Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Segunda, 25 de Abril de 2022 - 21:30

Após onda de assaltos em Salvador, rede de bares investe em segurança privada

por Vitor Castro

Após onda de assaltos em Salvador, rede de bares investe em segurança privada
Foto: Divulgação

Em meio a onda de assaltos registrada em bares e restaurantes de Salvador nas últimas semanas (relembre aqui e aqui), empresários passaram a investir em segurança privada para não perder a clientela.  Com o arrefecimento da pandemia e flexibilização quase que total das medidas de prevenção contra a Covid-19, a hora de voltar a lucrar pode estar sendo ameaçada pela onda de violência. 

 

Proprietário da rede Boteco do Caranguejo, o empresário Angelo Curvelo conta que a única alternativa foi investir no serviço particular. A rede teve duas lojas assaltadas em uma mesma noite. “Em uma segunda-feira  a noite os mesmos ladrões assaltaram as duas lojas e foram soltos em uma audiência de custódia no dia seguinte. De lá para cá não para. Infelizmente pagamos impostos caros e não estamos tendo de volta o mínimo de segurança para  a população. Além dos impostos, agora  temos que pagar a segurança privada”, ponderou. 

 

Foram quase dois anos de restrições pela pandemia até que bares e restaurantes pudessem retomar gradativamente seus serviços. Diante do cenário, o empresário teme recaídas na arrecadação. “Tivemos um alívio, mas agora nos deparamos com uma situação desta? Essa insegurança está aumentando porque a impunidade é clara. Estão indo atrás de celulares, roubam os clientes. As pessoas estão planejando não mais sair de casa. Se organizando para beber e curtir dentro de casa”, disse.

 

Foi pensando em não perder a clientela que o empresário decidiu investir na segurança privada para todas as lojas da rede. De acordo com ele, o serviço não tem previsão de interrupção.  “Vamos permanecer com o serviço a todo tempo, dia e noite. Nosso objetivo agora é trazer segurança para nosso cliente e fazer com que ele sinta que pode relaxar em nossas lojas com o mínimo de segurança possível. Não vamos deixar a violência nos parar”, disse. 

Histórico de Conteúdo