Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quinta, 10 de Junho de 2021 - 17:12

Ciro Gomes admite conversas com DEM para 2022, mas pondera: 'Nada conclusivo'

por Mauricio Leiro / Matheus Caldas

Ciro Gomes admite conversas com DEM para 2022, mas pondera: 'Nada conclusivo'
Foto: Enaldo Pinto / Ag. Haack / Bahia Notícias

Pré-candidato à presidência pelo PDT, Ciro Gomes despistou sobre uma possível aliança para a eleição ao Palácio do Planalto entre seu partido e o DEM, presidido pelo ex-prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM). Nesta quinta-feira (10), ele concede entrevista coletiva a veículos de imprensa da Bahia.

 

Apesar de não garantir que PDT e DEM caminhem juntos em 2022, ele admite que pretende dialogar com os democratas e com o PSD. No momento, o ex-governador cearense diz que está “agora numa fase que todos conversam com todos”.

 

“Nada conclusivo, fechado. O STF ao devolver Lula, antecipou o processo em 2 anos. Isso apanha o Bolsonaro em grave desgaste, pesquisas toda semana, como se tivesse eleição daqui a 3 meses. O povo está com medo da pandemia, querendo se vacinar. Como isso aconteceu os políticos estão se manifestando. Bolsonaro tem o poder e quer reeleição. Lula quer voltar. Os dois não conseguem passar, na posição central, e aí vem a terceira via. Povoada por uma porção de pessoas. Luciano Huck é candidato? Sérgio Moro? Dória tem confusão no PSDB. O Mandetta do DEM é candidato, respeitando a ideia de que eles estão examinando de terem um candidato”, disse.

 

Segundo Ciro, quem conduz as articulações neste sentido é o presidente da sigla, Carlos Lupi, a quem ele diz ter “dado uma procuração para fazer os entendimentos”. Nossa ideia é montar uma ampla ideia de centro-esquerda. Seria PSB, PDT, PV e a Rede. Esse grupo, pretende conversar com outras forças mais ao centro e centro direita. O DEM, o PSD, fazem parte desse processo estratégico. Mas digo que ninguém sabe com que partidos contará”, acrescentou.

 

Em 2020, durante o processo eleitoral em Salvador, DEM e PDT se aproximaram. Para pavimentar o nome do atual prefeito Bruno Reis (DEM), Neto formalizou apoio do partido de Ciro, que emplacou a vice-prefeita Ana Paula Matos (PDT) na chapa. Anteriormente, a sigla fazia oposição a Neto na prefeitura da capital baiana. À nível estadual, a relação com o governador Rui Costa (PT) se deteriora cada vez mais, inclusive com críticas do presidente do partido na Bahia, Félix Mendonça Jr., às conduções políticas feitas pelo petista Rui Costa.

Histórico de Conteúdo