Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Terça, 13 de Março de 2012 - 09:20

Coluna A Tarde: Mais um escândalo do clã

É incrível a constância de a família do presidente do Senado, José Sarney, envolver-se em escândalos, assim como o é a longevidade de o oligarca manter-se no poder. Dá cartas na República desde o início da ditadura militar e foi figura de destaque antes disso, na época da chamada “banda de música” da desaparecida UDN, partido especialista em conspirar, antes do golpe de 1964, do qual foi o braço político para a deposição de Jango. Agora é um neto de Sarney (de pai para filho desde...), Gabriel Cordeiro Sarney, de apenas 24 anos, que se envolve numa suposta maracutaia.

Ele estaria enredado no comando de uma empresa que recebe verbas da Câmara dos Deputados, atropelando procedimentos que determinam o impedimento de parentes de congressistas receberam benefícios de tal ordem. O rapaz é filho de Sarney Filho, que não é do PMDB, mas sim do PV. A empresa do neto, a Ideaspread Participações, foi criada apenas em agosto do ano passado e já começou se lambuzando. Tudo aconteceu a partir de contratações envolvendo influência política e, nessa história, aparecem mais duas empresas que seriam de sócios de Gabriel, o anjo do clã. As empresas faziam qualquer negócio: davam consultorias e criavam aplicativos e sites para a Câmara. É o quarto neto do patriarca José Sarney, bem provavelmente o homem mais poderoso da República tropical de Pindorama.

*Coluna de Samuel Celestino publicada no jornal A Tarde desta terça-feira (13).

Histórico de Conteúdo