Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Terça, 10 de Setembro de 2013 - 09:28

Mercadante, lambaz, tem tempo a perder

por Samuel Celestino

Pura asneira do ministro da Educação, Aloizio Mercadante, que resolveu disputar com as manifestações de rua a primazia da iniciativa de encaminhar 100% dos royalties do petróleo para a Educação. Na verdade, 100% queria Dilma, mas 75% foram para a educação de 25% para o setor da saúde pública que, no Brasil, é um desastre. Mercadante talvez esteja com o tempo sobrando na medida em que apela para disputar com as ruas os royalties do petróleo. Na verdade, ele erra: foram as manifestações de rua que exigiram uma melhor educação e melhor saúde pública. Se fosse pelo governo, ficaria como está e se fossem pelos estados produtores os royalties seriam dele. A presidente estava praticamente derrotada porque os demais estados da federação exigiam também uma parcela da União. A partir dos reclames das ruas, Dilma aproveitou e conseguiu o que havia perdido, mas, mesmo assim, não ficou com os 100%. Mercadante, portanto, poderia ficar calado e deixar de ser lambaz.

Histórico de Conteúdo