de Periperi

CSU Pernambués

Unijorge – Campus Paralela

Pandemia interrompe participação crescente de mulheres no empreendedorismo, diz estudo
Foto: Reprodução / Folha

Um levantamento do Sebrae obtido pelo jornal Folha de S.Paulo mostra que a pandemia interrompeu um ciclo de crescimento de quatro anos contínuos da participação feminina no empreendedorismo brasileiro.

No terceiro trimestre do ano passado, a proporção de mulheres entre os donos de negócio caiu quase um ponto percentual em comparação com o mesmo período de 2019 —chegando a 33,6% dos cerca de 25,6 milhões empreendedores no país. Em números absolutos, a queda representa um retorno a patamares abaixo dos vistos em 2017, com a perda de 1,3 milhão de mulheres à frente de um negócio.

O estudo mostra que todos foram afetados pela crise da Covid-19, mas as mulheres foram mais, afirma Renata Rodrigues Malheiros, analista de relacionamento com o cliente e coordenadora do projeto Sebrae Delas. Para a especialista, entre as razões que explicam essa ruptura está o desequilíbrio na divisão das tarefas domésticas, problema que, além de empreendedoras, também afetou mulheres no ambiente acadêmico e nas empresas privadas no ano passado.

“Durante uma crise, você precisa se dedicar mais horas à inovação. Mas como vou fazer isso se estou cuidando de três filhos em aulas virtuais? A situação que estamos vendo é um reflexo da divisão de papéis. Isso, quando não estamos falando de mães solo. A pandemia é a mesma tempestade para todos, mas nem todos estão no mesmo barco”, diz.

Para a especialista, o tempo gasto com atividades de cuidado também se reflete em outro dado do mesmo levantamento do Sebrae: quando comparadas aos homens, as empreendedoras trabalham menos horas por semana em seus negócios —59% delas trabalham menos de 40 horas semanais.

Apesar de ser agravada com pandemia, essa disparidade já era anterior. As mulheres dedicaram aos cuidados de pessoas ou afazeres domésticos quase o dobro de tempo que os homens em 2019, de acordo dados mais recentes do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Quando se fala em nível de ocupação, existe uma diferença entre homens e mulheres na faixa dos 25 a 49 anos com crianças de até três anos em casa. Para elas, a taxa é de 54,6% e, para eles, de 89,2% —entre mulheres pretas ou pardas, o índice cai para 49,7%. Os números constam no levantamento “Estatísticas de Gênero: Indicadores Sociais das Mulheres no Brasil”, divulgado nesta quinta (4) pelo instituto.

A pandemia escancara fragilidades que já existiam estruturalmente e algumas dessas dificuldades se acumulam de acordo com vulnerabilidades históricas, como é o caso de mulheres negras, indígenas e mães, diz Tayna Leite, gerente do Ganha-Ganha Brasil, programa para estimular a equidade de gênero nos negócios realizado pela ONU Mulheres em parceria com a (OIT) Organização Internacional do Trabalho e União Europeia.

Uma dessas fragilidades é o estereótipo de gênero estabelecido em torno dos cuidados, diz Tayna. “A feminização do cuidado é atribuir essa responsabilidade à mulher. Precisamos mostrar que o cuidado é uma responsabilidade coletiva, não há nada inerente à natureza feminina ligada a ele. É um passo que parece simples, mas não é”, diz Tayna.

Outro fator que indica como as empreendedoras foram afetadas pela pandemia é a área de negócios em que atuam: segundo o estudo do Sebrae, mulheres estão mais presentes no setor de serviços (50%, contra 34% dos homens), bastante afetado pela crise.

Ao abrir negócios, muitas empreendedoras optam por um segmento em que já têm uma habilidade desenvolvida, diz Regina Madalozzo, coordenadora do Núcleo de Mulheres e Território do Insper. “No mercado de trabalho ou no empreendedorismo, elas só se sentem preparadas quando têm completo domínio do que estão fazendo. E seguro é ficar em tarefas de cuidado”, diz a especialista.

Ainda que tenham mais instrução (maior porcentagem de ensino superior comparado a homens até a faixa dos 64 anos, segundo o IBGE), as mulheres não procuram áreas de estudo como matemática e isso impacta na sua relação a tecnologia, diz Dani Junco, fundadora da B2Mamy, que capacita e conecta mães ao ecossistema de inovação e tecnologia.

Em 2019, mulheres correspondiam a apenas 13,3% das matrículas nos cursos presenciais de graduação na área de computação e tecnologias da informação, contra 88,3% na área de bem-estar (que inclui cursos como serviço social), segundo levantamento organizado pelo IBGE.

Quando iniciam capacitações relacionadas ao tema de tecnologia na B2Mamy, muitas mulheres se questionam por que nunca haviam cogitado atuar no setor, diz Junco. “Elas imaginam que é uma coisa de outro mundo. Mas, quando começam a trabalhar com isso, pensam ‘uau, como não mudei de área antes’. Tem muita vaga e dinheiro para quem quer trabalhar nesse setor”, diz ela.

Com o conjunto de dificuldades enfrentadas no dia a dia, mulheres parecem ter sido mais afetadas psicologicamente do que homens com os impactos da pandemia, de acordo com dados de uma pesquisa realizada pelo Instituto Rede Mulher Empreendedora feita com 1.555 empreendedores entre setembro e outubro do ano passado.

Segundo o documento, as palavras mais citadas pelas mulheres sobre como se sentem nos últimos meses foram ansiosa (66%), confiante (60%) e cansada (52%) —para os homens, em contraposição, as palavras foram confiante (65%), ansioso (58%) e tranquilo (39%).

Apesar desse cenário, as mulheres foram capazes de buscar inovações para manter seus negócios, lembra Ana Fontes, fundadora da Rede Mulher Empreendedora.

“Cerca de 40% das empreendedoras têm no negócio a principal fonte de renda, então inovar não é uma questão só estratégica, mas uma questão de sobrevivência. Elas aplicaram medidas práticas, como reduzir despesas, reorganizar as contas, postergar dívidas, mas também procuraram o caminho da capacitação, principalmente no que diz respeito a transformação digital”, diz.

Além da capacitação, as redes de troca entre empreendedoras vêm se consolidando como alternativa para aquelas que estão em busca de apoio ou soluções para o negócio. “As redes ajudam a encurtar distâncias, mas também são espaços fundamentais de troca. Culpa materna é uma das questões que as empreendedoras mais trazem a nós. E isso impacta toda a gestão da empresa”, diz Renata Malheiros, do Sebrae.


VEJA PROGRAMAS DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO FEMININO

B2Mamy Womby

O projeto B2Mamy tem diferentes frentes de capacitação para mães, entre eles o Womby, voltado a mulheres periféricas, com formação em profissões digitais. Além disso, também tem uma casa em Pinheiros que funciona como hub, em que mulheres podem se conectar umas com as outras

Sebrae Delas

Projeto de aceleração voltado a empreendedoras mulheres, que oferece capacitação e acesso a eventos e redes de networking

Plataforma B2B

Com objetivo de promover oportunidade de negócios, o site é parte do programa Ganha-Ganha, da ONU Mulheres, e serve como ponte entre mulheres empreendedoras e empresas que querem comprar produtos ou serviços. Quem faz a inscrição, que vai até 18 de março, pode depois participar de rodadas de conversas e negócios de diferentes setores.

Potência Feminina

Programa do Instituto Rede Mulher Empreendedora é feito parceria com o Google e oferece capacitações gratuitas em empreendedorismo e empregabilidade e tecnologia para mulheres. Além da iniciativa, o instituto tem outros programas como o Ela Pode e Elas Prosperam, e uma programação voltada ao Dia Internacional das Mulheres.

Sábado, 06 de Março de 2021 - 00:00

Primeiro caso de Covid-19 na Bahia completa 1 ano em semana de recordes e colapso

por Matheus Caldas

Primeiro caso de Covid-19 na Bahia completa 1 ano em semana de recordes e colapso
Foto: Fernando Vivas / GOVBA

“Esse negócio vai acabar nunca, não, vei?”. O questionamento direcionado a absolutamente ninguém pelo vendedor de picolé no meio da rua chamou atenção de um homem aleatório que passava andando num dia de lockdown parcial em Salvador. “Ta f*da”, respondeu. Mesmo sem citar o que era exatamente o “esse negócio”, o assunto já era sabido por ambos: o papo, mesmo que breve, se referiu à pandemia. A resposta à pergunta do comerciante não poder ser respondida com precisão, dadas as imprevisibilidades da Covid-19. Contudo, o diálogo ocorreu no dia 365 após a Bahia registrar o primeiro oficial de pessoa contaminada com o novo coronavírus. Neste sábado, quando o calendário demarca o dia 6 de março de 2021, o estado completa um ano do primeiro caso oficial. 

 

E, 12 meses depois, a situação regrediu ao patamar mais urgente: são 12.353 mortes contabilizadas até o momento pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesab). No total, 706.375 pessoas já foram contaminadas pelo novo coronavírus na Bahia. Dos 22.233 casos ativos, 991 estão internados em leitos de UTI adulto exclusivos de tratamento da doença - estes números significam 87% de ocupação dos leitos, mesmo com a abertura gradativa destes espaços no estado.

 

O PRIMEIRO CASO
A primeira pessoa infectada pela Covid-19 no estado é de Feira de Santana. De acordo com a Sesab, trata-se de uma mulher de 34 anos que voltara de viagem da Itália, antigo epicentro da pandemia. Ela retornou da Europa no dia 25 de fevereiro, após passagens por Milão e Roma, onde aconteceu a contaminação. 

 

Após isto, o vírus passou a demonstrar seu potencial sua vertente disseminadora. A primeira infectada passou a Covid-19 para a sua empregada doméstica, que, por conseguinte, transmitiu a doença para a mãe. 

 

RECORDES 
Nos últimos dias, os números apresentados dão o tom da gravidade da pandemia na Bahia. Somente desde o último domingo (28), houve recordes na média móvel (4.421), de ocupação total de leitos (75), de internados em UTI (991), de ocupação das UTIs (87%). Na semana anterior, houve também marcas quebradas de mortes em 24h (137) e de casos diários (6.520). Houve também recorde de mortes em 24h em Salvador: 51.

 

 

MIMIMI? SÓ QUE NÃO...
Embora o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tenha sugerido ao longo da semana que falar sobre a gravidade da pandemia é mimimi, os números mostram o contrário.

 

Com o iminente colapso do sistema de saúde na Bahia, o governador Rui Costa (PT) endureceu as medidas e, em consonância com alguns prefeitos baianos, decretou toque de recolher em todo o estado, além do fechamento de atividades não essenciais em áreas específicas. Em Salvador, o prefeito Bruno Reis (DEM) cancelou a última fase de abertura do comércio. Se em janeiro a cidade vivia a fase 3 da medida, o mês de fevereiro fez com que a prefeitura da capital virasse a chave e voltasse à “fase zero”. No momento, apenas atividades consideradas essenciais podem funcionar, à contragosto de grupos empresariais que se dirigiram por mais de uma vez à casa do sucessor de ACM Neto (DEM) que, em julho do ano passado, iniciou a primeira fase da reabertura.

 

Somente nesta semana, o governo estadual anunciou a abertura de leitos nos hospitais Metropolitano, Alayde Costa, na Arena Fonte Nova e no Hotel Riverside - estes dois foram reativados como hospitais de campanha por conta do momento crítico da pandemia.

 

Na capital, Bruno Reis determinou a abertura de mais um hospital de campanha numa quadra esportiva em Itapuã. O município também tomou para si a administração do Hospital Salvador.

 

Para conter a demanda crescente na capital, o gestor anunciou que quatro unidades de saúde da família (USF) seriam convertidas em unidades Covid-19 para abrigar leitos clínicos. Já algumas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da cidade passaram a receber leitos de terapia intensiva para suprir a demanda crescente.

 

LINHA DO TEMPO
Desde o primeiro caso registrado em Feira, as notificações foram se multiplicando em progressão geométrica. Em 19 de maio do ano passado, o estado ultrapassou a barreira de 10 mil casos – neste, entidades médicas editaram um documento em que não recomendam a hidroxicloroquina, medicamento exaltado por Bolsonaro, contra Covid-19 (leia mais aqui). 

 

Já a demarcação de 100 mil casos foi atingida em 10 de julho. Neste dia, teve início a inscrição de voluntários para a vacina da Oxford/AstraZeneca em Salvador (leia mais aqui).

 

Os 500 mil casos registrados foi outra marca. Isto aconteceu no dia 6 de janeiro deste ano, quando a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) protocolou, na Câmara dos Deputados, um pedido de impeachment contra o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, terceiro titular da pasta do governo Bolsonaro somente na pandemia – antes, ocuparam o cargo Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich (leia mais aqui).

 

No dia 25 de agosto de 2020, o apresentador José Luiz Datena, da Rede Bandeirantes, rebateu críticas de Bolsonaro à imprensa. O presidente, em tom agressivo, afirmou: "aquela história de atleta né, que o pessoal da imprensa vai para o deboche, mas quando pega num bundão de vocês a chance de sobreviver é bem menor. Só sabe fazer maldade, usar a caneta com maldade em grande parte". Datena então retrucou. “Bundão é o senhor”, criticou (relembre aqui).

 

Em 29 de janeiro deste ano, o estado ultrapassou a marca de 10 mil mortes enquanto o secretário da Saúde da Bahia (Sesab), Fábio Vilas-Boas, criticava a “burocracia” para que as vacinas fossem aprovadas pela Agência de Vigilância Sanitária (leia mais aqui).  

Sábado, 06 de Março de 2021 - 00:00

Ao menos 500 baianos serão afetados se ONG deixar de fabricar medicação de cannabis

por Gabriela Icó

Ao menos 500 baianos serão afetados se ONG deixar de fabricar medicação de cannabis
Foto: Freepik

Cerca de 14 mil pacientes que sofrem com enfermidades como epilepsia, alzheimer, parkinson e altismo podem ter o atual modo de tratamento das doenças interrompido. Na última sexta-feira (26), o Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5) suspendeu a liminar que dava direito à Associação Brasileira de Apoio Cannabis e Esperança (Abrace) a cultivar a folha cannabis sativa para produção de óleo medicinal. A ONG produz e oferece para todo o Brasil o medicamento a preço menor que o de mercado.

 

Pacientes de outras instituições também fazem uso do óleo produzido pela Abrace Esperança. É o caso da Associação Para Pesquisa e Desenvolvimento da Cannabis Medicinal no Brasil (Cannab), de Salvador. O fundador e presidente da entidade, Leandro Stelitano, dimensiona ao Bahia Notícias qual será o impacto da decisão para os baianos.

 

Segundo o presidente da Cannab, cerca de 500 associados fazem uso medicinal do óleo de cannabis produzido pela Abrace na Bahia. "Essa decisão irresponsável irá afetar os pacientes que podem sofrer com a interrupção do seu tratamento", argumenta. Ele aponta que há responsáveis por pacientes sem condições financeiras de comprar o produto com o custo do mercado nacional ou fora do país.

 

A Abrace oferece o medicamento por valores que variam entre R$ 100 e R$ 300. O valor representa de 4% a 10% do valor de mercado de, por exemplo, dois medicamentos internacionais aprovados pela Agência Nacional de Vigiância Sanitária (Anvisa) que, segundo o presidente da Cannab, custam entre R$ 2.500 e R$ 3.000. Outra alternativa é comprar a medicação fora do Brasil.

 

A ONG tem permissão para cultivar cannabis desde 2017, sujeita ao cumprimento de medidas que, segundo a Anvisa, foram alteradas e desobedecidas. De acordo com o TRF-5, seriam a Autorização Especial e a Autorização de Funcionamento, que deveriam ser providenciadas pela Abrace junto à Agência. 

 

Segundo o TRF-5, o mérito da ação está previsto para ser analisado no dia 18 deste mês, durante a sessão da Terceira Turma de Julgamento. Até lá, os efeitos da liminar concedida à ONG em primeira instância ficarão suspensos. A decisão do Tribunal aconteceu após a Anvisa sinalizar que a Abrace não estava cumprindo normas técnicas.

 

"Esses requisitos não estão sendo observados pela Associação, o que obrigou a Anvisa, após infrutíferas tentativas administrativas de sanar os problemas, a informar a situação ao Tribunal Regional Federal da Quinta Região. A medida é necessária para evitar um risco sanitário que possa levar ao agravamento da saúde dos pacientes", diz a agência reguladora em comunicado.

 

A entidade é a única associação no país com autorização judicial para cultivo e distribuição de medicamentos à base da erva. O processo é feito na sede da entidade, localizada na Paraíba. O desembargador federal do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, Cid Marconi, representantes da Anvisa e do Ministério Público Estadual (MP-PB) visitaram o local na última quarta-feira (3), para colher informações técnicas sobre o cultivo e processo de produção do óleo de cannabis. Uma decisão do magistrado estava prevista para até esta sexta-feira (5).

 

A situação gerou mobilização nacional por parte de voluntários da Abrace e de entidades associadas, artistas como a cantora Rita Lee e a atriz Cláudia Rodrigues, políticos como a deputada federal do PSOL Sâmia Bomfim e internautas por meio da hastag #abracenaopodeparar.

 


APROVAÇÃO E REDUÇÃO DE CUSTOS

Stelitano explicou ao Bahia Notícias que é preciso autorização de todas as instituições para o cultivo medicinal da cannabis. Para ele, o custo das medicações seria reduzido caso houvesse ampla produção nacional.

 

Ele destaca que as associações buscam regulamentação do cultivo no país através do Projeto de Lei 399/15 que, segundo ele, já devia ter sido colocado em votação pelo Congresso. "Essa lentidão faz com que o Brasil seja o último país da América do Sul a ter uma regulamentação da Cannabis para fins medicinais. Na regulação atual aprovada pela Anvisa, só beneficia quem tem poder aquisitivo, pois temos dois óleos importados sendo vendidos nas farmácias: um pelo valor de R$ 2.500 e o outro por R$ 2.200 um frasco de 30 ml", critica.

 

 

CUIDADO OU PRECONCEITO?
A liberação da cannabis medicinal enfrenta uma série de preconceitos que afetam o avanço das discussões. Em outubro de 2019, o então diretor-presidente da Anvisa, William Dib, disse que não desistiria da proposta de liberar o aval ao plantio de Cannabis medicinal por empresas mesmo após duras críticas.

 

Por causa do posicionamento, entrou em rota de colisão com o governo de Jair Bolsonaro. O então ministro da Cidadania, Osmar Terra, chegou a dizer que Dib "não entendia nada" sobre a discussão da liberação da maconha para tratamentos. "Essa conversa de que vai ter um lugar controlado para fazer pesquisa é conversa fiada. Qualquer permissão que tu der para plantio de substâncias que são proibidas abre a porta para a legalização", disse Terra ao O Globo.

 

No início de dezembro, a Anvisa acabou autorizando a venda de remédios à base de maconha em farmácias, mas proibiu o plantio - exatamente o que seria essencial para tornar o medicamento mais barato e acessível. Dias depois, Dib foi substituído pelo bolsonarista Antônio Barra Torres, que havia votado contra a autorização do plantio.

 

Na época, Stelitano avaliou a liberação como “um passo importante”, mas “paliativo”. “A única diferença agora é a empresa pode importar a matéria prima e manipular o produto aqui no Brasil. Então você vai ter uma diminuição no custo do produto importado. Mas mesmo assim o que nós estamos buscando e que inclusive teve votação agora de tarde na Anvisa e não foi aprovado é que produção e o cultivo local”, disse ele no fim de 2019.

Vacina cubana contra a Covid-19, Soberana 2 entra na última fase de testes
Foto: Reprodução / Twitter / Instituto Finlay

A vacina contra a Covid-19 Soberana 2, desenvolvida em Cuba, entrou nesta quinta-feira (5) na fase 3 dos testes clínicos, a última antes da aprovação, conforme anunciaram as autoridades locais, que destacaram que se trata da primeira vacina latino-americana a chegar tão longe. As informações são da agência France Presse.

 

"É incrível que um país pequeno como Cuba, uma ilha pobre em recursos materiais, mas muito rica em recursos humanos, tenha avançado até esse ponto", declarou em entrevista coletiva o médico Vicente Vérez, diretor do Instituto Finlay de Vacinas.

 

O recrutamento dos 44 mil voluntários com idade entre 19 e 80 anos já começou, e o processo deve ter início na próxima semana, indicou o instituto. A última fase terá "uma duração aproximada de três meses, após aplicada a última dose", informou o vice-diretor Yury Valdés.

 

O vice-diretor especificou que o grupo de voluntários foi dividido em três para o estudo. Alguns receberão duas doses de Soberana 2 com 28 dias de intervalo, outros receberão duas doses mais uma adicional para aumentar a imunidade e o terceiro um placebo.

 

Mas, antes mesmo de terminar essa fase, "os resultados parciais desses testes podem ser usados para avançar em outras categorias, como a autorização do uso emergencial" da vacina, como já aconteceu com outras no mundo, acrescentou Valdés.

 

Caso a Soberana 2 obtenha a autorização final, se tornará a primeira vacina contra a Covid-19 concebida e produzida na América Latina.

 

Sob embargo dos Estados Unidos desde 1962, Cuba começou a desenvolver suas próprias vacinas na década de 1980. Atualmente, 80% das vacinas incluídas em seu programa de imunização são fabricadas na ilha.

 

Baseados nessa experiência, cientistas do país desenvolvem quatro candidatas a vacina contra o novo coronavírus: Soberana 1 (atualmente na fase 2), Soberana 2, Abdala (aguarda autorização para avançar à fase 3) e Mambisa (fase 1).

 

As três primeiras são administradas por injeção, enquanto a quarta por spray nasal. Ao contrário de outros imunizantes lançados no mercado, nenhuma das quatro precisa ser armazenada em condições de frio extremo.

 

Especialistas da ilha também trabalham em uma quinta candidata, Soberana +, baseada em uma reformulação da Soberana 1 e destinada a pessoas que estão com a doença. Todas as vacinas cubanas são de proteínas recombinantes.

 

Cuba, cuja meta é vacinar toda a sua população até o fim do ano, é um dos países da região menos afetados pela doença, com 53 mil infectados e 336 mortos em uma população de 11,2 milhões de habitantes.

Salvador imuniza idosos com idade a partir 78 anos neste sábado; veja detalhamento
Foto: Jefferson Peixoto/Secom-PMS

A Secretaria Municipal da Saúde segue aplicando a primeira da vacina contra a Covid-19 nos idosos com idade igual ou superior a 78 anos em Salvador, neste sábado (06), mediante apresentação de documento oficial com foto. 

 

Para otimizar o fluxo de atendimentos, a SMS comunica que no período da manhã, entre 08h e 12h, serão vacinados apenas aqueles idosos nascidos entre janeiro e julho de 1942. À tarde, entre 12h e 16h, podem buscar as unidades excepcionalmente os idosos que nasceram entre agosto de 1942 e 06 de março de 1943. 

 

Antes de se dirigir a um dos pontos de vacinação é indispensável verificar se o nome do idoso está habilitado a receber a dose. A lista está disponível no site da www. saude. salvador. ba. gov. br. Caso não esteja será necessário fazer o recadastramento no próprio site.

 

Trabalhadores de saúde 

Devido ao baixo estoque de imunizantes a aplicação da primeira dose para trabalhadores saúde está suspensa temporariamente, com o reabastecimento futuro será retomada a estratégia com este público. 

 

2ª dose 

A aplicação da segunda dose para completar o esquema vacinal segue normalmente na capital baiana tanto para idosos como para profissionais de saúde. Basta ser observada a data de retorno no site da SMS e no cartão de vacina obtido na ocasião da primeira aplicação. Vale lembrar que aqueles idosos que foram imunizados através do Vacina Express não precisam fazer novo registro na plataforma digital. O retorno da equipe de saúde será feito automaticamente de acordo com a data de reforço programada no sistema.

 

Confira as regras e pontos de vacinação:

 

1ª DOSE PARA IDOSOS 78 ANOS OU MAIS / 2ª DOSE PARA IDOSOS 

Drivers:

Universidade Federal da Bahia – Campus Ondina
Arena Fonte Nova
Atacadão Akarejo – Fazenda Coutos
5ª Centro de Saúde 
Parque de Exposições
Escola Bahiana de Medicina – Campus Cabula
Escola Bahiana de Medicina – Campus Brotas
Universidade Católica de Salvador – Campus Pituaçu
Vila Militar – Bonfim 

 

Ponto Fixo: 

Escola Bahiana de Medicina – Campus Cabula
Escola Bahiana de Medicina – Campus Brotas
USF Vista Alegre
UBS Nelson Piauhy Dourado (Águas Claras)
USF Santa Luzia (Engenho Velho de Brotas)
USF Plataforma
USF Cajazeiras X
USF Resgate
USF Federação
UBS Péricles Cardoso (Barbalho)
USF Péricles Laranjeiras
USF Cajazeiras V 
USF Antônio Lazaroto (Lobato)
5ª Centro (Barris)
Vila Militar - Bonfim

 

2ª DOSE TRABALHADORES DA SAÚDE 

Drivers:

Unijorge – Campus Paralela 
USF San Martim III
Centro de Convenções

 

Pontos Fixos: 

USF Eduardo Mamede (Mussurunga)
UBS Castelo Branco 
USF Colinas de Periperi
CSU Pernambués 
Unijorge – Campus Paralela 

 

Vacina Express

Os idosos com 78 anos ou mais também poderão fazer o agendamento da vacinação domiciliar através do Vacina Express (vacinaexpress. saude. salvador. ba. gov. br). São ofertadas por dia 150 vagas, preferencialmente, para idosos acamados ou com dificuldade de locomoção. 

 

Vale lembrar que aqueles idosos que foram imunizados em casa não precisam fazer novo registro na plataforma digital. O retorno da equipe de saúde será feito automaticamente de acordo com a data de reforço programada no sistema.
 

Suspensão do funcionamento de academias é prorrogada até 13 de março
Foto: Divulgação

O governo estadual comunicou que um novo decreto será publicado no Diário Oficial do Estado neste sábado (6), prorrogando a proibição do funcionamento de academias e estabelecimentos voltados à prática de atividades físicas por mais uma semana, até o dia 13 de março. A medida valerá para toda a Bahia. 

 

Segue proibida também, até 1° de abril, em todo o estado, a prática de quaisquer atividades esportivas coletivas amadoras. São permitidas apenas as práticas individuais, desde que não gerem aglomeração.  

 

De acordo com o governo do estado, as medidas visam conter o avanço da disseminação do novo coronavírus na Bahia.

Ocupação das UTIs sobe a 87% na Bahia, que alcança recorde de internados por Covid-19
Foto: Paula Fróes / GOVBA

A Bahia vive seu pior momento na pandemia do novo coronavírus. Nesta sexta-feira (5), o estado alcançou seu seu recorde de internados com casos graves da Covid-19, ocupando 1.013 das 1.181 UTIs no estado, sendo 991 nos leitos para adultos (87% de ocupação) e 22 nos pediátricos (61%). É a primeira vez que o número, divulgado diariamente pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesab), supera mil.

 

O volume de casos ativos da Covid-19 também aumentou, chegando a 22.233, o maior número desde o dia 16 de julho de 2020. Os 10 municípios baianos com mais contaminados neste momento, segundo a Sesab, são Salvador (5.672), Camaçari (963), Itabuna (760), Feira de Santana (611), Vitória da Conquista (451), Jequié (443), Santo Antônio de Jesus (400), Lauro de Freitas (357), Ilhéus (348) e Guanambi (328).

 

O aumento dos casos ativos foi puxado pela quantidade de novas contaminações registradas nas últimas 24h, que chegou a 5.607 testes positivos na Bahia. O número de óbitos diários também se manteve alto, alcançando 102 notificações nesta sexta. Com isso, o estado acumula agora 706.375 casos confirmados e 12.353 mortes em decorrência da Covid-19 desde o início da pandemia.

 

VACINAÇÃO

Até o momento, 154.915 baianos já tomaram as duas doses da vacina contra a Covid-19. A maior parte deles, 118.136 pessoas, são trabalhadores da saúde, enquanto 17.443 são idosos com mais de 90 anos. Indígenas aldeados (10.357), idosos de instituição de longa permanência (4.893), idosos de 85 a 89 anos (1.988), idosos de 80 a 84 anos (1.818) e pessoas com deficiência (280) completam a lista.

 

Salvador é o município baiano com mais pessoas que já receberam a segunda dose: 42.760. A capital é seguida por Feira de Santana (7.310), Ilhéus (5.129), Vitória da Conquista (4.119), Juazeiro (2.509), Barreiras (2.179), Porto Seguro (2.074), Alagoinhas (2.031), Jequié (1.937) e Santo Antônio de Jesus (1.766).

 

Um total de 365.517 pessoas no estado recebeu apenas a primeira dose do imunizante, até o momento.

Pandemia afetou pacientes transplantados e à espera, diz levantamento
Foto: Elza Fiúza / Agência Brasil

Um levantamento divulgado nesta sexta-feira (5) pela Associação de Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO) aponta efeitos negativos da pandemia para pacientes transplantados e na lista de espera pelo procedimento.

 

A pesquisa mostra que o grupo mais afetado é das cerca de 80 mil pessoas que fizeram transplante de rim. Segundo a Agência Brasil, a ABTO se baseou em dados dos dois maiores centros de transplante renal do país. E, então, chegou à conclusão de que aproximadamente 10% deles foram infectados pelo novo coronavírus, com taxas de mortalidade variando entre 2% e 2,5% (proporção de mortes em relação ao total de transplantados).

 

Já a taxa de letalidade (proporção de mortes em relação aos transplantados diagnosticados) ficou entre 20% e 25%. E o índice de mortalidade e letalidade da Covid-19 na população geral do país ficou na faixa de 0,9% e 2,5%, respectivamente.

 

“O mais triste é que essas taxas continuarão crescendo, pelo menos durante o primeiro semestre de 2021, e somente serão estabilizadas com a vacinação em massa”, lamenta o integrante do Conselho Consultivo da ABTO, Valter Duro.

 

Para Valter, apesar da queda nas taxas de doação e de transplante de órgãos com doador falecido não ter sido tão grande como o esperado, muitos transplantes eletivos foram suspensos na maioria dos estados, por causa das medidas de prevenção ao novo coronavírus. Esse interrompimento foi maior nos transplantes de córneas e rim com doador vivo. Nos transplantes eletivos a taxa de doadores efetivos, que era de 18,1 transplantes por milhão da população em 2019, caiu 12,7%.

 

Os transplantes renais apresentaram queda de 24,5% (sendo 17,2% nos transplantes com doador falecido e 59,6% nos com doador vivo). O integrante do Conselho da ABTO aponta que o número desse tipo de transplante com  doador vivo [440] é o menor dos últimos 36 anos.

 

Já os transplantes hepáticos (de fígado) apresentaram queda de 9%, sendo de 9% com doador falecido e de 13,2% com doador vivo. A ABTO acrescenta que a queda da taxa de transplantes hepáticos com doador falecido foi menor que a queda na taxa de doadores, refletindo aumento no aproveitamento do fígado. 

 

No caso dos transplantes cardíacos, a redução ficou em 16,7%. Já a taxa de transplante de pulmão foi reduzida em 38,7% no país. E o transplante de pâncreas diminuiu em 12,5%, retrocedendo ao nível registrado em 2018. Segundo a ABTO o transplante de córnea apresentou uma redução de 52,7%.

 

Ainda segundo a Agência Brasil, a pandemia afetou também os transplantes de medula, que apresentaram redução de 17,6%, sendo de 21,1% para o autólogo (que usa células tronco do próprio paciente), e de 13,3% para o alogênico (que usa células tronco de outra pessoa).

 

A lista de espera para o transplante de córneas também cresceu 38%, enquanto a adesão à lista caiu 37%. “No [transplante de] fígado, por exemplo, o número de pacientes e a taxa de ingresso em lista de espera caíram 13% e 19%, respectivamente, e a mortalidade em lista aumentou 5%”, acrescenta Duro.

 

O integrante da ABTO aponta que a lista de espera para transplante renal cresceu 5,8%, a inclusão nas listas diminuiu 32% e a mortalidade em lista aumentou 33%. "Talvez pelo maior risco de exposição à Covid-19, pela necessidade de realizar hemodiálise", analisa.

Leo lamenta 'fake news' durante a pandemia e desmente falta de oxigênio em UPA de Pirajá
Foto: Divulgação

O secretário de saúde de Salvador, Leo Prates, descartou a falta de oxigênio na capital baiana, nesta sexta-feira (5). Circulou a informação da falta do insumo na UPA de Pirajá e pacientes necessitaram ser transferidos para outras unidades.

 

"Tem muita fake news e isso não ajuda em nada. Ontem foi dito que estava faltando oxigênio na UPA de Pirajá. É uma das três melhores do Brasil, que tem a certificação ONA. Não podemos inventar tubo de oxigênio na parede. Para não faltar, tivemos que colocar pessoas sentadas em poltronas que não tinham oxigênio. Colocamos as pessoas que precisavam de oxigênio. Paramos para olhar isso, fake news. Pirajá e Barris são UPAs pressionadas. Ontem houve fila de ambulâncias por conta da procura", explicou ao BN.

 

Leo também comentou que o dia nas unidades de pronto atendimento foi "bem melhor", apesar de ainda ter situação difícil no atendimento por conta do aumento na procura dos equipamentos de saúde."São 87 pessoas para regular", disse.

 

SITUAÇÃO DOS MAIS MÉDICOS

O secretário ressaltou a formação de médicos pelo município no programa de residência. "Quero enaltecer a iniciativa de ACM Neto. Formamos nove médicos em saúde da família, pela primeira vez. Preparamos o médico e trazemos o médico para fazer a ação. O Mais Médicos é uma solução temporária", disse.

 

"Saímos de 40 para 60 ambulâncias, pois temos a pejotização dos médicos. Pagamos em dia e hoje temos 32 médicos para entrar no sistema de saúde básico. A parceria com o MPT e MP-BA entende. O PJ não é solução é tapa buraco", comentou. 

 

O programa "Mais Médicos" que distribui médicos pelo país através do governo federal terá o edital finalizado no final de março.

Sexta, 05 de Março de 2021 - 17:06

Prefeitura entrega segunda unidade de suporte ventilatório no Vale dos Barris

por Mauricio Leiro

Prefeitura entrega segunda unidade de suporte ventilatório no Vale dos Barris
Foto: Reprodução / Prefeitura de Salvador

A Prefeitura de Salvador entregou, nesta sexta-feira (5), a segunda unidade de suporte ventilatório para atendimento a pacientes com Covid-19 na área anexa à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Vale dos Barris, com 10 leitos de UTI. A cerimônia contou com a participação do prefeito Bruno Reis (DEM) e do secretário municipal da Saúde (SMS) Leo Prates.

 

"São 10 leitos completos. Com respiradores, monitores e bombas de infusão. Inclusive, tem dois leitos com hemodiálise. É exatamente igual a tenda de Valéria. Teremos duas tendas com leitos de UTI. Essa tenda vem se somar com 24 leitos da UPA dos Barris e a um gripário que tínhamos ao lado com 24 leitos também. São 58 leitos dedicados a Covid", disse Bruno. 

 

Na última quinta-feira (4), foram regulados para leitos 90 pacientes. "Conseguimos regular por conta da chegada de novos leitos e a Arena Fonte Nova. São 111 leitos ocupados em Salvador. Mas só amanhecemos com 6 pacientes aguardando. Isso mostra que, por mais que tenha se esforçado para ampliação de leitos, os números continuam aumentando", comentou.

 

De acordo com Bruno, Salvador tem mais pacientes não idosos internados em leitos. Como medida, a prefeitura nomeia 15 novos médicos para atuar no combate ao novo coronavírus. "Todos que precisaram de atendimento médico foram ofertados. Para continuar, é fundamental contar com o apoio de todos", finalizou.

 

A Fundação José Silveira fará a gestão de todos os equipamentos que ainda nesta sexta-feira (5) começarão a receber pacientes.

 Covid-19: Brasil é ameaça para América Latina e resto do mundo, diz diretor da OMS
Foto: Paula Fróes/GOV-BA

O diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus fez um grave alerta ao governo brasileiro durante um entrevista coletiva nesta sexta-feira (5). Segundo ele, se não houver medida de isolamento, o país não conseguirá reduzir o número de casos, mesmo com a vacina. 

 

O chefe da agência fez questão de alertar que, se o Brasil não levar a crise à sério, estará colocando em risco a região latino-americana e outras partes do mundo. "Isso não é sobre o Brasil. Mas sobre a região e todos os demais”, disse. 

 

Para ele, a situação do Brasil é muito preocupante por conta da multiplicação do número de casos nos últimos meses, enquanto o restante do mundo passou por quedas nas taxas. Ele também ressaltou o aumento no número de mortes. 

 

De acordo com o gestor, só haverá uma interrupção na crise brasileira se as autoridades entenderem que apenas esperar pelas vacinas não adiantará. Sem citar o nome do presidente Jair Bolsonaro, Tedros insistiu que o país precisa adotar "medidas sociais agressivas". "Isso será crucial", afirmou. "Sem fazer algo para impactar a contaminação, não teremos uma queda no número", insistiu. 

 

Nesta sexta-feira, os dados da OMS revelam que o Brasil representa 30% de todas as novas infecções no mundo em 24 horas. 

Butantan envia à Anvisa pedido para testar soro anti-Covid em humanos
Foto: Reprodução / TV Globo

O Instituto Butantan enviou à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pedido de autorização para realizar um estudo clínico do soro anticoronavírus, desenvolvido pelo Instituto desde o ano passado a partir do plasma de cavalos. As informações são do portal G1.

 

O objetivo do soro é amenizar os sintomas nas pessoas já infectadas. Ele não é capaz de curar e nem de prevenir a doença. A autorização permitirá que o soro seja aplicado em pessoas que estão contaminadas pela doença e descobrir qual a dose necessária para obter os efeitos desejados.

 

O vírus inativo não provoca danos aos cavalos e nem se multiplica no organismo, mas estimula a produção de anticorpos. Os técnicos retiram o plasma do cavalo, que faz parte do sangue do animal, e levam para a sede do Butantan, na Zona Oeste de São Paulo. Os anticorpos são separados do plasma e se transformam em um soro anti-Covid. Os trabalhos são coordenados pelos médicos Esper Kallás e José Medina, da USP.

 

Uma vez autorizados, segundo Dimas Covas, diretor do Butantan, os testes serão feitos inicialmente com pacientes transplantados de rim, no Hospital do Rim, e pacientes comorbidades no Hospital das Clínicas. Ainda de acordo com ele, os resultados demonstraram que o soro é seguro e efetivo nos testes feitos em animais.

 

"Os animais que foram tratados tiveram seu pulmão protegido, ou seja, não desenvolveram a forma fatal da infecção pelo coronavírus, mostrando que os resultados de estudos em animais são extremamente promissores e esperamos que a mesma efetividade seja demonstrada agora nesses estudos clínicos que poderão ser autorizados", relatou Dimas.

 

O processo de fabricação do soro foi iniciado em uma fazenda do Instituto com os animais. A última fase de testes ocorreu em janeiro, quando os pesquisadores passaram a testar o vírus ativo da Covid.

 

"O soro foi inteiramente produzido no Butantan. O vírus foi isolado, inativado, e finalmente levado a imunizar os animais. O Butantan tem uma fazenda com 650 hectares e lá nós mantemos uma tropa de 800 cavalos. Alguns animais foram submetidos a esse vírus e na sequência produziram anticorpos. Esse plasma desses animais foi coletado e aí processado nas nossas instalações, dando origem ao produto", explicou o diretor do instituto.

Estudo: Vacinados e recuperados possuem imunidade celular contra cepas da Covid-19
Foto: Divulgação

A imunidade celular de pacientes recuperados da Covid-19 ou de pessoas vacinadas permanece mesmo contra as novas variantes do coronavírus. É o que mostra um pequeno estudo feito pela Universidade de San Diego, nos Estados Unidos (EUA). As informações são do portal Viva Bem, do Uol. 

 

"As informações apresentadas sugerem que a resposta das células T não é afetada pelas variantes", diz o estudo. As células T são responsáveis por produzir defesas no corpo. Os imunizantes avaliados na pesquisa foram os da Pfizer/BioNTech e Moderna. 

 

As células T não podem impedir a infecção provocada pelo vírus, porém evitariam a forma mais grave da doença. 

 

O estudo utilizou como base amostras do coronavírus misturada com o sangue de dois grupos: recuperados da Covid-19 e vacinados com os imunizantes citados. 

 

O resultado foi que as células T continuaram trabalhando bem ao serem expostas a quatro cepas: a original, chinesa, as chamadas B.1.1.7, B.1.351, P.1 and CAL.20C. Esta última é de origem brasileira. 

 

Vale lembrar que o estudo ainda precisa de revisão, e que as amostras usadas foram pequenas. Ou seja, ainda é necessário fazer mais análises para chegar a uma conclusão mais concreta. 

Sexta, 05 de Março de 2021 - 14:10

Demanda do Lacen com testes de Covid-19 'aumentou 1000%', afirma diretora

por Nuno Krause

Demanda do Lacen com testes de Covid-19 'aumentou 1000%', afirma diretora
Foto: Reprodução / Youtube

A demanda de testes RT-PCR para a Covid-19 que chegam ao Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) da Bahia aumentou em 1000%. Foi o que afirmou, nesta sexta-feira (5), a diretora do órgão, Arabela Leal, em entrevista ao programa Bahia Notícias no Ar, da Rádio Salvador FM 92,3.

 

"Nós estamos com média de 4.500 a 5.000 exames por dia. Nossa equipe foi reforçada, fizemos contratações. Temos equipes trabalhando 24 horas. Entra um grupo por 12 horas, sai, e entra outro para a noite. Sete dias por semana, 24 horas", relatou Leal.

 

Durante a entrevista, ela ainda deu detalhes sobre como as novas variantes do novo coronavírus estão sendo analisadas na Bahia. "Já detectamos 16 variantes diferentes. Dessas, algumas relevantes: a P.1., a do Reino Unido, e a P.2., que foi identificada no Rio de Janeiro", revela.

 

Outra cepa identificada na Bahia, porém até o momento em um único paciente, foi a peruana. "Um caso de um navio estrangeiro que aportou aqui. Alguns pacientes apresentaram sintomas e foram internados. Foi feita uma busca, e quatro amostras vieram para nós. No entanto, apenas uma estava viável. Foi identificada uma cepa peruana. Neste momento não é uma cepa de emergência, de grandes proporções ou estragos. É uma cepa comum que circula no Peru", disse.

 

Arabela explica que o Lacen não pode analisar todas as amostras que chegam, pois primeiro é preciso saber se elas são viáveis. "Só podemos fazer se tivermos amostra pocitiva do RT-PCR. Fazemos o teste, e quando as amostras são elegíveis, precisam ter carga viral alta, a gente pode sequenciar. Sequenciamos amostras de pacientes suspeitos dessas variantes, já que temos pacientes que vieram do Amazonas, que viajaram de lá para cá, ou que foram até lá e voltaram. Também investigamos pacientes que têm evolução muito rápida. Também pacientes de óbito. Esse é o nosso perfil. Acompanhar os pacientes e definir as linhagens para que a gente possa vigiar melhor", conta. 

Ministério da Saúde fecha acordo para comprar vacina da Moderna
Foto: DeFodi Images / Colaborador/ Getty Images

O Ministério da Saúde fechou acordo com a Moderna para adquirir vacinas contra a Covid-19 produzidas pela farmacêutica americana.

 

De acordo com a CNN Brasil, o acordo de compra foi selado na manhã desta sexta (5), em reunião do secretário-executivo do ministério, Elcio Franco, com representantes da Moderna na manhã desta sexta (5).

 

A pasta ainda não informou quantas doses serão compradas e qual o calendário de entrega, mas apuração da emissora aponta que o cronograma da pasta apresentado recentemente ao Congresso prevê entrega de 50 milhões de doses até 2022. Auxiliares do ministro Eduardo Pazuello ressaltaram que o contrato ainda não foi fechado. A previsão é de que a assinatura ocorra nas próximas semanas após ajuste dos termos.

Covid-19: EUA chegarão a 100 milhões de vacinados em dez dias, diz levantamento
Foto: Divulgação

País mais afetado do mundo pela pandemia de Covid-19, os Estados Unidos devem ter 100 milhões de vacinados contra a doença em menos de dez dias. O plano do presidente Joe Biden era alcançar esse número no dia 30 de abril, que marca o centésimo de seu mandato. As informações são do G1.

 

Atualmente, mais de duas milhões de doses de vacina são aplicadas por dia, segundo levantamento feito pela Bloomberg, tornando os EUA responsáveis por 31% das doses aplicadas diariamente no mundo. A primeira dose já foi aplicada em 16% dos cidadãos americanos, enquanto a segunda foi em 8%. Seguindo nesse ritmo, a nação terá 75% de sua população imunizada em seis meses.

 

Os imunizantes utilizados por lá são os da Pfizer/BioNTech e Moderna. Nesta semana, a vacina da Johnson & Johnson, que é em dose única, também começou a ser aplicada.

 

Em comparação com o Brasil, por exemplo, o ritmo é absurdamente maior. Nosso país tem 3,6% da população imunizada com a primeira dose, e 1,1% com a segunda. O período estimado para atingir 75% de vacinados é de 2,7 anos.

 

O levantamento mostra, ainda, que a vacinação foi iniciada em 111 países, e o mundo tem média de 6,58 milhões de doses aplicadas por dia.

 

O número de casos também vem reduzindo nos EUA. Após um pico de 299 mil infectados no dia 2 de janeiro, a diminuição gradativa resulta, atualmente, em 70 mil diários. No total, o país contabilizou 28,8 milhões de casos desde o início da pandemia, que resultaram em 520 mil mortes.

 

Nas últimas 24 horas, foram registrados 1.775 óbitos, segundo a Universidade Johns Hopkins. Alguns estados, entretanto, têm liberado algumas restrições sobre uso de máscaras. Biden desaprova, classificando isso como "pensamento de neandertal".

 

O levantamento também mostra que ao menos 111 países já iniciaram a vacinação. No atual ritmo de imunização global, de 6,58 milhões de doses aplicadas por dia, serão necessários 4,7 anos para vacinar 75% da população mundial.

Osid vão receber R$ 19,7 milhões por operação do Hospital de Campanha da Fonte Nova
Foto: Divulgação/ GOVBA

As Obras Sociais Irmã Dulce (Osid) receberão R$ 19,7 milhões do governo do estado pela gestão e operação do Hospital de Campanha da Arena Fonte Nova, em Salvador.

 

De acordo com publicação no Diário Oficial do Estado, o Estado vai pagar R$ 6.566.751,15 por mês à organização social, pelo serviço. Como o contrato é por 90 dias, o valor global dele é de quase R$ 20 milhões. 

 

Reativada nesta quinta-feira (4), a unidade opera atualmente com 10 leitos clínicos e 10 de UTI exclusivos para Covid-19, segundo dados da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia. 

 

O hospital tem capacidade para 200 leitos, mas inicialmente funcionará com 80, distribuídos em 50 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 30 leitos clínicos.

 

A unidade foi reaberta como esforço do governo estadual para reduzir a ocupação de leitos para pacientes com coronavírus na Bahia. Nesta manhã, o estado tem 85% de UTIs ocupadas. 

SAJ: Março já tem mais de 1 óbito diário por Covid-19; nesta quinta foram três perdas
Foto: Divulgação / Sesab

O município de Santo Antônio de Jesus, no Recôncavo baiano, registrou três óbitos por Covid-19 nesta quinta-feira (4). Nesses primeiros dias de março, já são seis mortes pela doença no município. É mais de uma perda por dia. Ao todo, 72 pessoas já faleceram na cidade em decorrência do novo coronavírus. 

 

Segundo boletim da prefeitura, as três pessoas que vieram a óbito foram duas idosas, de 63 e 83 anos, com hipertensão e obesidade no primeiro caso e diabetes, no segundo. O terceiro caso é de um idoso de 65 anos, sem comorbidade [doença associada].

 

Ainda nesta quinta, o município registrou novos 72 casos deCovid-19, com taxa de crescimento de +1%. Até as 17 desta quinta, Santo Antônio de Jesus acumulava 7.292 casos confirmados de Covid-19, sendo 215 ativos – 198 em tratamento domiciliar e 17 em internamento. 

Sexta, 05 de Março de 2021 - 10:20

MP-BA vai acompanhar oferta de leitos de UTI para Covid-19 em Salvador

por Cláudia Cardozo

MP-BA vai acompanhar oferta de leitos de UTI para Covid-19 em Salvador
Foto: Cláudia Cardozo / Bahia Notícias

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) vai acompanhar o processo de oferta de leitos para tratamento da Covid-19 em hospitais privados de Salvador. O procedimento não tem caráter investigativo e será conduzido pela promotora de Justiça Thelma Leal Oliveira, da 3ª Promotoria de Justiça do Consumidor.

 

A promotora solicitou da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) informações de hospitais privados de Salvador, com as respectivas entidades mantenedoras e responsáveis legais, assim como a Associação dos Hospitais do Estado da Bahia (Ahseb). A promotora também pediu apoio do grupo de trabalho do MP criado para atuar na crise do coronavírus, assim como o Procon, o Codecon e a Vigilância Sanitária de Salvador.


A medida leva em consideração a portaria que autoriza a habilitação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para pacientes com Covid-19, os critérios para instalação de hospitais de campanha. Ainda considera o aumento de óbitos por Covid-19 e a elevação da taxa de ocupação de UTI no estado, além da informação do prefeito de Salvador, Bruno Reis, de que a rede privada de Saúde já tem taxa de ocupação de 100% de leitos. A promotora ainda considera que a relação entre pacientes e hospitais privados é consumerista.

Ministério da Saúde prevê 'tempestade perfeita' com mais de 3 mil mortes diárias em março
Foto: Amazônia Real

Diante do caos visto no Brasil, a cúpula do Ministério da Saúde acredita que o país vai atravessar seu pior momento da pandemia nas duas próximas semanas. Os servidores no entorno do ministro Eduardo Pazuello estimam que ocorra uma explosão de casos e mortes no período, com os óbitos ultrapassando a marca de 3 mil registros por dia.

 

Segundo informações do Valor, que apurou as previsões, esse diagnóstico vem do que classificam como "tempestade perfeita": o aumento da taxa de transmissão, com o vírus alastrado em todo o país, a circulação de novas variantes mais contagiosas e com maior carga viral, a iminência de um colapso no sistema de saúde de vários estados, de forma simultânea, e a falta de vacinas.

 

Na avaliação do ministério, a região Sul é a mais preocupante. No Rio Grande do Sul, por exemplo, a ocupação de leitos de UTI por vezes passou de 100% durante essa semana. A equipe de Pazuello teme que São Paulo, na região Sudeste, também enfrente um colapso. Se ocorrer, eles dizem que os números dessa "tragédia anunciada" podem subir exponencialmente.

 

Enquanto isso, o presidente da República segue em posicionamento contrário às restrições defendidas pelos governadores, que têm imposto medidas como toque de recolher nas cidades.

Histórico de Conteúdo