Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Ufba pode perder status de qualidade de ensino se orçamento não for revisto, admite reitor
Foto: Bahia Notícias

Os cortes orçamentários que as universidades federais vêm sofrendo podem fazer com que essas instituições acabem perdendo o status de "suprassumo" da educação superior, na avaliação do reitor da Universidade Federal da Bahia (Ufba), João Carlos Salles.

 

“Se essa política de desmonte continuar vão nivelar por baixo a educação superior”, comentou o reitor nesta quarta-feira (19) durante entrevista ao programa Isso é Bahia, uma parceria da rádio A Tarde FM com o Bahia Notícias.

 

Com os cortes feitos pelo governo federal no ensino superior, o orçamento da Ufba sofreu um corte de 18,7% em 2021 se comparado aos números de 2020. Em valores absolutos previstos na Lei Orçamentária Anual (LOA), a dotação prevista para as despesas discricionárias da instituição é de R$ 132.814.289,00. No ano passado, essa previsão era de R$ 163.308.544,00 (leia mais aqui).

 

Para João Carlos Salles, se a situação se prolongar as universidades públicas vão repetir o que ocorreu no passado com as escolas de ensino médio públicas. “Se não voltarmos a condição de governos que respeitem e valorizem a universidade, esse é um cenário previsível. Assistimos na história a Bahia perder posição de destaque que tinha na escola pública no ensino médio”, comentou o professor.  

 

O reitor sinalizou que a defasagem e cortes no orçamento vem acontecendo ao longo dos anos, mas que a situação nunca esteve tão grave quanto agora. “Se fossemos reaplicar reajuste simples de inflação deveríamos receber R$ 70 milhões a mais do que estamos recebendo”, disse. Ainda conforme o professor, nominalmente o orçamento atual da Universidade Federal da Bahia é menor do que o de 2010, quando a instituição tinha 15 mil estudantes a menos.

 

A comunidade acadêmica da Ufba realizou nesta terça-feira (18) uma manifestação contra os cortes orçamentários. O ato “Educação contra barbárie” teve adesão de professores, alunos, pesquisadores e técnicos da universidade.

Histórico de Conteúdo