Sesab descarta suspeita de coronavírus em caso registrado no interior da Bahia
Foto: Elói Corrêa / GOVBA

Após a Prefeitura de Jacaraci apontar a ocorrência de um paciente com suspeita de infecção pelo vírus 2019-nCov, a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) descarta a possibilidade de ser um caso de coronavírus no estado. De acordo com o órgão oficial, a Bahia não possui nenhum caso em suspeição relacionado a doença que já matou mais de 100 pessoas na China (saiba mais aqui).

 

Em nota enviada à imprensa, a Sesab afirma que foi notificada sobre a situação do homem nessa terça-feira (28). A informação inicial era de que ele estava internado em um hospital da cidade baiana, com quadro de infecção respiratória e histórico de viagem recente ao Japão - segundo a Prefeitura de Jacaraci, o homem é japonês, mas esteve em contato com chineses durante o voo que o trouxe ao Brasil, no último sábado (25). Com isso, ele foi transferido para Salvador, onde foi atendido no Instituto Couto Maia, que é referência estadual em doenças infecciosas e a avaliação inicial é de que o caso não preenche os requisitos para ser enquadrado como suspeito de coronavírus.

 

Ainda assim, a Sesab ressalta que todas as medidas habituais de isolamento para casos suspeitos de infecção por vírus do grupo influenza (H1N1, H3N2, Influenza B) estão sendo tomadas, bem como a rotina laboratorial para diagnóstico de casos semelhantes está sendo conduzida pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-BA). 

 

A precaução é pertinente também porque, apenas em 2019, a Bahia registrou 1.821 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por vírus respiratórios, com 132 mortes. Para reduzir o risco geral de contração ou transmissão de infecções respiratórias agudas, o que inclui o novo coronavírus, o Ministério da Saúde recomenda uma série de cuidados básicos. Algumas das medidas são: evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas; realizar lavagem frequente das mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente; utilizar lenço descartável para higiene nasal; cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir; evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca; higienizar as mãos após tossir ou espirrar; não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas; manter os ambientes bem ventilados; evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença; e evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações. Além disso, profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção). (Atualizada às 10h36)

Anvisa publica critérios e procedimentos para importação de produto derivado de Cannabis
Foto: Reprodução/Pixabay

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) definiu os critérios e os procedimentos para a importação de produto derivado de Cannabis, por pessoa física, para uso próprio, mediante prescrição de profissional legalmente habilitado, para tratamento de saúde. As definições foram publicadas no Diário Oficial da União. 

 

Conforme a publicação, as condições gerais permitem a importação, por pessoa física, para uso próprio, mediante prescrição de profissional legalmente habilitado para tratamento de saúde, de produto derivado de Cannabis. A importação também pode ser realizada pelo responsável legal do paciente ou por seu procurador legalmente constituído.

 

A importação do produto poderá ainda ser intermediada por entidade hospitalar, unidade governamental ligada à área da saúde, operadora de plano de saúde para o atendimento exclusivo e direcionado ao paciente previamente cadastrado na Anvisa, de acordo com a resolução.

 

A publicação do DOU ainda determina que o  produto a ser importado deve ser produzido e distribuído por estabelecimentos devidamente regularizados pelas autoridades competentes em seus países de origem para as atividades de produção, distribuição ou comercialização.

 

Para importação e uso de produto derivado de Cannabis os pacientes devem se cadastrar junto à Anvisa, por meio do formulário eletrônico para a importação e uso de produto derivado de Cannabis, disponível no Portal de Serviços do Governo Federal.

 

O cadastramento deve ser feito em nome do paciente ou do responsável legal. A aprovação do cadastro depende da avaliação da Anvisa e será comunicada ao paciente ou responsável legal por meio de Autorização emitida pela Agência.

 

Para o cadastramento é necessário apresentar a prescrição do produto por profissional legalmente habilitado contendo obrigatoriamente o nome do paciente e do produto, posologia, data, assinatura e número do registro do profissional prescritor em seu conselho de classe.

 

Somente após a aprovação do cadastro, o interessado poderá realizar as importações do Produto derivado de Cannabis, pelo período de validade do cadastro.

CPMI das Fake News pretende propor penas mais severas para casos ligados a saúde
Foto: Reprodução / ISC Ufba

A disseminação de notícias falsas relacionadas a questões de saúde pública vai ser incluída no relatório da CPMI das Fake News, presidida pelo senador baiano Ângelo Coronel (PSD). Técnicos que atuam na elaboração do documento preparam recomendações para prever novas penas ou agravar as penas já existentes para quem divulga dados mentirosos sobre a área.

 

Segundo o blog Painel, da Folha de S. Paulo, a medida passou a ser discutida após a divulgação de estudos que mostram uma relação entre a desinformação sobre vacinas com o aumento de casos de sarampo no Brasil. Além disso, a propagação do coronavírus no mundo reforçou a preocupação.

 

De acordo com a publicação, o grupo ainda não determinou como isso vai se dar do ponto de vista jurídico. No momento, uma das dificuldades dos técnicos é definir o limite entre a liberdade de expressão e o crime de fato.

Ministério da Saúde notifica dois novos casos suspeitos de coronavírus
Foto: Reprodução/CCD

O ministério da Saúde anunciou, nesta tarde (28), a notificação de suspeita de dois novos casos de coronavírus no Brasil, em Porto Alegre e Curitiba. Na manhã de hoje o governo também notificou a investigação de um outro caso em Belo Horizonte.

 

Ao comentar o caso de Minas Gerais, o ministro Luiz Henrique Mandetta, orientou a população a ficar em casa quando estiver doente. O gestor ainda fez orientações sobre a prevenção do vírus e destacou que é fundamental lavar as mãos, evitar espirrar e tossir sem proteger a pessoa que está na sua frente, evitar tocar olhos, nariz, boca e pessoas que estejam doentes (veja aqui). 

 

O coronavírus já matou mais de 80 pessoas e alcançou 4 dos 5 continentes. Biofarmacêuticas têm anunciado planos para o desenvolvimento de vacinas com apoio de universidades, grupos globais de saúde e dos governos dos Estados Unidos e da China. 

Terça, 28 de Janeiro de 2020 - 18:20

Ministro da Saúde recomenda que pessoas doentes fiquem em casa

por Jade Coelho

Ministro da Saúde recomenda que pessoas doentes fiquem em casa
Foto: Carolina Antunes/PR

Com um caso suspeito de infecção pelo coronavírus em Minas Gerais sob investigação, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, orientou a população a ficar em casa quando estiver doente. O gestor ainda fez orientações sobre a prevenção do vírus e destacou que é fundamental lavar as mãos, evitar espirrar e tossir sem proteger a pessoa que está na sua frente, evitar tocar olhos, nariz, boca e pessoas que estejam doentes.

 

Informações foram divulgadas pelo ministro nesta terça-feira (28) durante coletiva de imprensa. "Não há motivo para pânico. É momento de estarmos atentos. O Brasil possui uma equipe de profissionais capacitados e que já passaram por outras epidemias de vírus. O Brasil está preparado para monitorar o #novocoronavírus. A realidade da China é uma e a nossa é outra".

 

O secretário Executivo do MS, João Gabbardo ainda afirmou que a pasta está preparando um material impresso junto com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para todos os passageiros que chegam da Ásia e Europa com informações necessárias para prevenção.

 

"Nós vamos chamar para a próxima semana uma reunião com os secretários estaduais e municipais de saúde para tirar todas as dúvidas e passar todos o protocolos. Para saberem como coletar, o que fazer e como deve agir em casos suspeitos do novo Coronavírus", explicou Mandetta.

 

Na coletiva o ministro ainda falou sobre o Carnaval. Mandetta tranquilizou as pessoas afirmando que "a maior parte dos turistas que vem ao Brasil durante o Carnaval não são da Ásia" e que "de qualquer maneira, todos os portos e aeroportos estão preparados e farão a ações de vigilância". 

 

Coronavírus abala bilheterias chinesas após o fechamento de 70 mil cinemas
Foto: Huandy618 / Wikimmedia Commons

A China fechou quase que a totalidade das suas 70 mil salas de cinema em decorrência do surto de coronavírus, que já matou 106 pessoas no país e infectou mais de 4 mil. O parque exibidor é o maior do mundo e, segundo o que noticiou o "Hollywood Reporter", os lançamentos de vários filmes foram adiados.

 

O fechamento das salas acontece justamente em um período conhecido por movimentar mais de US$ 1 bilhão em receita de bilheteria, segundo dados da revista "Variety", que acompanha o mercado.

 

Segundo O Globo, num esforço para ajudar a impedir a propagação do coronavírus, e sem novos filmes para exibição com o cancelamento das estreias, uma rede de mais de 11 mil complexos de cinema, optou por fechar as portas.

 

Entre as grandes apostas chinesas que seriam lançadas no feriado estão obras como o novo filme estrelado por Jackie Chan, "Vanguard"; o épico esportivo "Leap"; a comédia de ação "Detective Chinatown 3"; e a animação "Boonie bears: the wild life". A estreia global desses filmes também foi adiada, já que o governo da China não permite que seus filmes sejam lançados no exterior antes que eles estreiem em solo chinês.

 

Diversas projeções apontavam que o país ultrapassaria os EUA em 2020 no que tange ao mercado cinematográfico. Porém, o surto de coronavírus deve impedir que essa marca de seja batida ainda esse ano.

 

Além dos bilhões em vendas globais de ingressos que serão perdidos, a crise provocada pela epidemia pode levar a um efeito dominó que debilitará a indústria cinematográfica chinesa nos próximos meses.

SMS lança app que facilita acesso a informações sobre serviços de saúde
Foto: Max Haack/Secom

O aplicativo Vida+ Cidadão, lançado nesta terça-feira (28), vai permitir que a população de Salvador tenha, com mais facilidade, acesso a informações sobre serviços de saúde. Através da ferramenta será possível checar a disponibilidade de medicamentos e vacinas nos postos da rede, acompanhar consultas médicas, cartão virtual do SUS e até mesmo avaliar o atendimento recebido. O app foi desenvolvido pela Prefeitura, através da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), e já pode ser baixado gratuitamente em celulares com sistema Android ou iOS.

 

Ao baixar o Vida+ Cidadão, o usuário vai visualizar informações básicas, como o cartão virtual do SUS e a localização de unidades de saúde. Para visualizar informações mais pessoais, a exemplo do histórico de atendimento na rede, o usuário terá que ir a uma unidade de saúde mais próxima ou à Prefeitura-Bairro com o RG para autorizar o acesso. De acordo com a prefeitura de Salvador, a medida ocorre para manter a segurança e sigilo das informações,

 

Através do aplicativo, as pessoas também poderão saber a localização de todas as unidades de saúde do município, onde e quais vacinas estão sendo disponibilizadas, o próprio histórico de saúde e de atendimentos recebidos na rede municipal, dentre outras opções. Todas as informações são atualizadas em tempo real.

 

Presente na cerimônia de lançamento nesta terça, o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM) destacou que a medida é um esforço da administração municipal em investir em tecnologia para atender as demandas e facilitar a vida dos cidadãos. “Essa é uma grande conquista para todos os usuários do Sistema Único de Saúde. Hoje vamos ter todo o prontuário eletrônico, ou seja, o conhecimento da saúde do cidadão pela internet. É uma facilidade muito grande para as pessoas, pois elas vão ter acesso a diversos serviços e saber o próprio histórico de saúde, permitindo que possam fazer a prevenção e que haja, também, economicidade para a Prefeitura, evitando problemas e antecipando cuidados”, afirmou ACM Neto.

 

O secretário Leo Prates afirmou que a ferramenta é interligada ao sistema municipal Mais Cidadão e vai, inclusive, evitar fraudes e minimizar dificuldades relatadas pela população, como falta de medicamentos nos postos. “Por exemplo, já tivemos relatos de cidadãos que pegavam mais de um medicamento, como colírio para glaucoma, que é caro, para revender depois. Agora, o sistema trava se o pedido for acima do indicado pelo médico no prontuário”, disse.

 

“Outra coisa também é que, de forma online, o cidadão vai ter à disposição a lista de medicamentos oferecidos e a indicação das unidades de saúde mais próximas para retirada do material, o que gera economia de tempo e dinheiro de deslocamento”, completou o titular da SMS.

Terça, 28 de Janeiro de 2020 - 15:00

Entenda a diferença entre surto, epidemia e pandemia

por Gabriel Alves | Folhapress

Entenda a diferença entre surto, epidemia e pandemia
Foto: Divulgação

Quando muitos casos de uma doença contagiosa começam a ser reportados, logo surgem manchetes falando sobre determinado surto, epidemia e do risco de uma pandemia. Nem sempre, porém, fica claro o que é cada um desses níveis e exatamente em que momento passa-se de um estágio para o outro.

O primeiro conceito importante é o de endemia. Trata-se de uma certa quantidade de casos que historicamente já ocorrem em determinada região do país. Exemplos brasileiros: doença de Chagas e esquistossomose (Barriga d’água).

Quando esse nível endêmico (que pode ser 0) é rompido pelo aumento de casos, pode-se considerar que há um surto ou uma epidemia.

Geralmente fala-se em “surto” para designar que novos casos estão concentrados em determinada região, como um bairro de uma cidade ou uma região metropolitana.

A palavra “epidemia” costuma ser reservada para quando a delimitação geográfica (uma vila ou um bairro, por exemplo) já não ajuda a definir tão bem onde os casos da doença estão acontecendo e/ou quando muitas pessoas são afetadas.

A distinção é algo cinzenta, mas uma infecção que pode ajudar a ilustrar o problema é o sarampo. Os surtos recentes de sarampo mataram 140 mil pessoas só em 2018, segundo a OMS. Calcula-se que as epidemias de sarampo na década de 60 chegaram a matar 2,5 milhões de pessoas.

Quando a epidemia afeta vários países ou continentes, trata-se de uma pandemia. Um caso ou outro de uma doença fora do local onde houve inicialmente o surto não implica necessariamente uma pandemia. Outros fatores, como a capacidade de disseminação do agente infeccioso (como no vírus da gripe) e presença de vetor (mosquito Aedes aegypti, no caso de arboviroses como dengue e zika) contribuem para a contenção ou espalhamento da moléstia.

Mas em que momento exatamente uma grande epidemia se transforma numa pandemia? Quantos países têm de ser afetados? Em que proporção? A gravidade da doença importa?

Há um consenso de que a gripe espanhola, que há cem anos matou pelo menos 50 milhões de pessoas, pode ser chamada de pandemia. Também se diz que o surto de gripe suína, em 2009, que matou 200 mil pessoas em todo o mundo, foi uma pandemia.

Em um artigo publicado no periódico The Journal of Infectious Diseases, em 2009, os autores, entre eles Anthony Fauci, diretor do Niaid (Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA) fazem uma reflexão do que seria necessário para atestar esse patamar extremo:

- Grande distribuição geográfica: um dos consensos é que a doença tem que afetar uma grande porção territorial, como no caso da peste negra, da gripe (influenza) e de HIV/Aids.

Rastreabilidade do movimento da doença: é possível identificar para o caminho percorrido pela doença, como no caso da influenza, transmitidas por via respiratória, da cólera, pela água, ou da dengue, que se dá de acordo com a presença de vetores (mosquitos do gênero Aedes).

- Alta taxa de infecção: quando a taxa de transmissão é fraca ou há baixa proporção de casos sintomáticos, raramente uma doença é tratada como pandemia, mesmo com grande disseminação. A febre do Nilo Ocidental saiu do Oriente Médio e foi parar na Rússia e no Ocidente em 1999, mas nunca carregou a alcunha de epidemia

- Imunidade populacional baixa: É maior a chance de haver uma pandemia quando a imunidade da população for baixa para o patógeno

- Novidade: o uso do termo pandemia está associado ao risco de novos patógenos (caso do HIV, nos anos 1980) ou novas variantes (caso do vírus influenza, da gripe, que apresenta sazonalmente novas configurações)

- Infecciosidade: o termo “pandemia” é menos comumente ligado a doenças não infecciosas, como obesidade, ou comportamento de risco, como tabagismo. Quando isso ocorre, a ideia é destacar aquele problema como uma área que merece atenção, mas, segundo os autores do artigo, trata-se de um uso coloquial, não tão científico.

- Tipo de contágio: a maioria dos casos de epidemias é de doenças transmitidas entre pessoas, como a gripe (influenza).

- Gravidade: geralmente a palavra “pandemia” é associada a moléstias graves, capazes de matar, como peste negra, HIV/Aids e SARS (síndrome respiratória aguda severa). Mas doenças menos severas, como sarna (causada por um ácaro) ou conjuntivite hemorrágica aguda (provocada por vírus), também foram consideradas pandemias.

A principal forma de se prevenir contra os efeitos de uma pandemia é com sistemas vigilância para detectar rapidamente os casos, ter laboratórios equipados para identificar a causa da doença, dispor de uma equipe habilitada para conter o surto, evitando novos casos e sistemas de gerenciamento de crise, para coordenar a resposta.

A OMS (Organização Mundial da Saúde), por sua vez, emprega termos específicos para classificar certas situações. Uma emergência se dá quando uma autoridade decide que é hora de tomar medidas extraordinárias, como restrição de viagens e de comércio e estabelecimento de quarentena. Essa mesma autoridade também pode suspender esse estado de emergência. Geralmente uma emergência é bem-definida no tempo e no espaço e depende de um certo limiar para ser declarada. Esse limiar pode ser definido como uma taxa de mortalidade de 1 para cada 10.000 pessoas por dia ou mortalidade de 2 crianças abaixo de 5 anos a cada 10.000 pessoas por dia.

Crise é uma situação classificada como difícil, difícil de se estudar, classificar e combater. Uma crise pode não ser necessariamente evidente e necessita de um trabalho de análise para ser totalmente conhecida e e combatida.

Pirajá recebe mutirão de exames de mamografia e atendimentos oftalmológicos
Foto: Reprodução/Pixabay

A população do bairro de Pirajá será beneficiada com o primeiro mutirão de exames de mamografia e atendimentos oftalmológicos do Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS). Os exames serão realizados gratuitamente através dos projetos “Vida + Rosa” e “De Olho na Saúde”, de quarta (29) a sexta-feira (31), a partir das 7h, no Estacionamento do Mercantil Rodrigues.

 

A ação “Vida + Rosa” tem foco nas mulheres acima de 35 anos e visa incentivar a detecção precoce do câncer de mama. Serão disponibilizadas 80 senhas, o atendimento será nos dias 29 e 30 de janeiro e as interessadas devem apresentar RG, CPF, cartão do SUS e comprovante de residência.

 

O “De Olho na Saúde” terá 400 senhas, e tem o objetivo de oferecer atendimento oftalmológico de forma gratuita. O serviço acontece no dia 31 de janeiro. Os interessados no atendimento devem ter acima de 55 anos e portar RG, CPF, comprovante de residência e cartão do SUS.

Paciente com suspeita de coronavírus em Minas Gerais passa bem, diz Ministério da Saúde
Foto: Reprodução / Pmed

O Ministério da Saúde investiga um caso suspeito de coronavírus em Minas Gerais. O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, informou nesta terça-feira (28) que a pasta investiga uma paciente de 22 anos que apresentou sintomas "compatíveis" aos da doença.

 

De acordo com o G1, a paciente é uma estudante que teve um histórico de viagem para Wuhan, na China, foco inicial de contaminação humana do vírus. Ela chegou em território brasileiro no dia 24 de janeiro e passa bem após apresentar os sintomas. 

 

Em coletiva nesta manhã, o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta declarou que algumas medidas protocolares contra a doença serão tomadas no Brasil, enquanto o governo brasileiro estará atento a informações técnicas e científicas do vírus. De acordo com a pasta, a paciente relata não ter ido ao mercado de peixes da cidade, não ter tido contato com nenhuma pessoa doente e não ter procurado nenhum serviço de saúde enquanto estava na cidade.

 

HISTÓRICO
O surto de coronavírus provocou 106 mortes na China, onde o número de infectados passa de 4,5 mil. De todas as mortes, 100 foram registradas em Wuhan, local em que a brasileira esteve e epicentro da contaminação. Ao menos 15 países em 4 continentes já confirmaram casos importados da doença.

 

Nesta terça, representantes do Ministério da Saúde vão se participar de uma reunião com a Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre o tema. Oliveira disse que o Instituto Butantã participará de um "esforço internacional" para a produção de uma vacina contra o coronavírus.

 

O novo coronavírus pode se espalhar antes mesmo do aparecimento de sintomas, relatou o governo chinês no último domingo (28). 

Agentes de endemias intensificam ações de combate ao Aedes em Salvador
Foto: Reprodução/Pixabay

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Salvador deu início a ações para conter o avanço de pequenos surtos de arboviroses nas comunidades de Nova Brasília de Itapuã e Sussuarana. De acordo com a pasta, agentes de combate às endemias intensificaram as ações de bloqueio ampliado com a eliminação do mosquito na fase adulta, através da borrifação de inseticida, e de focos de criadouros nas ruas e casas das localidades.

 

A SMS destaca a redução das ocorrências nos bairros e atribui o fato a estratégia de contingência deflagrada desde o início do ano pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ).  “Permanecemos o monitoramento em toda a capital, principalmente nessas localidades com aumento de casos notificados na cidade. O trabalho ágil e intenso do CCZ foi fundamental para evitar que as ocorrências se alastrassem e reduzir a incidência dos agravos”, disse Isolina Miguez, subcoordenadora de arboviroses.

 

Miguez ainda citou a importância do apoio da população para auxiliar o poder público no combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. A subcoordenadora ainda chamou a atenção para o dado de que cerca de 80% dos focos são encontrados dentro das residências.

 

 

Técnicos do CCZ realizam nesta terça-feira (28) inspeções em praças, ruas e casas em Nova Brasília de Itapuã e Sussuarana.

OMS faz correção e eleva a avaliação de risco internacional do coronavírus para 'elevado'
Foto: Reprodução/Youtube

A Organização Mundial da Saúde (OMS) modificou a avaliação de risco internacional do coronavírus para "elevado". O novo status foi publicizado nesta segunda-feira (27). Anteriormente a entidade havia apontado o risco como "moderado", mas esclareceu que houve um "erro de formulação".

 

O número de mortos pela doença chegou a 82 na China, com a confirmação do primeiro caso em Pequim. O total de pessoas infectadas pelo vírus já chega a 2,7 mil.

 

Um grupo de brasileiros que vive na cidade chinesa de Wuhan, onde foram registrados os primeiros episódios da doença, pediu ajuda ao Itamaraty para que possa sair do país asiático.

 

Na semana passada, na sexta-feira (25), a economista Indira Mara Santos, de 34 anos, encaminhou uma lista com os contatos de 31 brasileiros que moram em Wuhan. A cidade é uma das que está de quarentena e a entrada e saída de pessoas está proibida.

 

“Chegaram a cogitar a possibilidade de sair de Wuhan e seguir para outra cidade da China. Nós não aceitamos esta opção. Queremos sair do país e, se possível, voltar para o Brasil”, disse a economista que faz doutorado na Universidade de Huazhong e foi escolhida para representar o grupo na conversa com a Embaixada do Brasil em Pequim, na China.  “A situação está se agravando aqui. Estamos todos muito preocupados com a propagação desse vírus. Nossas famílias estão preocupadas aí no Brasil. Queremos voltar para casa!”, completou.

Médico diz que russo de 10 anos que teria engravidado menina é sexualmente imaturo
Foto: Reprodução/Marie Claire

Médicos constataram que o garoto Ivan, de dez anos, que supostamente teria engravidado a garota Darya, de 13 anos, é sexualmente imaturo demais para produzir espermatozoides, e portanto ser o pai da criança.

 

Ivan e Darya participaram, junto com os pais, de um programa de televisão na Rússia. Durante a atração, os resultados dos exames médicos foram revelados. Um dos médicos que examinou o garoto ressaltou a confiabilidade dos exames.

 

"Verificamos novamente os resultados do laboratório três vezes, para que não haja nenhum erro. Não pode haver espermatozoides. Ele ainda é criança. Ainda não há testosterona. E apenas para adicionar, ele ainda tem órgãos sexuais infantis", disse o urologista Evgeny Grekov, de acordo com reportagem da revista Marie Claire. “A puberdade não começou. Então, temos muitas perguntas”, completou o profissional.

 

A menina está grávida de oito semanas, e relatou que "tudo aconteceu" quando ela e Ivan estavam sozinhos na casa do garoto. Segundo o relatom, a ideia partiu do menino.

 

O psicólogo que acompanhou Darya afirmou que quando a adolescente foi perguntada se teria se envolvido com mais alguém, negou fortemente. "Isso me dá o direito de dizer que ela não teve contato com outros meninos ou homens", afirmou.

Empresas brasileiras perdem R$ 33 bi por incertezas do coronavírus
Foto: Reprodução / Nossa Política

As ações de empresas ligadas a commodities - sobretudo Vale, Petrobras, Gerdau, CSN e Suzano - tiveram queda acentuada nesta segunda-feira (27) em meio a incertezas em relação ao impacto do avanço do coronavírus na China e na economia mundial. Ao todo, essas empresas totalizam perdas de R$ 33,1 bilhões em valor de mercado só na manhã desta segunda.

 

Luiz Roberto Monteiro, operador de mesa institucional da Renascença, explica que as empresas exportadoras acabam sofrendo mais devido à sua exposição ao exterior, que vive um dia de aversão ao risco generalizado, de acordo com o Estadão.

 

No inicio da tarde, a Vale ON caía 4,85%, perdendo sozinha mais de R$ 13,7 bilhões em valor de mercado, enquanto Petrobrás ON recuava 3,25% e a PN perdia 3,45%, acompanhando o mau humor no mercado no mercado de petróleo. Gerdau PN caía 5,31%, CSN ON, 5,97% e Suzano ON, 5,93%.

 

No setor aéreo, prejudicado pelo cancelamento de viagens devido à propagação do vírus, Gol PN tinha queda de 4,73% e Azul PN, de 2,81%. CVC ON perdia 3,29%.

 

O Ibovespa, principal índice da Bolsa de São Paulo, tinha baixa de 2,60%, chegando aos 115.304 pontos.

Segunda, 27 de Janeiro de 2020 - 16:00

Farmacêuticas correm para desenvolver vacinas contra o coronavírus

por Cláudia Collucci | Folhapress

Farmacêuticas correm para desenvolver vacinas contra o coronavírus
Foto: Reprodução/El País

Com o avanço da epidemia de coronavírus, que já matou mais de 80 pessoas e alcançou 4 dos 5 continentes, biofarmacêuticas têm anunciado planos para o desenvolvimento de vacinas com apoio de universidades, grupos globais de saúde e dos governos dos Estados Unidos e da China.

Três desses projetos são financiados pela Cepi (Coalizão de Inovações em Preparação para Epidemias), uma parceria entre organizações públicas, privadas, filantrópicas e civis, lançada em Davos em 2017.

Entre os envolvidos estão as biofarmacêuticas Moderna e Inovio, a Universidade de Queensland (Austrália) e o Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA.

De acordo com comunicado da Cepi, esses programas vão aproveitar as plataformas de resposta rápida para o desenvolvimento de vacinas já financiadas pela entidade, que adotam tecnologias que podem ser adaptadas para uso contra diferentes patógenos, inserindo novas sequências genéticas ou de proteínas.

A Universidade de Queensland (Austrália), por exemplo, anunciou na sexta (24) que tem uma nova tecnologia chamada de grampo molecular para o rápido desenvolvimento da vacina contra o coronavírus. Segundo Paul Young, diretor da Escola de Química e Biociências Moleculares da universidade, ela poderá estar pronta para testes clínicos em até seis meses.

Já Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos NIH (Institutos Nacionais de Saúde dos EUA), estimou que os primeiros ensaios clínicos para uma vacina possam ter início em abril.

Avançar do sequenciamento do vírus até os testes iniciais com humanos em apenas três meses seria um recorde na criação de uma vacina pela agência, segundo ele.

Isso se deve principalmente à rapidez com que cientistas chineses conseguiram identificar a sequência genética do novo coronavírus, que foi publicada em poucos dias.

Com o código genético em mãos, os pesquisadores puderam começar a trabalhar imediatamente no desenvolvimento de candidatas às vacinas, sem precisar de uma amostra do vírus.

"Dada a rápida disseminação global do vírus coronavírus, o mundo precisa agir rapidamente e em união para combater essa doença", afirmou Richard Hatchett, CEO da Cepi, em comunicado.

Uma retrospectiva da história recente de outras epidemias de doenças infecciosas, como ebola, zika e Sars (síndrome respiratória aguda grave) mostra que essas vacinas enfrentaram um caminho longo e desafiador.

No surto de Sars, em 2003, houve uma corrida semelhante para o desenvolvimento de vacinas. Mais de 15 anos depois, ainda não há nada aprovado.

A primeira vacina contra o ebola, aprovada no mês passado nos EUA, surgiu após cerca de 20 anos de pesquisa e quatro anos de testes clínicos.

Os NIH ainda estão testando uma série de candidatas a vacina contra o zika, vírus transmitido por mosquitos que começou a se espalhar amplamente em 2015.

Segundo pesquisadores, isso ocorreu em parte porque os esforços de saúde pública ajudaram a impedir a propagação do vírus, tornando a vacina pouco necessária.

Outro desafio é encontrar fontes de financiamento que sejam mantidas mesmo quando a epidemia arrefecer, disse à Business Insider Maria Elena Bottazzi, co-diretora do Centro de Desenvolvimento de Vacinas do Hospital Infantil do Texas.

Para ela, a natureza reacionária desse tipo de financiamento é uma de suas maiores preocupações para o desenvolvimento futuro de vacinas.

Bottazzi conta que sua equipe estava desenvolvendo uma vacina contra a Sars quando a Mers (síndrome respiratória do Oriente Médio) eclodiu.

Isso levou a uma mudança no financiamento para se concentrar na Mers, às custas do desenvolvimento da candidata à Sars.

Com o coronavírus, ela aposta que o desafio será o mesmo quando algumas candidatas a vacina passarem para a fase dos testes clínicos.

"Os obstáculos científicos são os mais baixos", disse ela. "Cientificamente, podemos nos movimentar rapidamente. Os maiores obstáculos são como mobilizar os recursos e criar as parcerias para levar essa vacina ao ponto de entregá-la à população."

Botazzi estimou que o desenvolvimento de uma vacina contra o coronavírus com potencial para chegar ao mercado pode levar de um a três anos. 

Moderna, empresa de biotecnologia com sede em Cambridge (Massachusetts), é outra empresa que anunciou planos de desenvolver uma vacina experimental contra o coronavírus.

O CEO da empresa, Stéphane Bancel, reconheceu que ainda há incógnitas sobre a doença que provavelmente criarão desafios aos testes clínicos.

"Ainda não temos certeza sobre o tempo de incubação do vírus nem por quanto tempo as pessoas ficam doentes", disse Bancel ao Business Insider. "Isso tem implicações muito grandes para a modelagem [de uma vacina candidata] que você faz."

Segunda, 27 de Janeiro de 2020 - 11:40

Sinta-se leve: Tempo rei

por Lidiane Angelim

Sinta-se leve: Tempo rei
Foto: Divulgação

O tempo não é apenas algo contado por relógios ou calendários. É algo que vivenciamos e experimentamos na pele. Quando apreciamos algo que estamos fazendo, ele passa muito mais rápido. Engana-se quem acredita que a louca rotina é a responsável pela nossa "falta" de tempo. O tempo não nos foi tirado. Ele está ao nosso alcance e o seu uso depende apenas das nossas decisões.


A ideia de que nunca estivemos tão ocupados é um mito. Estudos feitos na Europa e nos Estados Unidos apresentaram que a quantidade de tempo que as pessoas passam trabalhando não aumentou nas últimas décadas e que os pais passam mais tempo com os filhos do que no passado. Segundo o sociólogo Zygmunt  Bauman, essa sensação de estrangulamento do nosso tempo se deve ao tipo de mundo que vivemos hoje. Houve uma transição de um mundo que dependia das estações do ano, do clima, do tempo de produção da manufatura, para um em que tudo acontece cada vez mais rápido. Estamos vivendo em um mundo composto de "agoras", de momentos e episódios breves, não há espaço para a preocupação com o futuro.


Outro problema, apontado dessa vez por Adam Alter, psicólogo e pesquisador, é que passamos nossos momentos livres cada vez mais na frente de telas. E desde 2007, quando o iPhone foi lançado, essa quantidade só tem aumentado. Pior ainda, passamos mais tempo usando aplicativos que nos deixam infelizes, como redes sociais, notícias, jogos, do que com aqueles que nos fazem bem, os de educação, saúde, leitura.


Soltar o tempo, se desprender dessa amarra, é também assumir o controle da sua agenda em prol do seu bem-estar físico e emocional. Usar seu tempo sem se preocupar com o que o mundo de fora lhe impõe. Vamos começar?

Bahia Notícias tem presença marcante no Facebook, Twitter e Instagram
Arte: Paulo Victor Nadal/ Bahia Notícias

O portal Bahia Notícias segue na liderança como o veículo de comunicação com o maior número de curtidas do Facebook, com mais de 1.105.474 de leitores. E, segundo dados da própria ferramenta, 62,54% dos leitores clicaram em um dos links compartilhados pela equipe do portal para acessar o site. Desse público, 60,5% são mulheres e o maior percentual está concentrado entre 25 e 34 anos. O segundo site baiano com maior número de curtidas no Facebook tem pouco mais de 806 mil registros.

 

Além do Facebook, o Bahia Notícias também está presente no Twitter, com mais de 290 mil seguidores na conta principal @BahiaNoticias – o site mantém perfis específicos para cada coluna também: @BNEsportes, @BNHolofote, @BNSaude, @CulturaBN, @BNJustica, @BNMunicipios e @BNMulher.

 

No Instagram, são mais de 183 mil seguidores com o perfil @BahiaNoticias. No entanto, as colunas Esportes, Justiça e BN Mulher podem ser acompanhados na rede social. Além de serem canais de comunicação para os nossos leitores, os perfis do Bahia Notícias também são fonte de informação para o site. Os contatos feitos pelos leitores são respondidos quando possível e servem como origem para notícias para o portal.

 

WHATSAPP

O Bahia Notícias mantém ainda um número de contato pelo WhatsApp, que encaminha diariamente as principais informações do dia para os leitores que se inscrevem. Para isso, é necessário salvar o número 71 99676-0059 e enviar o nome, a cidade e o e-mail para integrar a nossa lista de transmissão.

Brasil é o segundo país em maior número de casos de hanseníase no mundo
Foto: Divulgação

O Dia Mundial contra Hanseníase é celebrado neste domingo (26). A data é comemorada sempre no último domingo de janeiro. A doença, mais conhecida antigamente como lepra, tem cura. O Brasil é o segundo país no mundo com amis novos casos, atrás somente da Índia. Por ano, são registrados cerca de 30 mil casos nos estados brasileiros, incluindo adultos e crianças. A doença atinge a pele e nervos periféricos e pode causar incapacidades e deformidades físicas, que alimentam estigma e preconceito.

 

A hanseníase é uma doença infecciosa, contagiosa, causada pelo bacilo Mycobacterium leprae, ou bacilo de Hansen. A transmissão da hanseníase acontece por tosse ou espirro de uma pessoa doente, que esteja sem tratamento, para outra - após “contato prolongado e contínuo”, segundo o Ministério da Saúde.

 

Para que a doença se manifeste, normalmente há um longo período de incubação, ou seja, um intervalo, em média, de dois a sete anos, entre a contaminação e a manifestação dos sintomas. De acordo com o Ministério da Saúde, já houve, porém, casos atípicos, em que esse período foi mais curto - de sete meses - ou mais longo - de dez anos.

 

O diagnóstico se faz por meio de exame dermatoneurológico e avaliação neurológica simplificada. Os pacientes que iniciam o tratamento, que leva de seis meses a um ano, não transmitem a doença. O tratamento da doença não exige isolamento do paciente e é ofertado gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A terapia é feita por meio de Poliquimioterapia (PQT), por via oral, administrada em associação com medicamentos antimicrobianos. Desde o início dos cuidados, a doença deixa de ser contagiosa. O dia 31 de janeiro é o Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase, data instituída pela Lei nº 12.135/2.009.

 

Segundo dados do Ministério da Saúde, em 2017, 26.875 casos novos da doença foram diagnosticados no Brasil, taxa de detecção de 12,94 por 100.000 habitantes. Do total desses casos, 1.718 (6,4%) ocorreram em pessoas menores de 15 anos. Tocantins é o estado com maior número de diagnósticos.

Estudantes baianos usam borra de café e criam produtos que repelem Aedes aegypti
Foto: Divulgação/ Secti-BA

Três estudantes do Centro Estadual de Educação Profissional em Saúde Tancredo Neves (Ceeps), da cidade de Senhor do Bonfim, desenvolveram velas e sabonetes usando como matéria-prima um óleo extraído da borra do café. O produto tem capacidade de repelir o mosquito transmissor da dengue, o Aedes aegypti.Os produtos são livres de substâncias químicas e baixo custo para a produção. 

 

Ao G1 os estudantes afirmaram que o preparo dos produtos ocorre através da mistura do óleo da borra de café com ingredientes como azeite, glicerina, parafina e essências. Na prática, o sabonete consegue criar uma barreira protetora rica em tiamina, a substância capaz de proteger a pele contra os mosquitos. Já a vela, através da queima, consegue exalar no ar substâncias nocivas aos mosquitos, diz a reportagem. Os produtos são livres de substâncias químicas.

 

Conforme a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), cerca de 64.496 casos de dengue foram registrados no estado entre janeiro e outubro do ano passado. No total, 381 municípios baianos tiveram notificações.

 

O Ministério da Saúde informou que 11 estados brasileiros, incluindo a Bahia, poderão ter surto de dengue ainda neste ano.

Hospital de São Paulo 'contrata' cachorros para trabalharem como terapeutas
Animais ganharam até crachás | Fotos: Divulgação

O Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, em São Paulo, contrataram novos funcionários com funções bem atípicas: abanar o rabo e distribuir lambidas. Os quatro cachorros já receberam até crachás com os próprios nomes. O grupo “Cão Carinho” é formada pela pinscher Lili, pelos golde retriever Joy e Dante, e o pug Francisco. Os animais foram cedidos para participar de um projeto científico.

 

Uma vez por semana, os animais se tornam terapeutas para levar alegria e distração aos pacientes da Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Os cães foram treinados durante um ano e passam por um período de reconhecimento do ambiente hospitalar. O Hospital das Clínicas segue diretrizes internacionais para o uso dos animais nos tratamentos. Os animais precisam ser vacinados, tomar banho 24 horas antes de encontrar o paciente e higienizar as patas na hora que chegam na UTI.

 

Cada paciente fica em média 10 minutos próximo aos cães. O tempo pode parecer pequeno, mas o resultado é visível. Estudos científicos comprovam que, além de contribuir com o bem estar, os cães ajudam a reduzir a ansiedade e a pressão arterial dos pacientes. A proximidade com os animais reduzem os níveis de cortisol, hormônio do estresse. A proposta do projeto não é utilizar os animais para desenvolver uma terapia, mas diminuir a tensão dentro da UTI e oferecer uma qualidade de vida melhor aos pacientes durante o tratamento em ambiente hospitalar.

Variações do coronavírus são detectados em morcegos comuns no Brasil
Foto: Reprodução/ G1

Pesquisa do Laboratório de Virologia Animal da Unicamp (SP) encontrou variações do coronavírus, que já infectou  centenas de pessoas na China, em morcegos comuns do Brasil.  O resultado do estudo pode ajudar a solucionar eventuais surtos, caso esses agentes infecciosos sofram mutação e passem a circular entre os humanos.

 

Especialistas apontam que uma das características do agente viral coronavírus é a alta capacidade de sofrer mutações, facilitando a adaptação e infecção de espécies diferentes daquela em que habitava. Os casos passam a ser mais graves para a saúde humana quando a infecção deixa de ser acidental e é constatada a transmissão de humano para humano, como é o caso do 2019-nCov em circulação da China. 

 

Doutor em genética e biologia molecular, Paulo Vitor Marques Simas, alerta que nós já convivemos com diversos tipos de coronavírus. No Brasil, pelo menos duas espécies circulam entre os humanos e causam resfriados brandos, geralmente no período mais seco e frio do ano, além de infecções intestinais. As informações são do G1.

Número de infectados por novo coronavírus chega a quase 1.300 na China
Foto: Reprodução/Youtube

Autoridades de saúde da China informaram que o número de mortos pelo novo tipo de coronavírus aumentou para 41, enquanto o total de infectados pela doença chega a quase 1.300 em todo o país.

 

A Comissão Nacional de Saúde anunciou que 237 pacientes estão em condições graves.

 

Novos casos de infecção estão sendo confirmados em todo o mundo. Autoridades na França anunciaram ter registrado os três primeiros casos na Europa, segundo reportagem da Agência Brasil.

 Surgida na China, coronavírus chega à Malásia e à Austrália
Foto: Divulgação

Três casos da doença respiratória foram confirmados neste sábado (25) na Malásia, no país do sudeste asiático, e outro na Austrália. De acordo com o G1, já são 12 os países em 4 continentes afetados pela infecção que surgiu na China e já matou 41 pessoas desde o início do ano.

 

Na Austrália, o caso confirmado é de um homem que chegou a Melbourne, no sudeste do país, há uma semana procedente da cidade de Wuhan, epicentro do surto na China. Ainda de acordo com a nota, na última sexta (24), os Estados Unidos confirmaram o 2º caso da doença no país, e a França registrou três, os primeiros na Europa. Também há casos no Nepal, na Tailândia, Vietnã, Arábia Saudita, Coreia do Sul e Japão.

Sábado, 25 de Janeiro de 2020 - 00:00

Com obras avançadas, Policlínicas de Salvador atenderão regiões com maior demanda

por Jade Coelho

Com obras avançadas, Policlínicas de Salvador atenderão regiões com maior demanda
Foto: Ascom Sesab

Com terrenos doados e construções custeadas pelo governo do estado, Salvador vai receber ainda em 2020 duas Policlínicas Regionais de Saúde. Após a entrega, a administração das unidades será de responsabilidade da gestão municipal. Os números já alcançados pelas policlínicas em todo o estado são comemorados pelo coordenador dos consórcios de saúde da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), Nelson Portela. Em todo estado já são 15 unidades que beneficiam até o momento cerca de oito milhões de baianos, total que representa, de acordo com Portela, em torno de 70% da população baiana.

 

Os equipamentos da capital ficarão nos bairros de Escada, no Subúrbio Ferroviário, e Narandiba, na região do Cabula. A Policlínica Regional de Saúde em Narandiba está com 25% de obras concluídas. A unidade de Escada está com 50% da construção executada. As informações são da Sesab. Nelson Portela ainda explica que a localização das estruturas visaram o número de pessoas que poderiam ser beneficiadas e o acesso. “São localidades que a gente entende que teriam maiores demandas, por isso a escolha dessas localidades”, disse o coordenador dos consórcios de saúde.

 

Diferente das policlínicas do interior, em que diversos municípios de cada uma das regiões beneficiadas formam um grupo para gerir as policlínicas, em Salvador a administração das unidades não será feita por um consórcio. O motivo, de acordo com Nelson, foi opção da própria gestão municipal.

 

Para a administração das unidades o estado entra com 40% do custo e os consórcios com os 60% restante, conforme Nelson Portela. O recurso empregado pelo estado com cada uma das unidades varia de R$ 800 mil a R$ 1 milhão.

 

O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, classifica as policlínicas como um “modelo que deu certo”. “Desde o início do seu mandato, o governador Rui Costa identificou um vazio assistencial entre a atenção básica e a hospitalar, compreendido pelos exames e consultas especializados. Esse vazio impactava fortemente a capacidade de resolução dos médicos na atenção primária, ou seja, nos postos de saúde. O projeto das policlínicas visou minimizar essa deficiência, implantando estruturas de grande porte em todas as regiões de saúde. Quase três anos após a inauguração da primeira policlínica, constatamos que o modelo deu certo e estamos ampliando para 24 regiões atendidas, o que será atingido ainda no final de 2020”, disse Vilas-Boas ao Bahia Notícias.

 

As policlínicas têm o objetivo de regionalizar a Saúde e desafogar a procura por atendimentos nos hospitais. As unidades oferecem atendimentos e exames em especialidades como angiologia, cardiologia, endocrinologia, gastrenterologia, neurologia, ortopedia, oftalmologia, otorrinolaringologia, ginecologia e obstetrícia, mastologia e urologia. As policlínicas também realizam exames como ressonância magnética com e sem contraste, tomografia com e sem contraste, mamografia, ultrassonografia com doppler, ecocardiografia, ergometria, mapa, holter, eletroencefalograma, raio-X, eletrocardiograma, endoscopia, colonoscopia, nasolaringoscopia, colposcopia, histeroscopia, cistoscopia, serviços ligados às especialidades de oftalmologia, entre outros.

 

Com obras avançadas, a próxima unidade entregue será a de Barreiras, no oeste do estado. O prefeito da cidade, Zito Barbosa (DEM), destacou que o município doou o terreno para a construção da unidade e está com boas expectativas para a inauguração e início dos atendimentos. “Esperamos que com a inauguração da policlínica possa ajudar os municípios. Nós teremos vários serviços, principalmente de imagens, são em torno de 22 serviços de imagem, é um tipo de atendimento caro, que os municípios hoje bancam, e nós vamos ter com a inauguração da policlínica essa melhoria para o atendimento da nossa população”, disse Zito.

Governo Federal realiza mutirão de perícias com crianças com microcefalia em Salvador
Foto: Reprodução/EBC

O governo federal realiza neste sábado (25), em Salvador, o segundo mutirão de perícias com crianças com microcefalia. A intenção é identificar as crianças que poderão receber a pensão especial vitalícia. O atendimento acontecerá na agência da Previdência Social Salvador, bairro de Brotas, na Rua Ariston Bertino de Carvalho, a partir das 9h.

China constrói hospital com mil leitos para conter avanço e tratar novo coronavírus
Foto: Reprodução/Youtube

Na tentativa de conter o avanço de novos casos de coronavírus, que já matou 26 pessoas e tem mais de 900 casos confirmados até esta sexta-feira (24), o governo da China está em uma corrida científica e estrutural. Além da China, outros oito países tiveram registros da doença.

 

O país está desenvolvendo pesquisas a fim de identificar detalhes da cepa do vírus, e está construindo um hospital para tratar exclusivamente dos infectados e restrições de circulação e fechamento de pontos turísticos. As informações foram divulgadas pelo Xinhua News.

 

O empreendimento segue o modelo de Pequim para tratamento de doenças respiratórias agudas, conhecidas como SARS. O hospital terá 1 mil leitos, uma área de 25 mil m² e deverá ser inaugurado em 3 de fevereiro.

Serviços de saúde e combate ao estresse acontecem no Parque da Cidade no domingo
Foto: Divulgação

O Colégio Médico de Acupuntura da Bahia vai promover um evento com serviços de saúde gratuitos no Parque da Cidade neste domingo (26). Serão ofertados testes de glicemia, aferição de pressão, massoterapia, ginástica laboral, palestras antiestresse com o médico Walter Viterbo, o tema relacionamentos será tratado pelo psicoterapeuta, palestrante e professor Garrido, ainda serão dadas orientações sobre como ter uma alimentação saudável.

 

O evento ainda vai validar o novo protocolo médico de prevenção do estresse do Colégio Médico de Acupuntura da Bahia. Uma pesquisa está sendo realizada em Salvador, com pacientes e o público em geral. Os resultados vão servir de referência para uma vida sem estresse, seguindo o proposto pelo método S.E.M.E.A.R.

 

Embora muitas vezes despercebido, o estresse é uma enfermidade que atinge a maioria das pessoas. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) revelam que 90% da população mundial sofre desse mal.

Sexta, 24 de Janeiro de 2020 - 13:20

Suspeita de morte por H1N1 é investigada em Eunápolis, confirma Sesab

por Ailma Teixeira

Suspeita de morte por H1N1 é investigada em Eunápolis, confirma Sesab
Foto: Reprodução / Planserv BA

A causa da morte de um homem, ocorrida nessa terça-feira (21) em Eunápolis, é investigada pelos órgãos de saúde. Há suspeita de que o óbito tenha sido provocado pela gripe H1N1.

 

Procurada pelo Bahia Notícias, a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) confirmou a suspeita e disse que medidas de prevenção e controle já foram adotadas na comunidade. Enquanto a investigação está em andamento, eles aguardam o resultado de exames laboratoriais.

 

O BN também procurou a Secretaria Municipal de Saúde, mas não obteve retorno. Em nota divulgada nas redes sociais da prefeitura, na quarta (22), a gestão mencionou a suspeita, afirmou que ele foi atendido em um hospital da rede privada e disse que segue as recomendações do Ministério da Saúde para casos do tipo. "(...) realizemos a avaliação de contatos e quimioprofilaxia, apoio à empresa, colegas de trabalho e familiares, além da coleta de material para avaliação do caso", diz no texto. 

 

Além disso, a pasta informa que a Vigilância Epidemiológica está monitorando o caso e se mantendo em alerta para a possibilidade do surgimento de novas suspeitas da doença no município. Com isso, a secretaria frisa que, até o momento, não há confirmação de nenhum óbito em decorrência da gripe suína na cidade.

Prefeitura de Salvador convoca 366 aprovados em seleção pública da Saúde
Foto: Darko Stojanovic/Pixabay

A prefeitura de Salvador convocou mais 366 aprovados no último concurso público e no processo seletivo simplificado da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Os nomes dos selecionados foram publicados no Diário Oficial do Município (DOM) desta quinta-feira (23).

 

A intenção da gestão é de que com a convocação seja resolvido o problema de falta de profissionais que atuam em funções administrativas nas farmácias dos postos de saúde da rede municipal.

 

“A nossa expectativa é garantir a recomposição do quadro assistencial e poder sanar de imediato o déficit de profissionais que atuam em funções administrativas de atendimento direto à população como marcação de consultas e exames ou no auxílio à dispensação de medicamentos nos postos”, explicou Leo Prates, secretário municipal da Saúde.

 

A convocação incluiu 34 médicos entre socorristas para o Samu 192, ortopedista e ginecologista, 62 dentistas, 77 enfermeiros, 49 auxiliares em saúde bucal, 75 técnicos em enfermagem, além de 62 profissionais nível médio para função administrativa e 49 para atuação em serviços gerais.

 

Os convocados deverão se apresentar na sede da Secretaria Municipal de Gestão, nos Barris, no prazo de 30 dias corridos da data da publicação, entre 8h e 11h30 e das 13h30h às 16h. Para assinatura dos contratos os candidatos deverão ser apresentados os seguintes documentos: carteira de identidade, CPF, Pis-Pasep, carteira de trabalho, título de eleitor, comprovante de votação na última eleição e comprovante de residência, dentre outros documentos cuja lista pode ser conferida no site (veja aqui).

Sexta, 24 de Janeiro de 2020 - 09:00

Para conter coronavírus, China isola cidades e cancela eventos do Ano-Novo chinês

por Matheus Moreira | Folhapress

Para conter coronavírus, China isola cidades e cancela eventos do Ano-Novo chinês
Foto: Reprodução/Youtube

O governo chinês anunciou na quarta-feira (22) o isolamento de Wuhan, entre outras cidades, devido ao surto de coronavírus. Os serviços de ônibus municipais e intermunicipais, trens e balsas foram totalmente desativados. Todos os voos foram cancelados e passeios turísticos estão suspensos até o dia 8 de fevereiro. Além de Wuhan, foram isoladas as cidades de Huanggang, Ezhou Chibi e Zhijiang.

Até o momento, foram confirmados 631 casos de coronavírus chinês, com 17 mortes, segundo o People's Daily, um dos maiores jornais do país. O número de países afetados também subiu, são nove agora: EUA, China, Taiwan, Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Vietnã, Singapura e Arábia Saudita.

A ordem de paralisar os serviços de transporte público começou a valer às 10h15 do horário local. Os primeiros serviços a parar foram os de metrô e trens. Há relatos, na imprensa local, de passageiros presos dentro das estações. Situação similar foi relatada no Aeroporto Internacional de Wuhan Tianhe.

Antes da paralisação, cidadãos foram informados que os ônibus voltariam para as garagens às 11h.

As autoridades de Wuhan ordenaram que todos os cidadãos utilizem máscaras, e a entrada de pessoas sem máscara em prédios públicos foi proibida sob pena de responsabilização legal.

"Aqueles que desconsiderarem o aviso serão punidos de acordo com as leis e regulamentos relevantes", diz o texto divulgado pelo governo de Wuhan.

Com a alta procura por itens como máscaras, roupas de proteção e desinfetantes, a sede da Cruz Vermelha na China disponibilizou um serviço atendimento 24h para receber doações.

Os mercados estão lotados desde o amanhecer com cidadãos comprando e estocando mantimentos. As autoridades de comércio de Wuhan anunciaram que vão fortalecer o fornecimento de carne, ovos, vegetais e grãos.

O Ano-Novo chinês, que acontece no próximo dia 25 de janeiro, teve eventos cancelados.

Sete filmes que seriam exibidos no Festival da Primavera (que comemora a passagem de ano) tiveram suas estreias adiadas. Em 2019, comemorações do festival renderam cerca de 724,6 milhões de dólares (3 bilhões de reais).

Histórico de Conteúdo