Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Mudanças de partido entre prefeitos foram irrisórias durante janela, avalia Zé Cocá
Foto: Fernando Duarte / Bahia Notícias

As diversas mudanças de partido entre deputados estaduais e federais da Bahia durante a janela partidária deste ano não refletiram de forma significativa nos municípios baianos. Essa é a avaliação do prefeito de Jequié e presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), Zé Cocá (PP), que classificou como “irrisórias” as trocas de legenda no interior do estado.

 

“Teve pouco impacto. Coisa de 2%, 3% dos prefeitos apenas mudaram de partido nesse período. Não foi algo realmente significativo”, declarou Zé Cocá, em entrevista ao Bahia Notícias.

 

Na janela partidária, que se iniciou no dia 3 de março e terminou no último sábado (2), aproximadamente um quarto da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) mudou de partido. Já na bancada baiana na Câmara dos Deputados, oito parlamentares trocaram de legenda no período.

 

Apesar da relação intensa entre deputados e prefeitos em todo o interior da Bahia, com parcerias que envolvem base eleitoral e disponibilização  de emendas parlamentares, os gestores municipais, em sua grande maioria, permaneceram em seus partidos. 

 

Prefeitos, como eleitos em disputas majoritárias, podem trocar de legenda a qualquer tempo. No entanto, as relações com grupos políticos e com deputados federais e estaduais poderiam gerar um movimento de mudanças de filiações. 

 

PREFEITOS COM JERÔNIMO

Zé Cocá também comentou ao Bahia Notícias sobre os prefeitos do PP que têm declarado apoio ao governo Rui Costa (PT) e ao candidato governista ao Palácio de Ondina, Jerônimo Rodrigues (PT). Segundo ele, a manutenção de alguns gestores municipais do partido para a base petista tem relação com a disponibilização de verbas para as prefeituras.

 

“Se analisar friamente, esse movimento de alguns prefeitos está acontecendo porque o governo Rui tem assinado convênios com valores altos com as prefeituras. Claro, alguns prefeitos têm uma relação pessoal com o governador. Mas, para mim, é pontual”, disse o prefeito de Jequié.

 

Ainda assim, Zé Cocá diz acreditar que a grande maioria dos prefeitos do PP devem seguir a orientação do partido, que recentemente deixou a base do governo do estado e caminhou para a oposição, apoiando ACM Neto (UB) ao Palácio de Ondina.

 

“Essa mudança, repito, é bem pontual. Entre 70 e 80 prefeitos do PP devem seguir com a gente, com o grupo de ACM Neto”, previu o presidente da UPB.

Histórico de Conteúdo