Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Acusado de ter aplicado 'calotes' em bares é preso em Palmas; homem passou por Salvador
Foto: Reprodução / G1

Acusado de dar "calotes" em bares e restaurantes pelo Brasil, Ruan Pamponet Costa, de 28 anos, está preso em Palmas (TO). Após uma tentativa de não pagar a conta de R$ 5,2 mil em um bar da cidade em abril, ele foi detido, onde dias antes, ja tinha sido preso em Goiânia (GO) suspeito de deixar de parar uma conta de R$ 6,2 mil em um estabelecimento. Para não pagar a conta, fingiu que estava passando mal. 

 

Segundo levantamento do G1, Ruan passou por Salvador em novembro de 2020, justamente no período de maior flexibilização após primeira onda da Covid-19. Na sequência de golpes, o homem teria ido até Ipojuca, em Pernambuco, seguindo para Recife. 

 

Dizer que estava com um mal súbito, que esqueceu a carteira ou dizer que é um jogador de futebol famoso são os métodos que ele usa pelo menos desde 2014, de acordo com boletins de ocorrência e processos dos quais o g1 teve acesso. São quase R$ 100 mil reais em calotes em bares, restaurantes, quiosques em praias, além de motoristas de táxi e de aplicativos, segundo o G1.

 

Entre os valores que mais chamam a atenção estão em dois calotes que ele deu em São Paulo e em Brasília em março e abril. No Itaim Bibi, bairro nobre da capital paulista, ele ficou devendo mais de R$ 6 mil em um restaurante e para um taxista, que o aguardava enquanto ele consumia bebidas caras e comia. No Distrito Federal, também com bebidas e comida em um bar e com um motorista, ele ficou devendo R$ 5,8 mil.

 

Em passagem por Porto de Galinhas, em 2021, ele assumiu ser um estelionatário para a polícia, que foi chamada pelo estabelecimento após ele deixar de pagar uma conta de quase R$ 5 mil. Em abril do mesmo ano, no Recife, ficou 8h bebendo em um bar. Não pagou, foi preso em flagrante e solto em seguida. Na cidade de Aracati, no Ceará, chegou a ser agredido por moradores ao passar um calote de R$ 3,5 mil. Também foi preso e liberado em seguida.

 

Em 2020, disse que era um jogador de futebol da República Tcheca para dar um calote de mais de R$ 8 mil.

Histórico de Conteúdo