Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Segunda, 17 de Janeiro de 2022 - 10:00

Moro garante que vai disputar presidência e nega troca de partido: 'Boato'

por Anderson Ramos

Moro garante que vai disputar presidência e nega troca de partido: 'Boato'
Foto: Reprodução

O ex-juiz Sérgio Moro (Podemos) garantiu que vai levar adiante a sua candidatura à Presidência da República na próxima eleição. Em entrevista ao programa "Isso É Bahia", da rádio A Tarde FM, na manhã desta segunda-feira (17), Moro negou que as notícias sobre uma mudança de rumo em direção ao Senado sejam verdadeiras.

 

“Existe muito boato. Tem muita gente com medo. O que querem vender? Que o jogo está marcado entre Lula e Bolsonaro. Isso é mentira. Temos ainda 10 meses antes da eleição e isso é muito tempo. A população vai ver quem fez as coisas certas. Não serei candidato ao Senado. Tem muita gente mentindo com medo de uma candidatura minha à presidência”, disse o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública.

 

Outra possibilidade que surgiu nos últimos dias foi a de Moro se desfilar ao Podemos. Segundo o jornal O Globo, adversários políticos estão preparando uma artilharia pesada contra membros do partido que poderiam afetar o ex-juiz (veja aqui), e isso estaria o levando a considerar uma nova filiação.  

 

“Para você participar das eleições você tem que estar filiado. Do Podemos, eu acompanhei enquanto ministro o grupo ‘Muda Senado’, que tinha um compromisso com pautas éticas”, afirmou.

 

OUTROS PARTIDOS

Ainda em busca de viabilizar seu nome na disputa ao Palácio do Planalto, Sérgio Moro adiantou que já conversa com outros partidos em busca apoio e não descarou uma aliança com o governador de São Paulo e também pré-candidato à presidência, João Doria (PSDB).

 

“Tenho conversado com vários partidos, como o União Brasil, Novo e o Cidadania. Temos que pegar esses partidos com perfil de centro e construir um programa conjunto. O grande dificuldade desse ano vai ser vencer a proposta dos dois extremos, e nisso a gente conversa também com o PSDB, mas qualquer discussão ainda é muito prematura”, pontuou.

Histórico de Conteúdo