Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Para evitar associação com Bolsonaro, DEM e PSL devem abandonar número 17
Fotos: Divulgação / Democratas - Michel Jesus/ Câmara dos Deputados

Prestes a formalizar a fusão que deve formar o maior partido na Câmara, inicialmente com 88 deputados federais, DEM e PSL devem abandonar de vez o 17. De acordo com a coluna de Guilherme Amado, do portal Metrópoles, parceiro do Bahia Notícias, a decisão foi tomada para que a nova sigla não seja associada com o presidente Jair Bolsonaro, que usou o número para se eleger em 2018.

 

A cerimônia para anunciar o acordo foi pré-agendada para o dia 21 de setembro. O presidente do PSL, deputado Luciano Bivar, deve ficar com a chefia da nova sigla. Já o ex-prefeito de Salvador ACM Neto, que preside o DEM, será secretário-geral da legenda, que ainda não teve o nome divulgado.

 

De acordo com a publicação, pessoas envolvidas nas negociações dizem que a presidência caberá a Bivar porque o PSL possui uma estrutura maior do que a do DEM, tanto em número de cargos relevantes quanto em volume de fundo partidário. Mas ACM não perderá prestígio com o posto que ocupará. “Nenhuma decisão poderá ser tomada sem a assinatura do secretário-geral”, justifica um político envolvido nas tratativas.

 

Na Bahia, as mudanças na direção do PSL já aconteceram. No final de agosto, o comando do partido deixou as mãos da deputada federal Dayene Pimentel e, indiretamente, passou a ser assumido por Elmar Nascimento (DEM), já que a presidência da sigla foi ocupada por seu aliado Amauri Nascimento (veja mais).

Histórico de Conteúdo