Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Senadores avaliam abrir CPI para investigar o Ministério da Educação
Foto: Pedro França/Agência Senado

Um grupo de senadores, liderado por Randolfe Rodrigues (Rede-AP), voltaram a recolher assinaturas para a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar um possível esquema de corrupção no Ministério da Educação.


O requerimento de abertura de CPI necessita do apoio de, no mínimo, um terço da Casa, ou seja, 27 assinaturas, de acordo com o Regimento Interno do Senado. O pedido atual chegou a contar com o suporte necessário, mas alguns parlamentares retiraram o apoio. Agora, o requerimento depende de dois senadores para poder ser protocolado.

 

"O governo fez um mutirão em um final de semana, em uma mobilização pouco vista aqui na história do Congresso. Em um final de semana, retirou três assinaturas. Nós conseguimos repor uma assinatura em seguida. Estamos a duas. O requerimento está à disposição, nós vamos oferecer mais uma vez, já estamos oferecendo publicamente. Vamos oferecer hoje para instalar", disse Randolfe.


O ex-ministro da pasta, Milton Ribeiro, e o pastor evangélico Gilmar Santos foram presos na manhã desta quarta-feira (22) pela Polícia Federal. A operação investiga suspeitas de um balcão de negócios no ministério, com o envolvimento de pastores, e na liberação do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

 

Ribeiro deixou o cargo de ministro em março deste ano, depois de assumir que os repasses do FNDE beneficiaram prefeitos indicados pelos pastores Gilmar Santos e Arilton Moura.
 

Histórico de Conteúdo