Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quinta, 16 de Setembro de 2021 - 20:00

Bruno Reis confirma que não vai recriar Secretaria de Esporte e Lazer em Salvador

por Lula Bonfim / Matheus Caldas

Bruno Reis confirma que não vai recriar Secretaria de Esporte e Lazer em Salvador
Foto: Betto Jr. / Secom

O prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), confirmou nesta quinta-feira (16) que não vai recriar uma secretaria exclusiva para esporte e lazer, cuja indicação foi aprovada pela Câmara Municipal na última terça-feira (14) (leia mais aqui). 

 

De acordo com o chefe do Palácio Thomé de Souza, as finanças municipais não permitem que os segmentos sejam desmembrados da Sempre, pasta na qual são alocados atualmente. “Todos nós sabemos que, neste momento, estamos sob a imposição da lei complementar 173 que impõe uma série de restrições, dentre as quais a criação de novos cargos, porque não pode aumentar R$ 1 real da despesa com os servidores públicos”, declarou à imprensa, durante evento de entrega de imóveis do programa Casa Verde e Amarela.

 

“A gente tem que ter uma lógica de que é melhor ter menos estrutura e investir mais para o cidadão. Investir menos na prefeitura e mais ao cidadão. Quando se cria uma secretaria, tem que criar cargos, tem que ter toda uma infraestrutura, e acaba que os recursos são utilizados para isso, quando é bem melhor utilizar num benefício direto ao cidadão”, acrescentou.

 

Bruno ainda relembrou que, quando era titular da Sempre – atual Secretaria Municipal de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esportes e Lazer –, alocou esportes na pasta. 

 

“A câmara aprovou a indicação. Quero lembrar que foi o prefeito que, na época, era secretário de Promoção Social, que elevou esportes a categoria de secretaria. Hoje, a secretaria de Esportes existe junto com a secretaria de Promoção Social”, afirmou. 

 

“Eu respeito e recebi com todo o carinho a indicação da Câmara, mas, neste momento, só nos resta avaliar se tem condições ou não de implantar, e qual seria esse melhor momento”, acrescentou. 

Histórico de Conteúdo